Wiltony Antamigo[1]

Resumo

O presente artigo pretende fazer uma abordagem sucinta sobre as formas de culminação de cursos ao nível de licenciatura na UP. Nele, descrever-se-ão as razões que fazem com que os estudantes da Universidade Pedagógica-Quelimane (UPQ) adiram em massa ao exame de conclusão como forma de culminação do curso em detrimento da monografia científica. A pesquisa será desenvolvida através de entrevistas e recursos a referências bibliográficas.

Palavras-chave: Culminação do curso, exame de conclusão, monografia científica, pesquisa científica.

1. Contextualização

A formação académica tem sido um dos grandes desafios para a sociedade. Todo ser humano deseja ingressar para ensino superior na perspectiva de preparar-se para um futuro que lhe proporciona condições mínimas de vida. Mas, o ingresso para o ensino superior não tem sido tao fácil porque o número de candidatos cresce massivamente contrariamente ao número de instituições de ensino superior que continuam insuficiente para absorver os graduados do ensino medio geral e profissional.

A Universidade Pedagógica (UP) constitui uma das poucas instituições de ensino superior espalhadas um pouco por todo país absorvendo boa parte dos alunos que terminam o nível secundário geral e técnico.

O ingresso à Universidade reza que após a conclusão das cadeiras, os estudantes passem pela última etapa que se chama culminação de curso. Actualmente, os estudantes têm tido muitas dificuldades na fase da culminação do curso visto que existe na UP duas formas de culminação do curso no nível de licenciatura nomeadamente a monografia científica e o exame de conclusão. O estudante deve escolher de entre estas duas formas de culminação de cursos há que ele achar adequável a sua situação e sua capacidade intelectual. Mais, nota-se que de um tempo para cá, os estudantes tendem a aderir em massa ao exame de conclusão. Visto que este fenómeno tender a crescer, criando algumas limitações aos estudantes quer no ramo da pesquisa, quer na área profissional, vimo-nos na obrigação de fazer um estudo profundo deste fenómeno visando trazer ao de cima as reais motivações dos estudantes no concerne a opção ao exame de conclusão. Uma vez que a monografia dá mais prestígio ao estudante e permite-lhes desenvolver habilidades na área de pesquisa, urge na necessidade de incentivar os estudantes a maximizar o gosto pela monografia, visando solidificar seus conhecimentos em matéria de pesquisas.

Na academia goza de maior vantagem o estudante que termina o curso mediante a apresentação e posterior defesa da monografia científica visto que para alem de demonstrar suas habilidades e conhecimentos científicos no que concerne a pesquisa e ao conteúdo abordado, este constitui um dos requisitos para exercer a função de docente na universidade. Mas, nota-se ultimamente uma crescente tendência dos estudantes a realizarem exames de conclusão em detrimento da monografia científica.

Para melhor perceber as razões que fazem com que os estudantes adiram ao exame de conclusão conhecendo as desvantagens existes, realizou-se uma entrevista aos estudantes finalistas de vários cursos visando colher suas sensibilidades e motivações. O objectivo de trabalhar com estudantes de diferentes cursos era de ter diferentes opiniões em função dos cursos. A maior parte dos estudantes entrevistados apontam como causas da sua preferência, o exame de conclusão a falta de colaboração dos supervisores visto que eles são muito ausentes e não respondem prontamente a suas dúvidas, dificuldades e motivações principalmente no que concerne a falta de referências bibliográficas para alguns temas e a indisponibilidade do tempo da parte do supervisor para acompanhar ou orientar seu supervisionado. Outro aspecto importante é que a monografia leva muito tempo, o que não acontece com o exame de conclusão que é mais prático, dá menos trabalho e exige menos tempo enquanto a monografia exige muito tempo e mais trabalho.

A interação tida com os estudantes permitiu compreender que a falta do apoio do supervisor contribui grandemente para desistência dos estudantes em produzir monografia científica. A existência de uma relação saudável entre o estudante e o supervisor pode encorajá-los a optar pela monografia. Os supervisores devem ser omnipresentes na fase de produção de monografia por constituir um período muito delicado para os estudantes na perspectiva de orientá-los.

2. Referencial teórico

De acordo com o Regulamento Académico da Universidade Pedagógica (RAUP), considera-se aprovado no Curso de Licenciatura o estudante com classificações positivas em todas as disciplinas/módulos ou actividades curriculares e no Exame de Conclusão da Licenciatura ou na Monografia.

2.1. Culminação do curso: apresentação de um trabalho de fim do curso, no âmbito de uma das formas de culminação do curso vigentes[2].

2.1.1. Formas de culminação

As formas de culminação do curso de Licenciatura na UP são as seguintes:

a) Exame de Conclusão da Licenciatura;

b) Monografia (Científica ou de Pesquisa de Campo ou de Compilação).

Pode-se notar que os estudante têm duas opções cujas são escolhidas no final do 1º semestre do 4º ano. Segundo o Regulamento da Universidade Pedagógica, após a escolha de uma das formas de culminação, o estudante pode trocar de uma para outra mediante a autorização do chefe de departamento e do supervisor.

Esta pode constituir uma das fragilidades que faz com que os estudantes abandonam a monografia optando pelo exame de conclusão visto que o regulamento permite que o estudante troque de opções de culminação de curso. Os supervisores podem reduzir seu esforço e propor que o estudante recorre a monografia científica ao invés de o apoiar.   

2.2. Monografia

Tratamento por escrito de um tema específico bem delimitado. Pode ser considerado em dois níveis: de iniciação à ciência, em sentido amplo; ou de pesquisa científica, em sentido estrito. (UFRGS, 2009, p.80)

Trata-se, portanto, de um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece a rigorosa metodologia. Investiga determinado assunto não só em profundidade, mas também em todos os seus ângulos e aspectos, dependendo dos fins a que se destina. (MARCONI, M. & LAKATOS, E., 2003, p.235)

O Regulamento académico da UP define Monografia como um trabalho escrito, científico e original, que visa a obtenção do grau da licenciatura e aborda um problema de pesquisa, devidamente delimitado, sob a orientação de um supervisor.

As três definições acima apresentadas no que tange ao termo monografia abordam o conceito seguindo a mesma perspectiva. Sendo a UP uma universidade que pauta pela pesquisa e extensão, visando formar homens capazes de investigar fenómenos que afectam a comunidade e ajudar no desenvolvimento do país, é urgente que se encontre estratégias para encorajar os estudantes a optarem pela monografia científica. Por esta razão, há que incutir nos estudantes a importância da conclusão do curso via monografia científica durante a sua formação. Fora de motivá-los permitirá que eles desenvolvam o gosto pela pesquisa e facilite a produção da sua monografia no final do curso. Ciente das desvantagens do exame de conclusão, os estudantes devem recorrê-lo em última instância porque esta forma de conclusão é tida como saída dos estudantes mais fracos.

Com monografia, eles desenvolvem conhecimentos que podem torná-los futuramente grandes académicos e pesquisadores que é justamente do que se precisa actualmente em Moçambique e no mundo em geral de pesquisadores que podem trazer soluções para muitos problemas que fustigam a sociedade.

A monografia exige mais do estudante, começando pela elaboração do projeto até a fase final que coincide com a apresentação e defesa. Porém, para que o estudante inicie a produzir a sua monografia deve ter o projeto aprovado pelo conselho científico do curso. Após a aprovação sub orientação de um supervisor, o estudante elabora a monografia.

Para o efeito, o estudante deve ter uma boa capacidade de leitura e de investigação, assim como desempenho e tempo. No acto da defesa, o estudante deve mostrar domínio e conhecimento do tema e do trabalho que produziu, respondendo prontamente as questões lançadas pelo júri o que culminará com a atribuição do seu nível de licenciado. De referir que a demora apontada pelos estuantes pode ser reduzida dependendo da disponibilidade do supervisor.

Constituída de introdução, desenvolvimento e conclusão a monografia aborda assuntos de relevo na sociedade trazendo grandes contribuições para a resolução de problemas sociais. O resultado das pesquisas feitas que ela seja pelos estudantes, tem sido muito relevante para ciência permitindo que ela possa solucionar alguns constrangimentos ou problemas existentes na comunidade. Ela permite o estudante a exercitar a sua inteligência e colocar em prática tudo aquilo que eles aprenderam no domínio de pesquisa. Durante a produção da sua monografia o estudante aprofundara seus conhecimentos e terá um forte domínio sobre o tema em estudo.  

2.3. Exame de conclusão

Porém, o exame de conclusão consiste na escolha de um tema de entre vários selecionados pelo curso. No exame de conclusão, o estudante elabora um mini projeto com aspectos básicos que é apresentado ao júri cujo faz questões em que o estudante deve responder.

O Exame de Conclusão da Licenciatura é igualmente uma forma de culminação dos estudos para a obtenção do grau académico de Licenciatura, que se realiza mediante a apresentação e arguição a questões sobre um determinado tema previamente preparado pelo estudante.

Parecendo simples, o exame de conclusão chega a ser mais difícil porque o estudante nem tido muito tempo de convivência com o tema. Mas o facto de não permitir que os finalistas ou estudantes façam qualquer desenvolvimento e pesquisa na sua opinião torna-se mais fácil.

O Exame de Conclusão da Licenciatura é uma forma de culminação dos estudos para a obtenção do grau académico de Licenciatura, que se realiza mediante a apresentação e arguição a questões sobre um determinado tema previamente preparado pelo estudante.

Existem duas modalidades possíveis do Exame de Conclusão da Licenciatura:

a) Exame teórico oral (com ou sem base escrita);

b) Exame Prático.

A escolha de uma ou de outra modalidade depende da natureza do curso e é da responsabilidade do Conselho Científico da Faculdade/Escola.

Enquanto na monografia o estudante escolhe individualmente o tema que quer fazer uma devida alusão, no caso de exame de conclusão cada departamento deve seleccionar e publicar um leque de temas a serem avaliados no Exame de Conclusão da Licenciatura. Logo, o estudante apresente maior vantagem quando opta pela monografia científica.

 

2.4. Pesquisa

Para Ander-Egg (1978:28), a pesquisa é um "procedimento reflexivo sistemático, controlado e crítico, que permite descobrir novos fatos ou dados, relações ou leis, em qualquer campo do conhecimento". A pesquisa, portanto, é um procedimento formal, com método de pensamento reflexivo, que requer um tratamento científico e se constitui no caminho para conhecer a realidade ou para descobrir verdades parciais. (MARCONI, M. & LAKATOS, E., 2003, p.155)

Para que a pesquisa tenha o impacto desejado deve ser devidamente preparada. O pesquisador deve rolar um conjunto de actividades a serem realizadas como objectivos da pesquisa, local, metodologia a seguir, orçamento, etc. 

A pesquisa científica é uma atividade humana, cujo objetivo é conhecer e explicar os fenômenos, fornecendo respostas às questões significativas para a compreensão da natureza. Para essa tarefa, o pesquisador utiliza o conhecimento anterior acumulado e manipula cuidadosamente os diferentes métodos e técnicas para obter resultados pertinentes às suas indagações. (DIAS, C. & FERNANDES, D., 2000, p.5-6)

Na realidade, a pesquisa desenvolve-se ao longo de um processo que envolve inúmeras fases, desde a adequada formulação do problema até a satisfatória apresentação dos resultados. (GIL, A. 2002, p.17)

3. Discussão

Ao longo da entrevista, percebeu-se que os estudantes sonham com defesa da monografia no final do curso porque dá lhes mais credibilidade, peso e oportunidades no que concerne ao domínio do tema em estudo assim como desenvolve conhecimentos em matéria de pesquisas científicas. O maior problema encontra-se na indisponibilidade dos supervisores para lhes orientar durante a produção do seu trabalho.

Fora da questão do tempo, os entrevistados falaram da impaciência da parte de supervisores para trabalhar com seus supervisionados por serem principiante em matéria de pesquisa. Por vezes os estudantes são obrigados a mudarem de tema porque o supervisor não se simpatiza com o mesmo, e eles acabam aderindo por falta do apoio do supervisor, causando-lhes por vezes stress e desgaste psíquico-mental. No que concerne a inexistência de obras, os supervisores devem usar da sua experiência para facilitar o acesso de obras, artigos quer em formato físico ou em linha na internet, visando minimizar as dificuldades dos estudantes na construção do seu trabalho.

Ainda durante a entrevista os estudantes apontaram algumas vantagens de monografia científica tais como fortificação de capacidade de pesquisa e credibilidade ao estudante. É exactamente esta componente que os supervisores devem usar para encorajar os estudantes a aderirem a culminação do curso via monografia científica.

As desvantagens indicadas estão ligadas a exigência de muito trabalho da parte do estudante, levar tempo e por ser dispendioso nas impressões visto que muitos supervisores exigem versão imprensa dos trabalhos. Para desmistificar este aspecto, os supervisores devem facilitar a tarefa dos estudantes fazendo uma correção electrónica, pedindo nesse caso os trabalhos na versão electrónicas, economizando decorrentes das impressões.

Com relação ao exame de conclusão, os entrevistados apontaram como vantagens de exame de conclusão o facto desta forma de conclusão levar menos tempo, dar menos trabalho e ser menos dispendioso. Segundo os entrevistados a única desvantagem desta forma de conclusão é de não dar muita credibilidade ao estudante. Ciente desta desvantagem, há que se consciencializar os estudantes dos riscos que correm aderindo ao exame de conclusão. 

Resumindo, a disponibilidade do superior encorajara de alguma forma os estudantes a aderirem a monografia científica. Constatamos com isso que o papel do supervisor desempenha um papel muito importante visto que todos os elementos que justificam a não aderência dos estudantes a monografia são resultantes de falta de encorajamentos e de apoio dos supervisores. Urge na necessidade de fazer com que os supervisores desempenham condignamente seu papel. 

Considerações finais

O presente artigo que tem como objectivo identificar as causas da preferência dos estudantes ao exame de conclusão em detrimento da monografia como forma de conclusão do curso ao nível de licenciatura na UPQ nos permitiu perceber que os estudantes o fazem por falta de uma boa orientação e falta de confiança de parte deles.

Da entrevista podemos perceber que há uma falta de vontade da parte de alguns supervisores para fazer com que os estudantes optem pela monografia científica. A instituição deve arranjar estratégias visando cultivar o hábito pela pesquisa durante a formação para que eles se familiarizem com as regras de produção de trabalhos científicos.

O domínio da pesquisa faz com que os estudantes tornam-se grandes pesquisadores, constituindo mais-valia quer para a instituição, quer para a sociedade no geral. Contrariamente ao exame de conclusão que minimiza a capacidade de investigação dos estudantes porque ele limita a capacidade de produção e investigação do estudante.

Em jeito de conclusão, pode-se dizer que o mundo precisa de bons pesquisadores e a academia é o lugar ideal para formar pesquisadores daí que há uma necessidade de potenciar mais os estudantes em material bibliográfico e pequenas capacitações visando despertar neles o gosto pela pesquisa científica. Do outro lado, os docentes supervisores devem ser mais presentes e disponíveis para ajudar o estudante pois que esta é na verdade a função de supervisor, ele é orientador do aluno na produção da sua monografia.

Bibliografia

DIAS, C. e FERNANDES, D. (2000). Pesquisa e método científicos, Brasília, março 2000.

GIL, A. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa, 4-Ed., Atlas Editora S.A., São Paulo

MARCONI, M. e LAKATOS, E. (2003) Fundamentos de Metodologia Científica, 5- Ed., São Paulo, EDITORA ATLAS S.A.

UDRGS (2009). Método de Pesquisa, Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

UP (2014) Regulamento Académico para os cursos de graduação e de pós-graduação, Maputo

[1] Mestrando em Ciências Politicas, Governação e Relações Internacionais pela Universidade Católica de Moçambique e em Análise e Programação da Comunicação Didática pela Universidade de Nantes, docente de Didática de Francês Língua Estrangeira na Universidade Pedagógica -Delegação de Quelimane.  

[2] Regulamento de Culminação do Curso da Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Inhambane- UEM, 2016

Revisado por Editor do Webartigos.com