Se você pudesse parar a tua vida, qual o momento que você daria eternidade? Qual seria o instante que você deixaria imortalizado? Se o teu destino estivesse preso ao destino de outra vida, haveria um único tempo em que tudo pareceu mágico, dando a você somente felicidade? A primeira vez que te olharam com predileção... Quando te deram apoio, contrariando todos que desconfiaram e acharam loucura buscar aquele sonho... A transformação, do sonho inacessível para totalmente possível... E os sentimentos? Amor certamente, mas ao amor além do corpo, você tornaria eterno? O respeito (tão em falta nas prateleiras da vida e dos relacionamentos) pela tua história de vida não te parece algo bonito? Mais: verdadeiro! O teu eterno momento pertence a você apenas, a mais ninguém. Cultive, mas não cultue. Floresça, mas não apodreça. Perpetua na alma, mas não enterre nos “terrenos baldios” por aí. Entre o dia do teu nascimento e o que aconteceu depois, todos os momentos são teus, eternos na história da tua vida.

 

Inspirado no poema de J. G. de Araújo Jorge

 

Se...

Se eu pudesse parar a minha vida

e dar eternidade a um só momento,

se eu tivesse o meu destino preso

ao destino das coisas nos espaços...

Se eu pudesse destruir todas as leis

e dentro do Universo que se move

para meu mundo:

havia de escolher esse segundo

em que Você estivesse nos meus braços!