A língua em tempos de redes sociais.

Adequar a língua em tempos de Facebook, Instragam e tantas outras redes sociais é um problema para muitos, sobretudo para os mais jovens. O mundo moderno exige agilidade, não dá para perder tempo; e a língua acompanha esse processo. O problema está justamente na hora em que precisamos escrever um e-mail ou digitar um documento, principalmente se for para o chefe. Vale ressaltar que essas situações exigem um emprego formal da língua e se não tivermos o hábito da leitura, certamente, nos esqueceremos de algumas regras básicas. Agora, imagine um  jovem que precisa se preparar para  enfrentar  as provas de concursos como o Exame Nacional do Ensino Médio,  por exemplo. Sem falar na temida redação que, geralmente, é exigida na maioria dos concursos. São situações que vão exigir da pessoa o conhecimento mais formal.

É extremamente importante sabermos adequar à linguagem. Ela vai variar de acordo com a situação; assim como a roupa. Não se vai à praia vestido de terno e gravata, assim, devemos adequar as palavras para cada situação. É um desafio diário: comunicar-se de maneira funcional, adequar-se às situações e conhecer as regras gramaticais para prestar aquele concurso ou para situações em que o uso da língua formal é fundamental.

Por isso, é imprescindível o contato, desde cedo, com a leitura. Precisamos despertar no jovem o gosto pelos livros. Esse hábito vai expandir o vocabulário, melhorar as habilidades de escrita e o conhecimento de mundo. É essencial incentivar brincadeiras que misturem a leitura.  Além disso, passeios a livrarias, bibliotecas, museus e lugares que façam parte de cenários dos livros. Contar histórias de forma interessante, com certeza, deixará os pequenos mais motivados. E, para aqueles que gostam de estar conectados boa parte do dia, é interessante conhecer os sites que disponibilizam livros didáticos, apostilas e clássicos de forma  gratuita. Hoje, contamos com sites que disponibilizam obras clássicas, inclusive estrangeiras.

Não quero, em momento algum, ser preconceituosa. Há momentos que, realmente, utilizamos o registro informal: conversas cotidianas, mensagens de celular, chats, redes sociais e tantas outras situações são exemplos de que é aceitável o uso deste registro. É perfeitamente admissível o uso de um vocabulário mais simples, de expressões populares, gírias, figuras de linguagem, variações culturais e regionais e tantos outros. O que se precisa entender é que devemos saber usar a língua, de forma eficiente, em diferentes situações. Por isso, é tão importante conhecê-la e não há outro caminho. O hábito da leitura precisa fazer parte do nosso cotidiano. A leitura precisa despertar as nossas emoções, a nossa imaginação. Eu posso escolher o vestido mais bonito para ir à festa de casamento, mas também sou capaz de escolher àquela bermuda e aquele tênis para passear no parque perto de casa. O ideal é darmos as ferramentas, desde cedo, seja o livro físico ou online, o caminho é por aí. O que pode parecer chato, se soubermos estimular, certamente, virará um habito prazeroso.

Luciana Luiza de França- Professora de Língua Portuguesa,  Literatura, Língua e Cultura Espanhola e Hispano-Americana.  Pós-graduada pela UERJ.  professoralluciana@hotmail.com