Pode haver um abismo maior entre você e ele do que simplesmente a diferença de idade. Na boa, que diferença é esta que só está na tua cabeça? Para ele isso não passa de um autopreconceito, uma forma de se autoexcluir de um sentimento que há no coração de ambos. É triste, mas ele respeita você pensar dessa forma, porque ele não pode ser incoerente com tudo que ele viveu com relação as suas próprias cruzes que têm carregado ao longo da vida. Você talvez ainda não se deu conta do quanto o presente é promissor (nem vamos falar no futuro – este será consequencia). Basta não temer e desembrulhar este presente, permitir-se sentir as benesses que o presente tem a oferecer. Permita-se sentir, tocar, abraçar e beijar esta oportunidade de reconstrução, de ressignificação de quem você é verdadeiramente. De novo, na boa, você está criando esta lacuna entre ele e você que de uma hora para outra pode fazê-lo desistir (daí você vai achar que é porque ele não queria tanto assim – mas não!). É que uma hora todo mundo cansa de correr atrás do que corre de si. Daí muda o foco, percebe que não vale a pena passar uma vida correndo atrás de um sonho quando na real o sonho nunca existiu. Mais que isso, de repente, ele vai acordar e vai perceber, e vai mudar. Nesse dia, é provável que já não te trate da mesma forma, já não te procure tantas vezes assim e deixe o tempo tratar de ir, lentamente, aos poucos, ir apagando, ir esfriando esse sentimento intenso outrora, mas que foi “desnudado” por preconceito (doença da alma). Os abismos, às vezes, existem somente na nossa cabeça, mas quando levamos essas diferenças criadas por nos sentirmos inseguros e desprotegidos, conseguimos apenas afastar quem nos ama e, continuamos (ou até mais), ficamos mais inseguros e desprotegidos ainda, porém diante do espelho somos incapazes de reconhecer isso, achamos, ou, cremos fielmente que para nossa segurança foi melhor assim, daí chega a noite e choramos... Sim, choramos “sem saber o porquê”, “inexplicavelmente” (pelo menos é isso que dizemos, talvez para enganarmos a nós mesmos)...

 

Com vídeo da música A Beautiful Lie – 30 Seconds To Mars – http://youtu.be/Zu3yOKroCi8