As Vantagens das Práticas de Responsabilidade social para as Empresas
 
As Vantagens das Práticas de Responsabilidade social para as Empresas
 


RESUMO: Hoje ocorre uma mudança simbólica no mercado, algumas empresas já estão mudando a sua atuação para inibir a concorrência ou por ter ciência do seu papel perante a sociedade, tornando-se mais responsável no campo social. Pode-se perceber que este processo ainda está lento, mais aos poucos o pensamento que só o Estado tem a responsabilidade, vai perdendo espaço, esse avanço só não é mais rápido porque muitas empresas confundem Responsabilidade Social com filantropia, outras ainda não sabem com trabalhar essa questão ou não está bem estruturada para desenvolver o papel de uma empresa Socialmente Responsável, isso acaba dificultando o resultado no processo de desenvolvimento das comunidades. Quando a empresa seja ela micro ou de médio porte, trabalha a questão da responsabilidade social, ela consegue alguns objetivos como crescimento no mercado e ainda contribui para o desenvolvimento da sociedade. Com isso aumenta o número de cliente, pois hoje eles estão mais exigentes, não querem só consumir um produto ou adquirir uma marca, mas contribuir para futuramente ter uma sociedade mais justa.

PALAVRAS CHAVE: Responsabilidade Social, Empresa, Vantagens, Filantropia e Sociedade.

INTRODUÇÃO

A vida de uma empresa é fundamental para o mercado e para economia, toda empresa gera emprego e promove o sustento de várias famílias, direta ou indiretamente. É fundamental a responsabilidade da empresa, mas isso não quer dizer que todas as empresas são responsáveis.

A responsabilidade social se apresenta como um tema cada vez mais importante no comportamento das organizações, exercendo impactos nos objetivos, estratégias e no próprio significado da empresa, essa contribuição no sentido de uma compreensão da importância desta estratégia e dos benefícios que a mesma pode trazer para a corporação, quando aplicada corretamente.

A metodologia adotada para elaboração deste Artigo foi pesquisa explicativa por abordar as vantagens da prática da Responsabilidade Social para as empresas e pesquisa bibliográfica, por se apoiar em consultas a livros e redes eletrônicas (MATIAS e ALEXNDRE FILHO, 2006).

1. CONCEITUAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Algumas empresas confundem Responsabilidade social com Filantropia. Mas o que é Responsabilidade Social? O termo "responsabilidade social" encerra sempre a ideia de prestação de contas: alguém deve justificar a própria atuação perante o outro.

Durante muito tempo, foi entendido, em uma visão tradicional, com sendo a obrigação do administrador de prestar contas dos bens recebidos por ele. Ou seja, economicamente, a empresa é vista como uma entidade instituída pelos investidores e acionistas, com objetivo único de gerar lucros. Entretanto, tal perspectiva está mudando no mundo contemporâneo. (MAS O QUE È RESPONSABILIDADE, 2009).

___________________________

* Aluna do Curso de Pós Graduação de 3º Setor e Responsabilidade Social da Universidade Estácio de Sá, E - mail: [email protected]

A empresa não se resume exclusivamente na capital, e que sem os recursos naturais (matéria prima) e as pessoas (conhecimento e mão de obra), ela não gera riquezas, não satisfaz ás necessidades humanas, não proporciona o progresso e não melhora a qualidade de vida. Por isso, afirma-se que a empresa está inserida em um ambiente social. Mas ainda existe empresa com a visão equivocada, menos humana.

Atualmente, a intervenção dos diversos atores sociais exige das organizações uma nova postura, em relação aos valores éticos que promovam o desenvolvimento sustentando a sociedade como um todo. A questão da responsabilidade social vai, portanto, além da postura legal da empresa, da prática filantrópica ou do apoio à comunidade. Significa mudança de atitude, numa perspectiva de gestão empresarial como foco na qualidade de das relações e na geração de valor para todos. É importante ressaltar que a responsabilidade social é, ainda um processo em crescimento em vários países do mundo e, principalmente no Brasil.

Para Ashley (2005, p. 11 - 12)

A Responsabilidade social pode ser definida como compromisso que uma organização deve ter com a sociedade, expresso por meio de atos e atitudes que afetem positivamente, de modo amplo, ou alguma comunidade, de modo específico. Assim, numa visão expandida, Responsabilidade Social é toda e qualquer ação que possa contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

Para Fróes e Melo Neto (2001), a Responsabilidade Social é uma conduta que vai da ética nos negócios ás ações desenvolvidas na comunidade, passando pelo tratamento dos funcionários e relações com fornecedores e clientes.

A questão da participação das empresas privadas na solução de necessidades públicas está nas pautas das discussões atuais. Embora alguns defendam que a responsabilidade das empresas privadas na área pública limita-se ao pagamento de impostos e ao cumprimento das leis trabalhistas, fiscais, etc.,crescem os argumentos de que seu papel não pode ficar restrito a isso, até por uma questão de sobrevivência das próprias empresas. Outro argumento é o fato de que adotar posturas éticas e compromissos sociais com a comunidade pode ser um diferencial competitivo e um indicador de rentabilidade e sustentabilidade em longo prazo.

1.1 COMO É REALIZADA A RESPONSABILIDADE SOCIAL DA EMPRESA

Para Ferrel (2001): a responsabilidade social empresarial é composta por um conjunto de quatro dimensões, em ordem decrescente de prioridade:

  • A responsabilidade econômica

È maximizar a riqueza para os stakeholders. Ou seja, uma empresa tem o dever ético e legal de gerar lucro para acionistas, benefícios para os empregados e desenvolvimento para a comunidade. A empresa está utilizando os recursos da sociedade e deve gerar resultados positivos. Ela tem que ser produtiva e rentável.

Essa forma de perceber o negócio da empresa provocou uma forma de mudança no comportamento do empresariado que estava acostumado a beneficiar apenas os acionistas e gestores.

  • A responsabilidade legal

É cumprir com todas as leis determinadas pelo Estado para seu tipo de empreendimento.

É o mínimo que se pode cobrar de uma empresa. Para operar em algum lugar ela obedece ao poder legal estabelecido, ou seja, o Estado que lhe concede o direito de atuar em uma região. A contrapartida são os deveres que tem que cumprir.

Não faz sentido uma empresa investir recursos em projeto social e estar em débito com INSS, não pagar imposto de renda ou desmatar, quando a legislação não permitir.

  • A responsabilidade ética

É seguir os padrões de conduta aceitáveis da maneira definida pelos stakeholders.

  • A responsabilidade Filantrópica

É a restituição à sociedade do que foi recebido dela.

Se uma empresa atua em uma região explorando seus recursos (mão de obra, matéria prima, infra estrutura) nada mais justo do que estar envolvida na melhoria do ambiente social.

2. DIFERENÇA ENTRE RESPONSABILIDADE SOCIAL E FILANTROPIA

Responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais. (O QUE É RESPONSABILIDADE , 2009).

A filantropia é basicamente uma ação social externa da empresa, que tem como beneficiária principal a comunidade em suas diversas formas (conselhos comunitários, organizações não-governamentais, associações comunitárias etc.) e organizações.

A responsabilidade social é focada na cadeia de negócios da empresa e engloba preocupações com um público maior (acionistas, funcionários, prestadores de serviço, fornecedores, consumidores, comunidade, governo e meio ambiente), cuja demanda e necessidade a empresa deve buscar entender e incorporar aos negócios. Assim, a responsabilidade social trata diretamente dos negócios da empresa e de como ela os conduz. (MAS O QUE É RESPONSABILIDADE, 2009)

As diferenças entre a filantropia e a responsabilidade social, podem ser evidenciadas, conforme apresentado no quadro a seguir.

Quadro 1  Diferenças entre Filantropia e Responsabilidade Social

Filantropia

Responsabilidade Social

Ação individual e voluntária

Ação coletiva

Fomento da Caridade

Fomento da cidadania

Base assistencialista

Base estratégica

Prescinde de Gerenciamento

Demanda gerenciamento

Decisão Individual

Decisão coletiva

Fonte: Fróes e Melo Neto (2001)

3. A RESPONSABILIDADE COMO DIFERENCIAL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS QUE A PRATICAM

A pequena empresa que adota a filosofia e práticas da RSE tende a ter uma gestão mais consciente e maior clareza quanto à própria missão. Consegue um melhor ambiente de trabalho, com maior comprometimento de seus funcionários, relações mais consistentes com seus fornecedores e clientes e melhor imagem na comunidade. Tudo isso contribui para sua permanência e seu crescimento, diminuindo o risco de mortalidade, que costuma ser alto entre os novos negócios. Ao assumirem uma postura comprometida com a Responsabilidade Social Empresarial, micro e pequenos empreendedores tornam-se agentes de uma profunda mudança cultural, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e solidária, conforme Ashley (2005).

No Brasil, o movimento da Responsabilidade Social Empresarial ganha força a partir dos anos 1990. Junto com ele, o mercado também vem evoluindo, com a exigência de ética e transparência nos negócios. Segundo Costa (2007), os desafios que hoje se apresentam aos micro e pequenos também representam ótimas oportunidades de negócio, ampliando a participação de pequenas empresas no mercado. A gestão socialmente responsável e os novos valores sociais abrem espaço para o surgimento de novos negócios, como, por exemplo, o desenvolvimento de produtos e serviços ambientalmente sustentáveis.

A maneira como as empresas realizam seus negócios define sua maior ou menor Responsabilidade Social Empresarial. O conceito da RSE está relacionado com a ética e a transparência na gestão dos negócios e deve refletir-se nas decisões cotidianas que podem causar impactos na sociedade, no meio ambiente e no futuro dos próprios negócios. De um modo mais simples, pode- se dizer que a ética nos negócios ocorre quando as decisões de interesse de determinada empresa também respeitam o direito, os valores e os interesses de todos aqueles que, de uma forma ou de outra, são por elas afetados. (RS EMPRESARIAL , 2009).

Assim, uma empresa pode oferecer o melhor produto ou serviço imaginável para seus consumidores e clientes, mas não estará sendo ética em suas relações com a sociedade se, por exemplo, no desenvolvimento de suas atividades não se preocupar com a poluição que gera no meio ambiente. Transparência é outro conceito que muito tem a ver com ética. A falta de transparência na condução dos negócios pode prejudicar não só clientes e consumidores, mas também a própria empresa. Se ela sonega, por exemplo, uma informação importante sobre seus produtos e serviços, poderá ser responsabilizada, mais tarde, por omissão. (RS EMPRESARIAL, 2009).

Responsabilidade Social Empresarial, portanto, diz respeito à maneira como as empresas realizam seus negócios: os critérios que utilizam para a tomada de decisões, os valores que definem suas prioridades e os relacionamentos com todos os públicos com os quais interagem.

CONCLUSÃO

A Responsabilidade Social não é só um pensamento é uma atitude que todas as empresas deveriam ter ou adotar, não só como um diferencial para o mercado, mas uma forma de transformação de todos envolvidos, a sociedade em si.

Ainda há muito a evoluir, por ser um tema novo, ainda pouco conhecido por algumas empresas, sobretudo para as micros e pequenas empresas. Até mesmo as Grandes Empresas não trabalham melhor o seu lado de empresa Responsável Socialmente, muitas vezes se perdendo no caminho do Marketing Social e deixando de contribuir efetivamente para a transformação de uma sociedade mais justa e equilibrada.

Uma empresa com Responsabilidade Social é um grande avanço para um país emergente, significa que os lucros das empresas estão sendo repartidos com a sociedade, uma evolução para a sociedade atual, mas quando isso não ocorre gera-se mais miséria, de todas as formas, da cultura à fome do povo.

REFERÊNCIAS

ASHLEY, Patrícia Almeida. Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Editora Saraiva, 2005.

COSTA, Eduardo Homem da. Fundamentos de responsabilidade social empresarial. Rio de Janeiro, Editora La Salle 2007.

FERREL, O. C. Ética empresarial: dilemas, tomadas de decisões e casos. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2001.

FRÓES, César, Neto, Francisco Paulo de Melo. Gestão da responsabilidade social corporativa: o caso brasileiro: da filantropia tradicional à filantropia de alto rendimento e ao empreendedorismo social. Rio de Janeiro: Qualymark, 2001.

MAS O QUE É RESPONSABILIDADE social? Disponível em: Acesso em: 04 dez. 2009.

MATIAS, Antonio; ALEXANDRE FILHO, Sylvio Moreira. Monografia: do projeto à execução. Rio de Janeiro: IOB/Thompson, 2006.

O QUE É RESPONSABILIDADE social empresarial? Disponível em: Acesso em: 16 dez. 2009.

RESPONSABILIDADE não é filantropia. Disponível em: Acesso em: 20 dez. 2009.

RS EMPRESARIAL para micro e pequena empresa. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2009.

 
Avalie este artigo:
5 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Cristiane Duarte da Silva - Nasci no RJ - Brasil, no dia 23 de maio de 1983, sou formada em Serviço Social, atualmente faço Pós Graduação em Terceiro Setor e Responsabilidade social. Meu primeiro trabalho acadêmico foi a monografia sobre População de rua do Município de São João de Meriti.
Membro desde fevereiro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: