A FORMAÇÃO DE TUTORES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
 
A FORMAÇÃO DE TUTORES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
 


A FORMAÇÃO DE TUTORES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Shirleny Sá de Souza

Maria José de Azevedo Araujo ? Orientadora

RESUMO


Neste artigo objetivou-se contextualizar novos paradigmas na educação quando utiliza os recursos tecnológicos na modalidade do ensino a distância. Buscou-se enfocar a tutoria em Educação a Distância EAD na interação em ambientes virtuais. Apresentam-se as tecnologias educacionais que são os meios de interação e participação entre educador/educando numa perspectiva de aprendizagem no mundo contemporâneo, através dos recursos do ambiente virtual, que vem contribuindo para o processo de cooperação e integração do professor/tutor da educação a distância. A educação apresenta vários segmentos de ensino visando educar, planejar, sistematizar e organizar meios pelos quais são transmitidos os conhecimentos via presencial ou virtual. É através deste ambiente virtual, que os docentes acompanham em sua prática educativa, o desempenho dos alunos, a construírem seus conhecimentos, dominando as ferramentas tecnológicas. Cabe ao tutor acompanhar, compreender e intervir durante o processo educativo. É com esse recurso que encontramos o "novo professor", com domínio específico para realizar o trabalho virtual, desenvolvendo a metodologia de Educação a Distância - EAD, recebendo a nomenclatura de tutor no espaço virtual de aprendizagem.

PALAVRAS-CHAVE: Ambiente Virtual, Educação a Distância e Prática Pedagógica.

ABSTRACT

In this article called " The criation of Teachers in for-education" the ottention was explain new questions about education that is using tecnology in for education and focus teach on for education, interactive on virtual enviroment. Demonstrating the education tecnology that are the woy of interaction and participation between teacher-student in a view of learning in trese days, thru possibilities of virtual enviroment, that have been adding to the process of cooperation and integration of far education teacher. The education show mang of teach focus on educate, plan and organize wongs that allow transmit the knowrulodge by virtual or presence of a teacher. Is thru, the virtual enviroment that teachers follow the students results, adding knowlodge into your minds, dominating the learming process in a virtual enviroment and the responsibility of the learming process is to teacher. With that resource we find a "new teacher" with specific knowlodge to do o virtual work. Criating the metodology of o for education, the teacher who work in a virtual invoroment receive an specific name.

KEYS-WORDS: Enviroment Virtual, Far Education and Pedagogic Pratic.


TUTORES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

INTRODUÇÃO

Determinou-se como tema deste trabalho, a tutoria em Educação a Distância ? EAD, e como título: "A formação de tutores da educação a distância".
Na escrita deste artigo, buscou-se analisar o processo e a interação em ambientes virtuais de aprendizagem, no novo modelo de educação, no cenário educacional por meio dos recursos tecnológicos, quebrando alguns paradigmas na educação e como professor e aluno estão inteirados nesta modalidade de ensino chamada EAD.
A Educação a Distância nas últimas décadas ampliou sua adestração, devido ao surgimento de novas tecnologias nas diversas áreas de ensino e atualização profissional. A partir da LDB que legitima e autoriza em seu artigo 80 que as instituições de ensino credenciadas ao MEC aderem a esta modalidade de ensino.
Objetivando-se avaliar a tutoria em EAD: interação em ambientes virtuais através do processo de ensino-aprendizagem inserindo os recursos tecnológicos na cultura de valores dos discentes aprimorando os conhecimentos tecnológicos e seus processos de verificação da aprendizagem a distância, assim como, adaptar ao contexto educativo as novas ferramentas de ensino que são as tecnologias para o novo século. Entretanto, o atual sistema de ensino tem consolidado a formação continuada e permanentemente, dos professores e alunos ressignificando a prática docente e pedagógica.
Levantaram-se questões sobre a importância do espaço virtual numa perspectiva intensa de comunicação entre as pessoas e as técnicas aplicadas no sistema sócio-interacionista, produzindo novos conhecimentos na busca incessante do aprender para atingir metas a novas situações, às indagações no sentido de compreender e desenvolver projetos que favoreçam a recontextualização e reintegração do conhecimento na escola e na vida do educador, que engajam os educandos como aprendizes e construtores de significados.
Buscou-se ainda, conhecer as novas tecnologias educacionais transformando os mecanismos da linguagem, introduzindo as novas metodologias não só da linguagem virtual e do ensino a distância, mas em todas as áreas do conhecimento e as diferentes formas de ensinar, fortalecendo os procedimentos didáticos e metodológicos da educação.
Portanto, a Educação a Distância renova as ações pedagógicas e concretiza novas habilidades e competências a serem apreendidas para o exercício profissional e intrínseco na formação de valores e cultura do sistema acadêmico e social.
As informações para a elaboração deste artigo cientifico foram colhidas através de pesquisa qualitativa do tipo bibliográfica embasando-se em autores renomados entre eles destacam-se KENSKI (2004), VILLARDI (2005) e GOMEZ (2004) com a finalidade de mostrar a aprendizagem no mundo virtual através das tecnologias da informação e da comunicação.

DESENVOLVIMENTO

Desde o início da civilização já existia a tecnologia, todas as eras foram cada uma à sua maneira, eras tecnológicas. Assim tivemos a Idade da Pedra, do Bronze até chegarmos ao momento tecnológico atual.
Em nossas atividades cotidianas, lidamos com vários tipos de tecnologias e técnicas, as habilidades especiais ou maneiras de lidar com cada tipo de procedimento, para executar ou fazer algo, nós chamamos de técnicas. As técnicas são regras aptas a dirigir uma atividade para realizar determinada ação, ou seja, modo de executar as tarefas e as ciências são os avanços dos conhecimentos, a busca de aprender sem ter limites.
Segundo KENSKI. "O homem primitivo contava também com seu caráter natural de agregação social para superar as dificuldades e os desafios climáticos, de alimentação e de ataque de outros animais." (2003, p. 20)
Esses grupos sociais foram formados por conhecimentos, maneiras peculiares, técnicas particulares e as culturas se agrupam em costumes, crenças, hábitos sociais, transmitidas de geração a geração. O momento histórico-social está relacionado às idades da pedra, do ferro, do ouro gerando "novas tecnologias" para garantir melhor qualidade de vida para o ser humano. As tecnologias estão em todos os lugares do nosso cotidiano, e não podemos mais viver sem elas.
Os meios por onde circulam as informações estão cada vez mais velozes, e é preciso estarmos conectados ao contexto dessa realidade. Não precisamos nem sair de casa para ver o que está acontecendo, uma vez que a mídia nos apresenta de maneira rápida e objetiva, através da televisão, internet, telefone e etc. e estes meios por onde as informações passam podemos caracterizá-los de tecnologias.

BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

De acordo com LETWIN, "desde o surgimento da Educação a Distância, as diferentes tecnologias incorporadas ao ensino contribuíram para definir os suportes fundamentais das propostas. Livros, cartilhas ou guias especialmente redigidos foram as propostas iniciais; a televisão e o rádio constituíram os suportes da década de 70; os áudios e vídeos, da década de 80. Nos anos 90, a incorporação de redes de satélite, o correio eletrônico, a utilização da internet e os programas especialmente concebidos para os suportes informáticos aparecem como os grandes desafios dos programas na modalidade" (2001 p.16).
A Educação a Distância é uma modalidade de ensino educacional aplicada nas áeras de formação, atuação profissional e nos cursos de níveis fundamental, médio e superior
através do uso de diversos meios eletrônicos de comunicação. Uma rede interativa via internet
que permite as pessoas de qualquer localidade participar de cursos a distãncia pelo uso de recursos tecnológicos adaptado ao contexto contemporâneo.
Para SILVA (2003), a EAD é um conjunto imbricado de técnicas, práticas, atitudes, modos de pensamentos e valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento do ciberespaço, isto é: do novo ambiente comunicacional que surge com a interconexão mundial de computadores e das memórias comunicacionais dos computadores; principal suporte de troca e de memória da humanidade a partir do século XXI; novo espaço de comunicação, de sociabilidade, de organização, de informação, de conhecimento e, claro, de educação.

Um processo educacional seja caracterizado como "a distância" dois elementos são fundamentais: tempo e espaço. Na Educação a Distância, professores e alunos entre si estão separados pelo tempo e pelo espaço.(RAMAL in Silva, 1996, p.183)

A Educação a Distância é caracterizada pela separação no espaço e/ou tempo, controle do aprendizado realizado mais intensamente pelo aluno do que pelo professor distante, comunicação entre alunos e professores é mediada por documentos impressos ou forma de tecnologia.

LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO-LDB

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº. 9.394/96 de 20 de dezembro de 1996 no artigo 80 autoriza o desenvolvimento do ensino a distância nos níveis: básico, superior, pós-graduação e educação profissional, conforme Resolução I, do Conselho Nacional de Educação, assim como, o Decreto nº 301 de 7 de abril de 1998. (Diário Oficial de 9 de abril de 1998) vem normalizar que as instituições credenciadas ao MEC - Unidade Federativa possam atuar cursos de graduação e educação profissional ao âmbito geral desta Lei.

Artigo 80. Lei de Diretrizes e bases da Educação. O artigo 80, das disposições Gerais. O caput do artigo 80 da LDB, o mais conhecido por quem trabalha ou deseja trabalhar com Educação a Distância, ratifica os artigos anteriores. Estabelece a distância os artigos anteriores. Estabelece: O poder Público incentiva o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada. Os três primeiros parágrafos dizem:
§1º : A Educação a Distância, organizada com abertura e regime especiais, será oferecida por instituições especificamente credenciadas pela União.§
2º : A União regulamentará os requisitos para a realização de exames e registro de diploma relativos a cursos de Educação a Distância.
§3º: As normas para a produção, controle e avaliação de programas de Educação a Distância e a autorização para sua implementação caberão aos respectivos sistemas de ensino, podendo haver cooperação e integração entre os diferentes sistemas.

Segundo SILVA, "o conhecimento das normas devem ser relacionado ao projeto pedagógico da sociedade e a necessidade de qualidade socialmente referenciada. Educação a Distância não é distância da educação, e com tal portaria o MEC dá um importantíssimo passo conduzindo a educação para o futuro, via novas tecnologias, nas instituições de ensino superior" (2003, p.19).
Ressaltando ainda, que a modalidade de ensino a distância no contexto educacional é uma evolução da educação por via das tecnologias educacionais, considerada a educação do futuro.

EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS. DESAFIOS E PERSPECTIVAS.

A educação tem sofrido modificações na forma de pensar, agir e interpretar as diversas situações do nosso contexto social. Antigamente, o conhecimento era transmitido pelo educador, e os educandos eram receptores das informações apresentadas, mas com o decorrer dos tempos, as informações foram tomando outras dimensões, onde o conhecimento está socializado entre educador - educando perfazendo uma interação social entre o saber e o aprender.
Segundo KENSKI, "na era da informação, comportamentos, práticas, informações se alteram com extrema velocidade. Um saber ampliado e mutante caracteriza o atual estágio do conhecimento na atualidade. Essas alterações refletem-se sobre as tradicionais formas de pensar e fazer educação" (2003, pgs. 26-27).
Destacando-se que essa troca de conhecimento entre educador - educando originou-se através dos meios tecnológicos.

Ensinar com as novas mídias será uma revolução, se mudarmos simultanemante os paradigmas convencionais do ensino, que mantém distantes professores e alunos. (MORAN in SILVA (2003),

No século XX, a partir de 1990, começou-se a perceber o avanço tecnológico através da internet para o ensino-aprendizagem: interatividade, autonomia e flexibilidade. A comunicação multidirecional entre discente e docente os deixa no mesmo patamar do ensino presencial ou no ensino a distância, sempre com o mesmo desafio: educação de qualidade.

FORMAÇÃO DO TUTOR A DISTÂNCIA

Na educação os professores têm enfrentado novos desafios no cenário educacional, deixando o ensino tradicional e assumindo paradigmas diferentes nas exigências de novos conhecimentos pedagógicos, recontextualizando sua prática docente, buscando novas linguagens num mundo globalizado.
A Educação a Distância exige professores com formação continuada e domínio de recursos tecnológicos, utilizando adequadamente as ferramentas do espaço virtual. O professor/tutor assume um papel de grande dimensão na EAD, não podendo ficar estagnado, mas buscando conhecimentos necessários para outras disciplinas, ou seja, ressignificando seus conhecimentos no sentido amplo da educação, para trabalhar com estratégias de mediação nos cursos à distância.
Segundo GOMEZ, "a educação continuada em rede do professor, em qualquer área do conhecimento, ajuda atingir no seu desempenho e pode atingir o exercício autônomo da profissão" (2004, p.67).
Durante a formação de professores não existe um modelo padronizado ou hierarquizado no contexto educacional contemporâneo. Existe, sim, uma mudança na sociedade e na escola de adaptação a novos valores culturais em relação ao ensino, tornando o docente inovador nas aprendizagens, criando novas possibilidades de ensino através dos recursos tecnológicos.
Segundo GOMEZ, "sua competência continuará sendo conceitual e política, já que a questão é desvendar, desarmar e recriar fatos de leitura e escrita complexos com estratégias apropriadas para a produção do próprio texto e de relações significativas." (2004, p 67).
Para VILLARDI (2005), competências profissionais temos a de um conjunto de conhecimento, habilidades e atitudes que capacitam um profissional a desempenhar sua tarefa de forma satisfatória, tomando como critério avaliativo os padrões esperados em um determinado momento histórico, em uma determinada cultura.
No contexto das inovações educativas, a formação continuada do professor na sociedade contemporânea tem levado a questionar a identidade docente abrindo novas reflexões em torno da mesma. (GOMEZ 2004, p. 68)

TREINAMENTO, ENSINO E EDUCAÇÃO.

A ferramenta inserida em nosso cotidiano é a utilização de recursos tecnológicos preparando o indivíduo para o mercado de trabalho através das habilidades cognitivas em adaptação do sujeito a novos modelos, que atendam as necessidades de lidar com o novo.
Segundo OLIVEIRA et VILLARDI (2005), as ações educacionais que visam, mesmo que implicitamente, o controle de comportamento dos sujeitos se tornarem lugar-comum não só nas escolas, como agora virtualmente com a internet e seu aproveitamento na EAD, ensino a distância.
O novo contexto interacional são os ambientes tecnológicos de treinamento e ensino possibilitando condições de aprendizagem em ambientes virtuais, estabelecendo um elenco de ferramentas de comunicação e informação compondo um sistema para o aluno nas diferentes situações de aprendizagem.

Delimita e especifica o uso de tais ferramentas em síncronas e assíncronas permitindo a comunicação entre vários em tempo real, num determinado espaço virtual. Por sua configuração, o Chat se presta a inúmeras atividades diferenciadas pela função, mas não pelo tipo de ação interativa que se obtém. (OLIVEIRA et VILLARDI 2005, p.83).

Com as mídias tecnológicas o discente tem a flexibilidade de lidar com as novas ferramentas de aprendizagem no espaço virtual, através das plataformas de comunicação online entre o tutor e com vários discentes do mesmo espaço de interação. As ferramentas dividiram-se em síncronas e assíncronas onde são diferenciadas pela função e ação interativa.

AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DO CHAT

? Chat ? ferramenta que permite a comunicação entre vários em tempo real, num determinado espaço virtual.
? Sala de aula virtual ? espaço de encontro de professor com alunos, em dia e horário predeterminado;
? Sala de trabalho em grupo - permite aos alunos se encontrarem sem a presença de um professor ou tutor, a fim de estudarem juntos, para a elaboração de atividades em grupo;
? Café virtual ? espaço de encontro social para conversar e conviver entre alunos e professores;
? ICQ interno ? permite a conexão entre alunos nos momentos de dificuldade;
? Tutor on-line ? mecanismo onde o aluno vê o tutor conectado á rede, on-line, dirigindo sua mensagem a um tutor específico, as ferramentas ICQ interno e tutor on-line fazem parte de um sistema.

FERRAMENTAS ASSÍNCRONAS

? Lista de discussão - ferramenta que permite a qualquer integrante do grupo propor uma questão para discussão, através de e-mail enviado a todos os participantes do grupo.
? Mural - ferramenta que disponibiliza mun determinado espaço (página), a um quadro de avisos mensagem genérico, visando a todos ou a alguém em especial.
? Fórum de discussões - consiste na proposição de uma questão sobre a qual vão sendo feitos comentários, que, por sua vez, serão objeto de novos comentários gerando uma "árvore" de idéias a partir de uma idéia inicial.
? Debate virtual - trata-se de um fórum gerando não a partir de uma questão, mas de um texto, onde os fragmentos "iluminados" se constituem no alvo das reflexões solicitadas aos alunos.
? Prova virtual - é uma espécie de fórum "restrito", ou seja, de vez que às respostas enviadas pelos alunos no "fórum" só o professor tenha acesso.
? E-mail ? ferramenta de comunicação prioritária para comunicação um a um usada para manter o vínculo do aluno com o curso, através da tutoria.
? Perfil ? ferramenta de informação, que consiste em uma página de Web que cada aluno preencha, ao entrar no sistema.
? Biblioteca virtual-ferramenta de informação, onde fica disponibilizado ao estudante um material complementar para consulta direta (textos) ou indireta, (indicação bibliográfica).
? Tira-teimas - ferramenta de informação constituída de um arquivo em que aparecem, organizadas por módulos temáticos, as perguntas mais freqüentes.
? Portifólio - ferramenta de memória, que consiste na elaboração de um arquivo em que o aluno vai, registrando, ao longo do curso, as experiências vivenciadas e compartilha da sua percepção do objeto de aprendizagem com os colegas.

AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

As diferentes formas que vem sendo aplicada ao ensino e as preocupações do homem na transmissão do conhecimento estão sofrendo mutações em relação ao papel do professor.
Segundo VILLARDI (2005), o declínio do valor social do trabalho do professor, ainda tem sido agravado por uma série de contingências históricas que devem ser visto como sintomas de transformações sociais profundas, que tem impacto sobre as formas de produção e de transmissão do saber. Num processo que se delineia paralelamente ao avanço tecnológico, a ponto de justificar a hipótese de vir a ser substituído pela máquina, que assumiria o papel de um professor.
A atividade docente nunca irá ser substituída pela máquina, o que poderá vir acontecer no futuro. São aqueles professores que se limitam "Ensinar" não sejam necessários no processo educativo, devido a capacidade intelectual no desenvolvimento da informação ter sido falha ao ensinar em decorrência dos alunos saberem pouco.
No espaço de aprendizagem a distância e o ensino é mediado através do tutor com o discente numa relação mútua entre mediar e construir o conhecimento, por isso é fundamental a participação do professor no contexto da aprendizagem adaptando as transformações sociais na formação dos professores ressignificando a prática pedagógica no ato de ensinar.
Segundo VILLARDI, "viabiliza a existência de condições de aprendizagem, sem sentido amplo, é imprescindível a figura do professor não a do professor que ensina, mas a do que educa" (2005, p.74).
Atualmente, cabe ao professor proporcionar aos educandos meios de interação a aprendizagem tornando os mesmos a construírem e reconstruírem paradigmas diferenciados em todos os meios da educação, existindo uma troca de conhecimento entre docente-discente na formação inicial e contínua do educador fazendo-se necessário a presença do professor.
Para OLIVEIRA et VILLARDI (2005), disponibilização desse tipo de ferramenta não se constitui em condição suficiente para que ambiente de aprendizagem criado seja efetivamente interativo. Em nossos cursos, observamos que, por maiores que sejam os esforços da tutoria, muitos alunos não acessam os espaços coletivos de discussão uma única vez, até porque, em nosso tempo, a cultura do compartilhar, do cooperar, no sentido piagetiano, tem sido muito pouco valorizada.
É relevante para o professor tutor a colaboração, participação, as trocas e reflexões dos alunos e criatividade, permitindo compartilhar as leituras, interagindo nas reflexões, explorando todas as ferramentas de comunicação através do ambiente virtual de aprendizagem.
Segundo GOMEZ (2004), por meio desses dispositivos pedagógicos, os alunos são encorajados a participar de atividades colaborativas, os níveis de interatividade da proposta, os tipos de conexões possíveis, os registros da propriedade das ferramentas, a velocidade permitida de trabalho, a orientação da navegação e o nível de integração das diversas tecnologias no ambiente de aprendizagem.
O processo de avaliação em todas as modalidades de ensino é de grande relevância, pois é através da avaliação que os professores-alunos acompanham a performance de todas as atividades realizadas no curso a distância.

Realizar uma avaliação implica identificar esse passado comum da avaliação nas diversas modalidades de educação, a integração crescente na prática educativa dos recursos multimídia e a possibilidade de que as novas gerações possam acompanhar criticamente uma época de rápidas mudanças. (Gomez, 2004, p.164)

Os professores/tutores têm que examinar e conceituar as contribuições individualmente para poder avaliar a qualidade da participação dos aprendizes no ambiente virtual. A avaliação dos aprendizes em cursos na Web deve acompanhar os desdobramentos que ocorrem durante o aprendizado, deixando de ser isolado.

RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A educação contemporânea fundamenta-se na relação docente-discente interagindo com as mídias de comunicação e informação, estabelecendo uma mútua aprendizagem no sentido de educar e ser educado.

O tipo de comunicação que se estabelece entre os professores-alunos e docentes foi assincrõnico, permitindo que os professores-alunos tivessem tempo para refletir e preparar uma resposta mais justificada e argumentada sobre os questionamentos as propostas. (PENA, 2002, p.187).

Nos cursos a distância os docentes planejam, acompanham, mediam, observam e intervém o desenvolvimento dos alunos, por meio das plataformas onlines propiciando um ambiente seguro, estruturado e criativo contextualizando a relação professor-aluno nos diversos aspectos de aprendizagem.
Durante o processo de aprendizagem na EAD os alunos são motivados a pesquisar sozinhos, construindo seu próprio conhecimento, buscando aprendizagem de forma interativa e participativa, por meios dos recursos tecnológicos. Entretanto, o tutor media este conhecimento que o aluno vem construindo acompanhando via internet, ficando registrados todos os processos de comunicação na rede online.
Segundo ESPÓSITO in VALENTE, "o ambiente de trabalho virtual se configura como um espaço de comunicação e mediatização propício para desencadear a cooperação entre docente e professor-aluno numa dinâmica de interação entre as pessoas e os conteúdos culturalmente selecionados para este fim" (2003, p.190).
Contudo, na Educação a Distância não existe improvisação, pois o professor-tutor interage com os alunos lançando perguntas e esperando as respostas e havendo chat nos momentos dos plantões pedagógicos. Fazendo-se necessária a presença do tutor para troca de reflexões dos alunos e criatividade para perceberem-se como co-autores.

O importante não é presença física do professor, que muitas vezes é inteiramente alheio à situação e inacessível aos alunos; importa, sim, que os alunos sintam a sua presença de alguma forma, respondendo às solicitações e ansiedades, e isso é possível conseguir sem a presença física do professor, através do seu olhar atento e de sua disponibilidade. (ALONSO in VALENTE et PRADO, 2001, p.172).

No entanto, estudar a distância exige perseverança, autonomia, capacidade de organizar o próprio tempo, habilidade de leitura, escrita, interpretação e domínio de tecnologia, pois esses fatores contribuem para auto-avaliação e aprendizagem autônoma, adquirindo novas posturas e condições de se relacionar sobre determinadas situações da conjuntura e dos princípios educativos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O ensino a distância é caracterizado pela mediação do professor inserindo os meios de comunicação, recontextualizando a prática pedagógica educativa, adaptando as novas linguagens de ensino e ressignificando os conhecimentos dos docentes sob a forma de interagir e ensinar. Propiciando ao aluno condições para que eles possam caminhar sozinhos, pois o tutor direciona os mesmos a adquirirem conhecimentos e interesses para serem criativos e inovadores nos preceitos educacionais.
Destacou-se a importância de tutores da Educação a Distância em ambiente virtual de aprendizagem numa perspectiva contemporânea empregando os recursos tecnológicos. Conhecendo a modalidade educacional de ensino a distância - EAD, por meio das tecnologias da informação e comunicação.
Professor e aluno estão separados no tempo/espaço, mas existe uma conexão via internet, onde ambos aparecem conectados por meio dos recursos tecnológicos. A EAD tem seus pontos negativos e positivos diante do contexto educacional. Foi a partir do final do século XX que buscou-se a necessidade de formação continuada dos docentes. Apesar de algumas pessoas ainda não acreditarem no método de estudo individualizado, talvez por não terem conhecimentos teóricos e embasamento para ingressar nesta modalidade de catequização sobre os diversos meios de aprendizagem .
A EAD está inserida num moderno modelo educacional, implantando a pedagogia autônoma, interativa e flexibilidade nos estudos formando cidadãos críticos, conscientes e criativos.
Logo, é possível observar que o desenvolvimento das novas tecnologias da comunicação tem uma fonte influência no sistema educativo, mas de modo especial na Educação a Distância, já que, desde o surgimento dessas tecnologias, supôs-se que poderiam solucionar os problemas clássicos da modalidade. De fato, a distância física deixou de ser a característica principal da educação à distância, e, em grande medida, isso se deve à utilização das novas tecnologias, as quais permitem a comunicação entre os alunos, assim como dos alunos com os professores e com as instituições, simultaneamente ou de forma diferida.


SOBRE AS AUTORAS

Shirleny Sá de Souza é graduada em Letras/Português pela Universidade Tiradentes, possui especialização na área de Tecnologia, é aluna de Pós-graduação da Universidade Tiradentes. Atualmente cursa a Especialização em "Docência e Tutoria em Educação a Distância". O presente trabalho é representa o Trabalho de Conclusão de Curso de graduação, em decorrência de pesquisa qualitativa do tipo bibliográfica. O artigo foi produzido sob orientação da professora Maria José de Azevedo Araújo. E-mail(s) para contato: [email protected] e [email protected]

REFERÊNCIAS

GOMEZ, Margarida Victória. Educação em rede: Uma visão emancipadora. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2004.

LITWIN.Orestes.Educação a distância:Temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre. Artemed. Editora, 2001.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas, SP: Papirus, 2003- (série prática pedagógica).

PRETI, Orestes. Et allis Educação a distância: Sobre discursos e práticas. Brasília Liber Livro editora, 2005.

SILVA, Marco. Educação on-line: Teorias, práticas, legislação, formação corporativa: São Paulo. Edições Loyola. 2003.

VALLENTE et allis (organizador). Educação a distância via internet. São Paulo. Avercamp, 2003.

VILLARDI, Raquel. et Oliveira, Eloiza Gomes. Tecnologias na educação. Uma perspectiva sócio-interacionista. Rio de Janeiro: Dunya, 2005.

www. abed.org.br.
www. eda. faesa.br/esad.
www. mec. gov. br.
www.teleduc. nied. unicampo.br.
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Maria José De Azevedo Araujo
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Especialista e Mestre em Educação. Professora universitária de cursos de graduação e de pós-graduação. Líder do grupo de estudos GEPISTAE/UNIT. Possui sete livros publicados: Estágio Supervisionado III, Estágio Supervisionado IV, Organização do Trabalho Pedagógico; Quem Tem Medo do TCC? Psicologia ...
Membro desde agosto de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: