As tuas escolhas te fizeram um desajeitado para viver. Alguém que perdeu o brilho, que foi passando por caminhos e foi deixando que a sua luz se apagasse. Alguém que errou os caminhos. Alguém que viveu por pouquíssimo tempo sob as luzes dos holofotes, mas que preferiu se esconder nos bastidores. Em muitos momentos você teve a “deixa” ao seu dispor, poderia falar muita coisa, mas calou-se diante do absurdo de querer mais do que pôde fazer. A “deixa” nunca mais veio. Você também não fez lá grandes coisas. Teus atos se restringiram a algumas pessoas do teu convívio que, sinceramente, você não lembra... Mas se os outros se esqueceram (silêncio e lágrimas)... Esquecimento tem feito parte das tuas lembranças... O significado perdeu-se (se é que um dia existiu)... A utilidade, bem, a utilidade é carregada com o tempo tornando tudo volátil, sem graça e solitário... Tudo isso e muito mais, fizeram de você um desajeitado para viver, alguém que não está feliz onde está e como está e que não sabe como vai e nem para onde está rumando a própria vida...

 

Texto escrito Johney Laudelino da Silva em 27/11/2012.

 

Com vídeo da música Um dia de cada vez – Tihuana http://youtu.be/kPgDlbbWmbs