A NOITE ESCURA DA ALMA

O que é que o Povo pode esperar de nós, Cristãos? Nada mais que isso: que sua fé seja alimentada. Como alimentar alguém que está com fome sendo que eu mesmo estou precisando de Alimento? Isso está acontecendo porque está havendo uma CRISE DE FÉ.

A Crise de fé é uma noite escura da Alma Humana que está sempre mais ativa na vida dos consagrados. Esta escuridão pesa à alma, porque se somos o que somos é porque temos uma experiência da Fe. È Doloroso quando esta experiência da fé desfalece.

Madre Tereza de Calcutá viveu toda a sua vida na escuridão da Fé. Dom Cappio nos ensina que “A fé será maior quando menor foi sua experiência sensível. A fé verdadeira está no inverso da experiência sensível da fé”. Mas Santa Terezinha do Menino Jesus alerta que “A fé pode diminuir”. Eis aí o momento de dizer: “Eu creio senhor, mas aumenta a minha fé” (Mc 9, 14).

Quando somos iluminados pela fé, todo o sofrimento ganha sentido de ser.

No caminho da vida nem sempre temos a clareza por onde seguir. O nosso Pai Eterno teve um grande cuidado ao enviar alguém para nos indicar o caminho: Jesus de Nazaré. Ele nos mostra o caminho de volta ao Pai. O caminho é conhecer, amar e seguir a Jesus. Só se ama quem conhece e só segue quem ama. É à luz de Jesus que se chega ao Pai.

Nicos kazanzacks no seu livro “O pobre de Deus” retrata a vida de São Francisco sem a preocupação de escrever uma biografia. A partir da espiritualidade de São Francisco ele escreveu uma ficção. Lembra que quando São Francisco tinha Doze Companheiros ele foi pedir ao papa, em Latrão, para viver em comunidade: “EU VENHO DO TUDO DE DEUS E ESTAMOS RETORNANDO AO TUDO DE DEUS”. Este é um pedido de fé. Um pedido de totalidade.

Quando se olha para Jesus e se modela a partir Dele o seu modelo será como Deus pensou. Somos todos chamados a sermos santos, mas cada um a seu modo.

Em síntese, esta Crise de fé, entre nós Cristãos, acontece quando cada pessoa se deixa moldurar pelo mundo, o modelo de Deus nela fica desfigurado, enfraquecendo a busca pela Santidade. Deste modo, nossa missão de homens de fé é olhar para Jesus e modelar nossa vida à luz Dele mesmo, pois uma coisa não pode ser outra coisa para ser ela mesma. Assim, Não precisamos deixar de sermos homens de fé por estar num mundo cada vez mais às escuras dessa realidade de fé.

Pe. Joacir d’Abadia, autor de 7 livros

Coord. da Pastoral da Educação (Diocese de Formosa-GO)

joacirsoares@hotmail.com