"O HOMEM É AQUILO QUE A EDUCAÇÃO FAZ DELE."
 
"O HOMEM É AQUILO QUE A EDUCAÇÃO FAZ DELE."
 


INTRODUÇÃO:

A educação é uma exigência da vida em sociedade. Entre as diversas teorias que procuraram definir o conhecimento aparece a do filósofo Kant que sendo um dos pensadores da modernidade propõe à educação um meio, um instrumento para o homem chegar ao cerne mais profundo do "HOMEM", através de seus pensamentos. Nos sugere que o homem necessita de cuidados, diferentemente dos animais que precisam somente de nutrição, e estes cuidados são a forma como seremos educados, e o resultado veremos no produto final, o homem.

Observando os fatos históricos e filosóficos percebemos que muitas das idéias de Kant estão bem atuais, necessitando que alguém as tome na prática para realizar uma educação mais centrada nos educandos e preparando-os para serem felizes, não somente no lugar onde se encontram, mas cidadãos do mundo. Este artigo pretende analisar a frase de Kant: "O homem é aquilo que a educação faz dele". O filósofo afirma ainda que somente através da disciplina e moralidade, chegaremos a uma humanidade mais feliz e respeitosa com a coletividade.

DESENVOLVIMENTO:

A Educação ensina as pessoas a viverem em sociedade. Tudo o que se aprende e vivencia, agrega conhecimentos. Podendo ser transmitida através da oralidade e ou escrita, ao longo do tempo, quando questionada e vivenciada faz parte do conhecimento. Porém este processo não é possível individualmente, mas sobre os resultados dos conhecimentos produzidos em nível social. Encontramos a seguir a pedra ângular do pensamento pedagógico de KANT (1996, p.19):

"A educação é uma arte, cuja prática necessita ser aperfeiçoada por várias gerações. Cada geração, de posse dos conhecimentos das gerações precedentes, está melhor aparelhada para exercer uma educação que desenvolva todas as disposições naturais na justa proporção e de conformidade com a finalidade daquelas, e, assim, guie toda a humana espécie a seu destino".

A partir desta frase, podemos entender o que é educação na concepção do filósofo Kant, mas para nos aprofundarmos nos seus ensinos será necessário respondermos algumas questões: o que é conhecimento? Como se fundamentou as reflexões sobre o papel da educação neste processo? Quais as contribuições do filósofo Kant para a Educação? Acredito que ao respondermos estas questões, poderemos aprofundar nossos conhecimentos, analisando a frase de Kant quando afirma: "O homem só pode tornar-se homem pela educação". Somos convidados a refletir sobre a constante busca do homem para encontrar respostas, a estes e a outros questionamentos e pensamentos, então como diz o próprio Kant, "Não há filosofia que se possa aprender; só se aprende a filosofar". PILETTI(1991).

Para se viver bem, é necessário ter uma boa educação, adquirir conhecimentos para que munidos de informações todo homem possa viver melhor, sobreviver e ter dignidade. E neste processo atribui-se a Filosofia as muitas formas de pensar a educação, inclusive como um instrumento de transformação social, concorda-se com LUCKESI (1990, p. 33) quando afirma que, "a reflexão filosófica sobre a educação é que dá o tom a pedagogia, garantindo-lhe a compreensão dos valores que, hoje, direcionam a prática educacional e dos valores que deverão orientá-la para o futuro". Entende-se que o conhecimento é uma concepção da filosofia que deve ser exercida na prática para conseguir bons resultados na vida.

A contribuição da Filosofia se difere da ciência porque necessita da História. Ninguém pode iniciar um processo filosófico a partir do nada. É um eterno somar de contribuições de cada filósofo onde cada um ajuda na construção do conhecimento, que se refletirá na experiência humana, sempre direcionando as contribuições para a felicidade das novas gerações indo de encontro com o pensamento do professor japonês MAKIGUTI (2004: p.23)

"O objetivo da educação é preparar as crianças para se tornarem células responsáveis e saudáveis no organismo social, a fim de contribuírem para a felicidade da sociedade e, com isto, encontrarem sentido, propósito e felicidade em suas vidas".

As teorias sobre o conhecimento que se desenvolveram na Antiguidade e na Idade Média não colocavam em dúvida a possibilidade de conhecer a realidade tal qual ela é. Contudo o Renascimento, a partir do século XVII, Kant superando as teorias empiristas e racionalistas, propõe uma reforma, afirmando que o conhecimento só é possível por duas fontes: sensibilidade e entendimento. A sensibilidade representando a matéria e o entendimento o conhecimento.

As contribuições foram significativas neste processo. Sendo um marco a participação do Filósofo Immanuel Kant (1724-1804), alemão, considerado o último grande filósofo da era moderna. Ele defendia que a única saída para o homem era o conhecimento. Afirmava que o homem tinha preguiça de pensar, além de ser comodista. O homem não conseguiria sair da menoridade sozinho. Reforçando que o homem assim como uma criança: cresce e amadurece, tornando-se consciente da força e da inteligência para fundamentar sua própria maneira de agir. Sem a doutrina ou a tutela de outrem.

A educação foi a grande preocupação de Kant. Nas reflexões sobre a Educação trata sobre o assunto com muita dedicação. Defende a idéia de que o homem é o senhor de seu destino, mas não é nada sem a educação, afirmando que o homem é a única criatura que precisa ser educada. Sem a educação provavelmente estaria de lado, assim como qualquer animal irracional. Definindo filosoficamente o homem e sua necessidade da educação, ou como ele prefere chamar de necessidade metafísica, adquirindo educação o homem moralmente se torna homem, pela vertente da moralidade.

A Educação é responsável pela formação e transformação do homem fazendo-o exercitar a liberdade e autonomia, podendo se humanizar. Sendo necessário ainda, que o homem se transforme pela disciplina, ou fazer uso de um "conjunto de regras éticas para atingir um objetivo", definido por TIBA (1998: p.113). A disciplina é adquirida, definindo o papel do homem na terra: a busca da liberdade e da moralidade.

Para Kant todo homem tem necessidade de ser educado, pois nasce num estado bruto e precisa formar sua conduta (1996: p.12). Para se moldar precisa da educação. "A educação é o vetor do progresso, ela fornece a base para a esperança num plano de conjunto da evolução humana, de um progresso geral rumo ao melhor", como acredita MENEZES (2000:p118). Quando o homem acostuma-se com a liberdade de nada fazer, ou à sensação de que tudo pode, da ausência de limites, torna-se difícil educar.

Kant acredita que a educação deve iniciar antes da escola, em casa, com os pais, porém ele critica que muitos pais só pensam em posição social A criança deve aprender a não contrair alguns vícios e que não deve ser muito protegida, pois deve aprender por si própria. É importante pensar neste papel da família em nossos dias, a família tem uma função neste processo que não pode ser repassado para a escola. Pois esta, sózinha, não tem como atuar como deveria, sendo necessário a parceria: escola x pais numa continua interação.

Na escola a criança irá aprender conhecimentos que a ajudarão em sua moral. A educação escolar está submetida a regras e estas irão ajudar na boa formação do educando. Quando temos que cumprir com nossas obrigações. A instituição escolar lembra a cultura escolástica, sendo como um trabalho para a criança. Neste momento que aprende o que se pode e o que não se pode fazer, fazendo com que estas, assumam a responsabilidade pela própria vida.

Vemos refletido na sociedade, principalmente nas escolas a violência, a falta de disciplina, agressões, bullying, etc. Chegamos num mundo onde ninguém respeita ninguém e a escola poderá de alguma forma colaborar neste processo se puder ser mais humanizadora e construindo junto com o seu alunado as normas que a regem, não mais impostas como num regime militar, propiciando ao aluno participar do processo desta construção ele poderá multiplicar a educação recebida para outras gerações.

Cabe ao educador fortalecer a idéia de sujeito no educando, na criação do homem por ele mesmo, visando formar e transformar a sua natureza. A Educação é uma porta para a cidadania, percebendo que cada homem é diferente e que tem suas particularidades, irá contribuir para o desenvolvimento de sua racionalidade. Chegar de forma coletiva as Luzes é levar toda a humanidade pelo caminho da educação, enfrentado todas as barreiras. Quando nos reportamos aos pensamentos de Kant temos verdadeiro significado da cidadania e a possibilidade de vida digna para toda humanidade.

Vale ressaltar que o papel do educador é de total relevância, inclusive no que tange o exemplo da moralidade e disciplina e que além disto deve levar os seus alunos a uma educação que os leve a ter uma visão sempre melhor da humanidade. Outro fator relevante para afirmação de Kant é que estes jovens educandos devem ser ensinados a terem um compromisso com a melhoria da coletividade, superando até mesmo desejos individuais, desejando que cada homem vença os seus limites, tendo uma postura responsável diante do mundo. Termino aqui estas reflexões com alguns dos preceitos com que filósofo Kant finaliza suas lições:

"Deve-se orientar o jovem à humanidade no trato com os outros, aos sentimentos cosmopolitas. Em nossa alma há qualquer coisa que chamamos de interesse: 1.por nós mesmos;2.por aqueles que conosco cresceram; e por fim, 3. Pelo bem universal. (...) Eles devem alegrar-se pelo bem geral mesmo que não seja vantajoso para a pátria, ou para si mesmo. (...) É preciso orientá-los sobre a necessidade de, todo dia, examinar a sua conduta, para que possam fazer uma apreciação do valor da vida, ao seu término". (p. 106-107)

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Somente pela educação é que poderemos ter a experiência mais profunda do ser. A humanidade desde a antiguidade sempre foi sedenta pela verdade, mas muitas vezes procurou fora delas. A verdade está dentro de cada pessoa e a nossa contribuição como educadores é querer sempre mais o melhor para nós e para o próximo, ter idéias coletivas. A tese de Kant de levar o homem a ser Homem pela educação é realmente a única forma para tal experiência. A educação possibilita disciplinar a nós mesmos num processo de descobertas e questionamentos capazes de renovarmos a cada vez que tenhamos experiências de aprendizagem novas. Através da educação podemos olhar as mesmas coisas. porém com olhar diferente, sempre renovado.

REFERÊNCIAS:

KANT, Emmanuel. Crítica da Razão Prática. Tradução de Artur Mourão. Lisboa: Edições 70, 1986.
-----.Sobre a Pedagogia. Tradução de Francisco C. Fontenella. 2 ed. Piracicaba: Editora UNIMEP, 1999.
LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1990.
MAKIGUTI, Tsunessaburo. Educação para uma vida criativa. Rio de Janeiro: Record, 2004.
MENEZES, E. Kant e a idéia de educação das luzes. Educação e Filosofia, v14, nº 27/28.Uberlândia, 2000.
PILETTI, Claudino. Filosofia da Educação. 3 ed. São Paulo: Ática, 1991.

PILETTI, Claudino; PILETTI, Nelson. Filosofia e História da Educação. 6 ed. São Paulo: Ática, 1988.
TIBA, I. Disciplina: limite na medida certa. Rio de Janeiro:Zahar, 1998.
 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
7 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de José Eugênio Castro Fernandes
Talvez você goste destes artigos também