A IMPORTÂNCIA DA BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO PARA A GESTÃOAMBIENTAL INTEGRA...
 
A IMPORTÂNCIA DA BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO PARA A GESTÃOAMBIENTAL INTEGRADA
 


Érica Lílian de Carvalho

Davi de Miranda

Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI

Curso/Habilitação em Geografia (GED0611)-Análise e Gestão de Bacias Hidrográficas

21/08/09

RESUMO

Nas ultimas décadas o homem vem se conscientizando que a água é um bem finito e que sem ela não podemos mais viver. Sua preocupação se dá a partir do momento em que a escassez da água provoca danos tanto ao meio ambiente quanto a ele próprio. Estudiosos de Recursos Hídricos definiram a bacia hidrográfica como unidade de analise,planejamento e gerenciamento mais eficaz para caracterizar e combater os impactos ambientais.

Palavras-chave: Bacias Hidrográficas; Planejamento; Gerenciamento.

1 INTRODUÇÃO

Podemos considerar a Bacia Hidrográfica como um abastecimento, no qual a utilização da água tem um ótimo proveito e o mais importante sem o desperdício. A crescente demanda pelo uso de recursos naturais foi acompanhada nas ultimas décadas pela preocupação com a qualidade e a quantidade desses recursos. Dessa forma, cresceu enormemente o valor da bacia hidrográfica como unidade de analise e planejamento ambiental.

Este artigo tem por finalidade apresentar de maneira sistematizado o conceito de bacia hidrográfica. A principio foram realizados estudos bibliográficos que tratam o assunto, e posteriormente, discussões e reflexões que resultaram na elaboração desse trabalho.

2 DEFINIÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA

A Bacia Hidrográfica foi definida segundo Guerra (1978, p. 48), como um conjunto de terras drenadas por um rio principal e seus afluentes. Inúmeros esquemas ou representações gráficas deixam também de apresentar, por exemplo, os limites internos do sistema de uma Bacia Hidrográfica, por onde circula e atua grande parte da água envolvida. Para não ocorrer em tais equívocos, é possível definir Bacia Hidrográfica como:

...um sistema que compreende um volume de materiais predominantes

sólidos e líquidos, próximo a superfície terrestre, delimitado interno

e externamente por todos os processos que, a partir do fornecimento

de água pela atmosfera, interferem no fluxo de matéria e de energia

de um rio ou de uma rede de canais fluviais. Inclui, portanto, todos os

espaços de circulação, armazenamento e de saídas de água e do

material por ela transportado, que mantém relações com esses canais.

(Rodrigues e Adami,Venturi, 2005,p.147-148).

A idéia de bacia hidrográfica está associada à noção da existência de nascentes, divisores de água e características dos cursos de água, principais e secundários, denominados afluentes e subafluentes. Uma bacia hidrográfica evidencia a hierarquização dos rios, ou seja, a organização natural por ordem de menor volume para os mais caudalosos, que vai das partes mais altas para as mais baixas (TUCCI, MENDES, 2006).

Em resumo podemos entender a bacia hidrográfica como uma área que funciona como um funil, toda a água que cai com a chuva escorre para um único lago ou rio.

2 BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO

A bacia hidrográfica como unidade de planejamento já é de aceitação mundial, uma vez que esta se constitui num sistema natural bem delimitado geograficamente, onde os fenômenos e interações podem ser integrados, assim bacias hidrográficas podem ser tratadas como unidades geográficas, onde os recursos naturais se integram Além disso, constitui-se uma unidade espacial de fácil reconhecimento e caracterização, considerando que não há qualquer área de terra, por menor que seja, que não se integre a uma bacia hidrográfica e, quando o problema central é água, a solução deve estar estreitamente ligada ao seu manejo e manutenção. (Santos, 2004, p. 40-41).

Para o planejamento de uma bacia hidrográfica é fundamental considerar a mudança de paradigma de um sistema setorial, local e de respostas à crise para um sistema integrado, preditivo, e em nível de ecossistema. Isso deverá resultar em um diagnóstico mais abrangente dos problemas e deverá incorporar os aspectos sócio-econômicos para que se possa desenvolver um bom planejamento.

Na abordagem tradicional a gestão dos recursos hídricos sempre foi compartilhada e não integrada. Um longo tempo foi necessário para que os engenheiros iniciassem sua interação na gestãodas águas. O tratamento da água, na abordagem tradicional da engenharia advém da concepção de que com a tecnologia qualquer água é possível ser transformada em água potável. Mesmo sendo verdade, os altos custos do tratamento tornam inviável a produção de água potável.

3 PREMISSAS PARA GESTÃO INTEGRADA

A evolução dos sistemas de gerenciamento de recursos hídricos para o gerenciamento integrado de bacia hidrográfica transcende os aspectos hidrológicos, demográficos, sociais e econômico e abrange considerando sobre a conservação de habitat e espécies fluviais e ecossistemas adjacentes(MASSOUND, 2004).

A zona costeira constitui parte essencial de baixas exorreicas e sua sustentabilidade depende, em parte, das abordagens de gestão adotada no âmbito das bacias. Nesse contexto, a contínua provisão de bens e serviços ambientais proporcionado pela zona costeira e a saúde dos subsistemas costeiros demandam a adoção de estratégias integradoras em termos espacial, temporal, intersetorial, política e institucional e interdisciplinar.

Como premissa básica para gestão integrada de bacias hidrográfica e zona costeira é imprescindível reconhecer os componentes da grande fluvio-marinho.

De acordo com Ray e Hayden (1992), o grande fluvio-marinho pode ser compreendido de forma ecótones costeira, que consistem em transições entre ecossistema adjacentes com características definidas em escalas espaciais e temporais e pela intensidade das interações entre os sistemas ecológicos adjacentes. As transições ocorrem em componentes terrestre e marinho, através de fluxos hidrológicos de água doces e salinas, sedimento em suspensão, substancia dissolvido e espécie biológicas.

4 CONCLUSÃO

A sociedade como um todo acaba por sofrer as conseqüências de um problema nascido de sua relação com o meio ambiente. Os grandes problemas que emergem da relação da sociedade com o meio ambiente são densos, complexos e altamente inter-relacionados e, portanto, para serem entendidos e compreendidos nas proximidades de sua totalidade, precisam ser observados numa ótica mais ampla.

A implantação de um sistema de gestão ambiental poderá ser soluções para uma empresa que pretende melhorar a sua posição em relação ao meio ambiente. O comprometimento hoje exigido às empresas com a preservação ambiental obriga mudanças profundas na sua filosofia, com implicações diretas nos valores empresariais, estratégias, objetivos, produtos e programas.

Como diz Callenbach (1993), nós, seres humanos, somos organismos que pensam. Não precisamos esperar que os desastres nos ensinem a viver de maneira sustentável.

5 REFERÊNCIAS

TUNDISI, J. G. & Schiel, D. (1986). Sistema de Atualização de Professores de Ciências e Geografia com a Utilização da Bacia Hidrográfica como Unidade; Conceitos Básicos, Projeto e Perspectivas. São Carlos.

Conceitos de Bacias Hidrográficas: Teorias e Aplicações / editores Alexandre Shiavetti, Antonio F. M. Camargo Ilhéus, BA Editus, 2002.

 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Erica Carvalho
Talvez você goste destes artigos também