AS INFLUÊNCIAS DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

INTRODUÇÃO

O mundo globalizado passa por diversas transformações ao logo do tempo; a cada dia que passa as mudanças e as evoluções ficam mais comuns entre os homens, levando-o a desenvolver cada vez mais sofisticadas técnicas de aperfeiçoamento em seu trabalho, estudo e conhecimento, para que possa suprir suas necessidades ou facilitá-las no meio em que vive. As evoluções ocorrem de forma rápida, decorrente da razão das inovações tecnológicas incorporadas na vida humana; principalmente nos meios de educação por ser o elemento fundamental de conhecimentos e informações do homem perante a sociedade. Atualmente a gestão escolar vive em contato direto com as facilidades e comodidades projetada pela tecnologia inserida nas várias formas de aprendizagem.

Livro relacionado:

A tecnologia é concebida de maneira ampla, com métodos e técnicas criados para o melhor desenvolvimento do ensino em sala de aula, e também para que o aluno possa assimilar o conhecimento adquirido com maior rapidez e eficácia. É abrangente e destina-se a suprir as necessidades humanas, pode ser compreendida de diversas formas e jeitos, caracterizando uma evolução no conceito sobre o ensino/aprendizagem dentro da escola. Os avanços tecnológicos permitiram que o ensino e a aprendizagem se desenvolvessem de forma sistemática com ênfase na dinâmica e aperfeiçoamento dos conhecimentos através de meios interativos principalmente a internet e o computador. A tecnologia estendeu a capacidade de comunicação do homem, contudo, adquiriu uma autonomia na sociedade e passou a ser indispensável tanto nas escolas como nas moradias. Foi a responsável pelo aumento da capacidade de obter informações, permitindo a constante busca aos avanços tecnológicos no campo profissional em diversos setores. A tecnologia trouxe à sociedade varias vantagens e benefícios destinados aos estudos, conhecimentos e práticas, assim como revolucionou métodos e meios pelo qual os professores passaram a ser muito mais dinâmicos e motivacionais ao ministrarem suas aulas. A influencia da tecnologia desencadeou um processo interativo e avançado na educação, com distintas maneiras de se aprender, métodos organizados e elementos componentes de uma farta produção de conhecimentos. Porém a tecnologia não é dotada de perfeições quanto à suas vantagens e objetivos, o homem com suas habilidades começa a questionar a fundo se realmente a facilidade encontrada nos avanços tecnológicos são destinados ao prestigio ou à alienação, a ponto de descobrir que a tecnologia na educação provoca grandes desvantagens, pontos negativos e manipulação nos relacionamentos interpessoais, comunicação e práticas de ensino dentro e fora da escola.

1 TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

O homem desde sua existência sente que precisa acreditar e criar algo; precisa pensar, analisar e suportar desafios para crescer e fortalecer sua convicção de poder e capacidade podendo assim transformar o meio em que vive. A tecnologia em seu sentido mais amplo se aplica a aquilo que não existindo na natureza, o homem a capacidade de inventar, expande seus poderes e domina a natureza e tornar seu trabalho mais fácil. Os estudiosos debatem há tempos as fronteiras entre ciência e tecnologia. Pela definição clássica, tecnologia é a aplicação prática do conhecimento científico em produtos e processos utilizados para a solução de problemas do dia a dia. Enquanto a ciência busca compreender o mundo natural, a tecnologia tenta fazer uso das forças e dos elementos que atuam nesse mundo ou controlar suas manifestações. Se a ciência é movida pela curiosidade humana, a tecnologia avança impulsionada pelas necessidades sociedade. (ALMANAQUE Abril, 2010, p.164). Tecnologia não é apenas instrumento ou equipamento a ser utilizado, são também meios, métodos, técnicas pelas quais se evolui o conhecimento humano. A tecnologia é hoje parte inerente da vida do ser humano de modo que não se consegue viver separado dela, assim vem sendo desenvolvida há vários anos, a cada época o homem acrescenta métodos ainda mais revolucionários neste campo, coincidentemente trazendo benefícios e incertezas a humanidade. A tecnologia tem e teve, em todas as sociedades, um papel substancial no domínio da natureza, no controle do ambiente e na resolução dos problemas. As aplicações tecnológicas tornaram mais fácil e rica a vida dos seres humanos. Mas, além dessa perspectiva ligada ou vinculada à melhoria específica, não deixaram de se produzir fenômenos em virtude dos quais a tecnologia parece evoluir sem seguir uma pauta que a vincule, sem qualquer dúvida, à melhoria das condições de vida das pessoas. A tecnologia parece ter vida própria e evoluir conforme interesses que se justificam mais em razões políticas e econômicas ou em interesses parciais do que na busca de soluções para problemas gerais (SANCHO; HERNÁNDEZ, 2006, p. 131). Cada vez mais a tecnologia tem feito parte da vida do homem, tanto nas invenções para o bem comum como para os meios coletivos, um exemplo: Os meios de telecomunicações, que chegam a lugares restritos por barreiras geográficas. A globalização faz com que haja interação e utilização dos meios tecnológicos, ou seja, os caminhos se abrem à mudança e evolução, principalmente pela necessidade de transformação no ensino e na escola. De acordo com Sancho e Hernández (2006, p. 131): As tecnologias da informação e comunicação indicaram grandes e positivas mudanças nas formas de se comunicar, relacionar e viver em sociedade. Desde o surgimento da informática, por exemplo, são muitas as expectativas geradas (e, em grande parte, satisfeitas) sobre seu potencial para obter a individualização e melhoria das aprendizagens, o alcance da intervenção educativa e os êxitos dos alunos com necessidades especiais. O conhecimento da tecnologia foi pausadamente incorporado há educação e ao ensino, fundamentado na necessidade em obter melhores e maiores resultados a partir da conscientização e conhecimento dos alunos, além de visar melhor aprimoramento para o mercado de trabalho. A transformação ocorreu devagar com expectativas que se fosse diferenciado o ensino, além de ser inovação para grandes aprendizados. As tecnologias da informação e comunicação estão ai e ficarão por muito tempo, estão transformando o mundo e deve-se considerá-las no terreno da educação. As tecnologias da informação e comunicação não são neutras. As tecnologias da informação criaram tantas expectativas no terreno da educação porque são vistas como o motor de inovação pedagógica (SANCHO; HERNÁNDEZ, 2006, p. 18). Com a incorporação da tecnologia na educação, o ensino passou a ter métodos diferenciados, na visão de muitas pessoas o aprendizado e os processos de ensino ganharam mais qualidade e inovação, melhorando o conhecimento e qualificando alunos. Sancho e Hernández (2006, p. 19), pesam que "muitas pessoas interessadas em educação viram nas tecnologias digitais de informação e comunicação o novo determinante. A nova oportunidade para repensar e melhorar a educação". Diante disso, a tecnologia esta cada vez mais inserida na educação mostra-se um novo aparato de descobertas, conscientizando o meio educacional de que evolução é um processo de adaptação contínua que não para e não deve ficar desatualizado, por tanto deve ser investigado e estudado para que os verdadeiros objetivos sejam alcançados.

1.2 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO

A educação não é um simples conhecimento, ela engloba muito mais; é um processo de ensinar e aprender existente em qualquer sociedade e civilização de formas diferenciadas, com valores distintos, ela é responsável pela socialização dos modos culturais, de ser, de agir e pensar necessários a convivência cultural dos povos. "A educação não é vista, assim, como um mero adorno do espírito, mas como uma forma de cultura e comunicação substantivas, que intenta ser um meio para uma mudança da condição humana" (ALMEIDA, 1987, p. 50). A educação exerce um papel muito importante na vida do homem, através dela o individuo se adapta a sociedade, nos espaços de convívio social e também nos relacionamentos interpessoais. De acordo com Lima e Aita (2007, p.1), "a educação é a base formadora de toda e qualquer sociedade, é ela que permite a organização de um grupo, para que essa possa se estabelecer no meio em que vive". A educação ocorre tanto no meio social, na organização de grupos, em sociedades com a convivência e relações entre pessoas; como também na prática formal que ocorre nos espaços escolares desde a educação infantil até o doutorado, desse modo, a educação também exerce forma específica através de métodos de ensino comunicados na escola. "O educar, ensinar a ler, interpretar, comunicar, relacionar, debater, posicionar-se, dar elementos para opções das mais diversas ordens, tudo isto não se faz apenas com conteúdos trabalhados, mas também através das formas de educação" (ALMEIDA, 1987, p. 50). Em tempos atrás, ao pensar em educação ou educar, pensava-se na idéia de uma sala repleta de alunos o professor na frente, com giz na mão escrevendo no quadro negro. "Antigamente, a educação era composta por um professor ativo e alunos passivos, ou seja, o docente era o mentor do conhecimento, detentor de todo o saber" (LIMA; AITA, 2007, p.1). No passado era essa a realidade dentro das escolas, o conhecimento, a aprendizagem era transmitida através do mecanismo da fala e escrita com o auxilio de livros e apostilas de forma rudimentar e simples. Anos setenta, nas escolas da rede pública, não se contava sequer com um telefone, que na época já era muito necessário; em caso da necessidade de um contato mais rápido com os órgãos responsável pela educação no estado ou dentro do próprio município; para imprimir um material, como provas de alunos se usava o antigo mimeógrafo, a tinta ou a álcool, os requerimentos de matrículas já chegavam prontos da Secretaria de educação do estado, o que demorava dias para chegar, pela dificuldade de transportes daquela época, a parte de digitação era toda feita em máquina de datilografar, que os alunos de hoje nem conhecem mais, mas, que teve grande contribuição na educação, pois, sem ela nenhum documento oficial se elaborava; as correspondências chegavam através de malotes (via correios), televisão, jornais impressos, nem se pensava nas escolas, era um isolamento quase que total; livros só o do professor e no máximo, o de língua portuguesa para cada aluno, as outras disciplinas, o professor tinha que copiar tudo no quadro-negro

[...]

 
Download do artigo
Revisado por Editor do Webartigos.com
Leia outros artigos de Valéria Maesta
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Graduada em Secretáriado Executivo Trilingue - Acadêmica do curso de História.
Membro desde março de 2011