Você já derrubou um copo no chão? Já viu ele totalmente despedaçado? Já se deu conta do estrago causado – e sem culpa alguma do tempo ou do destino – por quem deveria cuidar dele? Triste... Porque ele se torna de uma inutilidade total que nem significado fica... Colar ele? Reconstruir? Remendar? Talvez ele possa ser útil novamente (tá bom, vai lá), mas nunca mais terá a mesma imagem de antes. Jamais haverá aquele brilho, jamais dará novamente aquela sensação de prazer e alegria verdadeiros, pois algo remendado perde a originalidade. Digamos que você o abandone, esqueça este copo e o jogue no limbo das tuas memórias. Então, busca outro copo nas prateleiras da vida. Mas não um copo qualquer, busca um parecido, semelhante, idêntico ao copo que se partiu... Ainda que ache, será a mesma coisa? Jamais um novo copo substituirá aquele que se foi. Ainda que pareça tão bonito, tão deslumbrante, tão útil quanto aquele... e dos teus relacionamentos, hein!? Teu casamento, teu namoro, tuas amizades, na tua família, no teu trabalho... Enfim, onde você tentou remendar as coisas e viu, há muito custo, às vezes, pagando um preço muito alto, onde você buscou “tornar a brilhar” outra vez, onde você quebrou despedaçando e jogando no lixo aquilo que já não tem mais valor, utilidade e nem significado. É assim a vida... As lágrimas derramadas por uma relação partida (quebrada), podem ser passageiras, podem ser paralisadas por um tempo, mas não podem ser eternas... Será muito triste, chorar hoje, lamentar um coração estraçalhado, voltar a ter esperança, e se decepcionar profundamente, e de uma profundidade a ponto de se fechar para o mundo, trancar o coração, desacreditar nas pessoas e viver por viver... Sem falsas expectativas, mas também sem grandes ambições...

 

 

Texto escrito Johney Laudelino da Silva em 19/11/2012.

 

Com vídeo da música Romeu – Agridoce http://youtu.be/Kowh4RGzNmI