PROJETO SOCYETY DANÇAS FOLCLÓRICAS NA ESCOLA

ESCOLA MUNICIPAL ANTENOR NAVARRO

Prof: Ana Diniz

PARTICIPAÇÃO : GILDASIO R. TEIXEIRA

 

 

     Este projeto tem como objetivo maior levar a arte de danças folclóricas as crianças e adolescentes, despertando neles a valorização e o interesse pelas nossas tradições culturais. Desde o ínicio os homens dançavam para agradar aos deuses, por isso a dança é uma cultura milenar.                          

     Dançar é transmitir um certo estado de espírito, uma maneira de se ver, e ver o mundo, de sentir plenamente o seu corpo e utilizá-lo para conhecer outros sentimentos e sensações.Na educação, levará a uma interação, Aluno-Professor que é um suporte estrutural para concretização do fenômeno educativo, além de incentivar e valorizar desde cedo o afeto as nossas tradições culturais. Que não podem acabar.

 

OBJETIVOS GERAIS

-Sociabilização

-Desenvolvimento estético

-Aumento da saúde fisica e mental

-Necessidade de auto-expressão

-Domínio do corpo em movimento

-Trabalho das condições Psico-motoras

-Melhorar o comportamento social da criança

-Montagem de coreógrafia, apresentação e espetáculos

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

     Levar a arte das danças folclóricas á todos sem distinção do sexo, idade, condições socio-econômica ou religião, explorando o potêncial artístico de cada  criança(aluno) dando melhor condições físicas , mentais  e educativa para todos. Valorizando a  cultura Brasileira e Nordestina e a diversidade como instrumento facilitador da promoção de vida digna na sociedade, e no combate a discriminação e desenvolvimento sócio- cultural da criança.

 

ALUNOS ALVOS

JUVENIL- de 12 a 16 anos

 

PROCEDIMENTOS

Aulas Práticas (ensaios)

Aulas teóricas

 

ESTILO DE DANÇA

1- Danças Folclóricas                                                                                                           

Côco de Roda:

a)Côco Paparu

b)Côco da Roxa

c)Côco do sertão

d)Côco Maneiro Pau

e)Côco de Praia

 

-Danças de salão:

a) Xô Araruna

b) Dança do camaleão

c)Galope

d) Xote

e) Caninha Verde

 

-Ciranda

- Xaxado

 

QUANTIDADE DE COMPONENTES

- Dez pares

HORÁRIOS DE ENSAIOS

- sábados pela Manhã

 

INDUMENTÁRIA DO CÔCO DE RODA

O côco pode ser dançado com qualquer roupa e com pés descalços.Entretanto como possui muita expressão corporal, será mais cômodo dança-lo com roupas leves.

Damas: Saia rodada de tecido estampado em algodão, blusa com babado arrodeando o decote que deverá ser do modo cigana. Sandálias ou pés descalços.

Cavalheiros: Calça de tecido de algodão liso, arregaçados até o meio da perna e camisa de tecido em algodão, em qualquer cor, podendo ser mangas curtas ou longas e chapéu.

 

INDUMENTÁRIA DA DANÇA DE SALÃO

 

Damas: Vestidos até o meio da perna,com saias rodadas e mangas fofas, enfeitados de babados, rendas , bicos , sapato fechado tipo "boneca"

Cavalheiros: calças e colête com camisa de mangas comprida modelo social , gravata borboleta e sapatos sociais.

 

INDUMENTÁRIA DO XAXADO

 

Damas: Vestido em Brim  cáqui ou mesclita azul, mangas compridas, chapeí com abas largas que poderá ser de palha  e coberta com o tecido so vestido, ou  uma flor na cabeça com presilhas, bolsas e bornais bem bordados cartucheiras e sandálias de couro cru,lenços vermelhos amarrados sobre o decote dos vestidos.

 

Cavalheiros: Chapéu de couro com abas largas,cartucheiras e sandálias também de couro,bornal, bolsas e sacolas em tecido com bordados coloridos, um lenço vermelho sobre a gola da camisa. O tecido  da roupa tanto poderá ser de Brim cáqui ou mesclita azul. Cada homem levará na mão um rifle ou espingarda de espoleta. ( para crianças se adequa uma espingarda de madeira).

 

CIRANDA: por ser uma dança  de participação coletiva, pode ser dançada com qualquer roupa, calçado ou descalço, a gosto do participante.

 

INSTRUMENTAL

-Zabumba, Triângulo,Maracá, ou ganzá e sanfona para dança de salão e xaxado.

 

REFERENCIA

 

http://webartigos.com/artigos/projeto-socyet-folclore-vivo/117736

http://gildasiorteixeira.blogspot.com.br/2014/10/projeto-socyet-folclore-vivo_12.html