Ética em Computação: A Ética na Internet
 
Ética em Computação: A Ética na Internet
 


Rodolfo Teixeira Lima

Faculdade de Informática de Presidente Prudente (FIPP)  Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)

Rua José Bongiovani, 700  Cidade Universitária, CEP 19050-900  Presidente Prudente  SP - Brasil

Resumo:

Este artigo aborda o tema ética em computação com ênfase para a ética na internet. Nele será explicado como a ética é importante na sociedade e serão dados exemplos de condutas antiéticas na Internet. A pesquisa será desenvolvida a partir de dados colhidos na internet e livros.

1 Introdução

1.1 Origem do termo ética

"Ética é uma palavra derivada do grego (ethike) que é uma parte da filosofia que estuda os valores morais e os princípios ideais da conduta humana, conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão." (GRANDE Dicionário, 1995).

1.2 Definições de ética

SegundoMotta (1984, p. 69) a Ética baseia-se em uma filosofia de valores compatíveis com a natureza e o fim de todo ser humano, por isso, "o agir" da pessoa humana está condicionado a duas premissas consideradas básicas pela Ética: "o que é" o homem e "para que vive", logo toda capacitação científica ou técnica precisa estar em conexão com os princípios essenciais da Ética.

Ética, é uma palavra que gera diferentes conclusões e diferentes pontos de vista, pois uma conduta pode ser ética para uma pessoa e pode ser antiética para outra, dependendo da individualidade, dos princípios, dos costumes, de maneira geral de como aquela pessoa foi criada em determinada sociedade.

De acordo com Masiero (2000, p. 20), a ética é uma ramificação da filosofia que estuda o comportamento moral do ser humano, classificando-o como bom ou ruim, correto ou errado e que os conceitos éticos provavelmente surgiram quando o ser humano começou a viver em sociedade e aprendeu a identificar certos comportamentos como positivos ou negativos para o bem estar e segurança do grupo.

2 Desenvolvimento

O acesso a um grande número de informações disponível às pessoas, com idéias e culturas diferentes, pode influenciar o desenvolvimento moral e social das pessoas. A criação dessa rede beneficia em muito a globalização, mas também cria a interferência de informações entre culturas distintas, mudando assim a forma de pensar das pessoas. Isso pode acarretar tanto uma melhora quanto um declínio dos conceitos da sociedade, tudo dependendo das informações existentes na Internet. Estas informações estão disponíveis na Internet de várias formas.

Segundo Masiero (2000) os três principais serviços disponíveis na internet relativos à disponibilização de informações são a troca de mensagens, a transferência de arquivos e o acesso a informações armazenadas na WWW (Web, World Wide Web ou teia). Ainda no mesmo livro, Ética em Computação, Masiero discute pontos abordados no Livro de Weckert e Adeney (1997) sobre o uso ético da Internet: a liberdade de informação, a manipulação de imagens digitais e a censura. Esses três tópicos estão na raiz do problema de qual informação as pessoas podem ter acesso pela Internet e o que elas podem fazer sobre a manipulação de imagens pornográficas. Esta discussão pode auxiliar os provedores de acesso, que são comandados por profissionais da área de computação, sobre como se comportar em relação à censura de material armazenado no site, que é de responsabilidade dos usuários.

Segundo Weckert e Adeney (1997 apud MASEIRO, 2000), "... a liberdade de acesso à informação disponível na Internet envolve o direito de acesso e a habilidade de acessar. Esse direito leva ao tema da censura."

Segundo Masiero (2000), para justificar as conclusões dos autores (Weckert e Adeney) sobre a censura na Internet é preciso definir inicialmente o significado da palavra ofensa. Uma ofensa só pode causar dano a uma pessoa se ela se sentir ofendida. Muitas vezes a mesma frase dita a diferentes pessoas pode ofender umas e não ofender outras. Aqui serão citadas algumas situações que podem ofender algumas pessoas:

- linguagem sexualmente explícita, nudez, figuras etc.;

- ridicularização ou posição crítica sobre crenças e comportamentos, particularmente religiosos e políticos;

- linguagem racista ou sexista;

- a própria integridade.

Essas situações dão origem a quatro assuntos em que os materiais disponíveis na Internet são mais preocupantes e sobre os quais, com alta freqüência, é levantada a questão da censura: pornografia, linguagem odiosa, informação que pode apoiar atividades perigosas e "dano virtual". Embora não seja completamente diferente de outras áreas, a questão da censura na Internet envolve alguns elementos novos: a sua dimensão global, a facilidade com que os materiais são transmitidos e recebidos e a relativa privacidade de quem os divulgam.

A pornografia na Internet bombardeia nossas crianças, pré-adolescentes e jovens forçando uma precocidade sexual antinatural e perversa. Em princípio, esta pornografia estaria disponível em outros meios também, mas a divulgação rápida e o difícil controle é o que mais preocupa.

Os materiais com linguagem odiosa são provenientes de grupos que divulgam mensagens de ódio e racismo sem nenhum controle, algo que não conseguiriam usando outras mídias. As informações que podem apoiar atividades consideradas perigosas para o ser humano ou ao meio ambiente podem ser as mais variadas possíveis como, por exemplo, instruções sobre como fabricar bombas. (MASIERO, 2000).

O "dano virtual" é aquele que ocorre no mundo real devido a acontecimentos no mundo virtual. È o caso de joguinhos violentos. Crianças passam horas matando uns aos outros no espaço virtual. O jogo em sim, não irá tornar uma criança ou um adolescente, uma pessoa mais violenta. Mas aqueles que já tiverem uma predisposição para violência e não tiverem uma base familiar, sentirão mais confortáveis em cometer um ato criminoso depois de jogarem esses jogos violentos.

Outro ponto a ser levantado é a manipulação de imagens na Internet. Hoje em dia com vários softwares de edição de imagens disponíveis na Internet e de forma gratuita, fica mais fácil de manipular imagens e jogar estas na rede. Isto corresponderia a uma forma de mentira e de engano, e se as imagens causar danos a terceiros, pode estar sujeito a censura.

Mais um ponto a ser levantado são as mensagens eletrônicas. São mensagens pessoais e que não podem ser violadas. São mensagens comuns, como cartas, correspondência via correio e, portanto não podem ser lidas ou abertas antes de chegar ao seu destino. Algumas empresas colocam clausulas nos contratos dos empregados alertando que as mensagens eletrônicas utilizando equipamentos da empresa poderão ser violadas e lidas a qualquer momento sem a autorização do remetente. Mas mesmo com essa clausula a empresa pode encontrar problemas se questionada judicialmente.

Segundo Overly (1999 apud MASIERO, 2000), que escreveu um livro a respeito, sugere que as empresas devem ter um documento interno que defina claramente as políticas da empresa sobre esse assunto. Esta seria a melhor maneira de evitar problemas que eventualmente acabam transformando-se em casos judiciais que prejudicam a empresa. Dentre as recomendações que tal documento deve ter, destacamos as seguintes:

  • deixar claro que os arquivos e mensagens dos empregados podem ser revisados a qualquer momento, sem aviso prévio;
  • que os funcionários não devem esperar que qualquer conteúdo que eles criem, armazenem, enviem ou recebam em seus computadores (na empresa) sejam privados;
  • deixar claro que os computadores que os empregados usam pertencem à empresa e só devem ser usados para propósitos profissionais, e
  • que as mensagens eletrônicas devem ser escritas e enviadas com o mesmo cuidado que qualquer outra forma de comunicação comercial.

2.1 Exemplos de Casos de falta de ética na Internet

Muitos crimes na internet estão associados à pedofilia, envolvendo a prostituição e a divulgação de fotos pornográficas de menores.

Também têm sido constantes os problemas sobre difamação em sites de relacionamento bem como a apologia de atos ilícitos e também a divulgação dos mais diversos tipos de preconceitos.

Outra questão importante refere-se aos crimes bancários e financeiros praticados na Internet. No Brasil, segundo o jornal O Globo, o quadro é preocupante.

Em 2004, foram registrado 4.015 casos, sendo 5,3% registrados no Cert.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil). Em 2005, o número de casos passou para 27.292, um aumento de 500% em relação a 2004. Estima-se que houve prejuízo de cerca de R$ 300 milhões sofrido pelos usuários, um aumento de 50% em relação a 2004. Desta vez, os registros de fraudes no Cert.br corresponderam a 40,13% do total.

Os crimes mais usuais na rede incluem o envio de e-mails com pedidos de atualização de dados bancários e senhas (phishing). Da mesma forma, e-mails referentes a listas negras ou falsos prêmios também são práticas comuns, bem como o envio de arquivos anexados. Especialistas indicam que é melhor não abrir arquivos com extensões consideradas perigosas, como ".exe", ".scr" ou qualquer outra extensão desconhecida, por servirem de verdadeiras portas de entrada para vírus de computadores, os quais causam estragos ou roubam, via spywares, informações sobre os usuários. No entanto, é de senso comum que os chamados "cookies" são inofensivos, uma vez que o objetivo deles é reunir dados estatísticos (como sítios mais acessados), utilizados por sítios, como, por exemplo, o Alexa.

Ademais, em 2004, os prejuízos com perdas causadas por fraudes virtuais foram de 80% em relações às perdas por razões diversas." (WIKIPEDIA, 2008).

3 Conclusão

São muitos os interessados em economia, ciência e arte, num mundo onde o dinheiro, a tecnologia e a beleza aparecem como valores supremos. A moral tem sido colocada em plano secundário, se é que tem sido considerada em alguma escala.

Todos têm noções de ética, respeito, limites, mas na busca de uma vantagem, ou até mesmo por simples prazer, muitos profissionais de informática desrespeitam, infringem e saem da ética. Para isso é que devemos nos precaver.

Ter cuidados que, sem a infração da ética, não seriam necessários. Devemos ter cuidado ao disponibilizar nossos dados na Internet, pois alguém pode pegá-los e fazer mau uso deles, isso significa dificuldade em se fazer comércio eletrônico.

Tudo que cai na grande rede de computadores (Web) pode ser copiado, mas não deveria ser. Seria muito mais fácil se nunca ninguém alterasse ou copiasse dados alheiros e/ou outras coisas disponíveis na Internet. Não precisaríamos de senhas, firewalls ou de qualquer outro mecanismo de segurança. Mas porque isso não acontece? Isso vem de mentalidade, de criação, de berço.

É na sua criação que é formado o seu caráter. Vem de cada pessoa, de cada opinião. Isso serve tanto para os profissionais quanto para as empresas.

Referências

SILVA, D. D. R. Ética na computação. Disponível em:

<http://disciplinas.dcc.ufba.br/svn/MATA68/2008.1/DiegoDias_RobsonSilva/DiegoDias_RobsonSilva_Artigo.pdf?revision=55>. Acesso em: 20 nov. 2008a.

GOLDIM,José Roberto. Ética.Disponível em: <http://www.ufrgs.br/bioetica/etica.htm>. Acesso em: 20 nov. 2008.

SILVA, Marcelo Kapczinski da. Ética do profissional da informática. Disponível em: <http://www.inf.ufes.br/~fvarejao/cs/etica.htm>. Acesso em: 20 nov. 2008b.

WIKIPÉDIA. Ética na Internet. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet>. Acesso em:09 dez. 2008.

MASIERO,Paulo Cesar. Ética em computação. São Paulo: EDUSP, 2000.

MOTTA, Nair de Souza. Ética e vida profissional. Rio de Janeiro: Âmbito Cultural Edições, 1984.

 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Eu sou o Rodolfo, estudante de Tecnologia da Informação.
Membro desde dezembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: