Mas se eu só escrever isso vou estar “ignorando burramente” uma parte minha que quer que você cresça e evolua na sua profissão, conquiste muita coisa ainda, cuide da sua família, que ela cuide de você, que os seus sejam, como sem dúvida, a tua filha é para você, a razão e o motivo para você acordar todos os dias, agradecer e lutar com amor e dedicação pela felicidade! Esta é a parte bonita, o lado que muitas pessoas conheceram, aproveitaram, mas uma parte que está se escondendo a cada dia pouco mais. Que está se tornando a parte pequena da história, o lado que sequer procuram, o lado que ninguém mais se interessa. É a mutação da mesma parte. Porque a outra parte é aquela inacabada. A parte que quer apenas ser amada, compreendida, quer saber como é ouvir de alguém que “sua ausência foi tão sentida, mas quando você chegou tudo se tornou irrelevante, que tua presença supriu a solidão e fez de mim uma pessoa melhor e mais feliz”. É esta outra parte, dilacerada em milhões de outras partes, que não falam mais a mesma língua. Hoje, somente uma pequena parte conversa entre si. De resto, é a mutação diária de querer unir as partes e como em uníssono gerar bem estar ao redor. Gerar gentilezas. Ser lembrado por ser especial, não somente pela utilidade momentânea. Por enquanto há confusão e conflito. É uma guerra entre as partes, que talvez se resolva com união, ou separação definitiva e sem volta...

Escrito por Johney Laudelino da Silva no dia 11/01/2013

Natiruts – Já chorei demais – http://youtu.be/Jl7HorWGGec