Dizem que se o presente é sem segurança o futuro será sem esperança. Não se deve mesmo esperançar algo que ainda não chegou, mas sim, deve-se rever o que hoje é essencial e útil para você. É preciso reinaugurar e ressignificar após essa poeira sacudida na tua vida baixar. Foi tanta coisa que aconteceu e você tem se esquecido, não de propósito, mas ocasionalmente, da segurança que permeia a tua vida. Tem se deixado levar por esse turbilhão da correria, mas uma hora a vida te fará sossegar, deixará você aquietar um pouco o coração, a cabeça estará mais tranquila, a alma mais leve, o coração mesmo, então, sentirá melhor a diferença entre essencialidade e utilidade. Acredite: o que hoje te parece não ser seguro é só utilidade permanente, porém com prazo de validade. O essencial é que te dá segurança, transmite que pode ser sim seguro pelas atitudes, pela forma como conduz as situações, pelo tratamento diferenciado e correto, límpido, transparente e que não precisou desvirtuar o caráter e a educação para forçar a nada. Esperançar? Não mais! O que dá segurança pode ser facilmente confundido com medo de se envolver com o inusitado, o diferente, o não convencional... E em posição oposta o próprio medo arredio de sofrer por amor... E por maior que seja o amor, ele ainda faz doer quando traz em si uma máscara medrosa de ao menos tentar algo novo. O que transmite segurança então é saber que há um ombro, ouvidos e coração abertos a receber, pronto a doar, mas cansados de esperar (dói um pouco, mas é a realidade)... Talvez com coragem para nunca mais esperançar nada, e mesmo assim com um pouco de medo de outra vez chorar...

 

Com vídeo da música In My Dreams – James Morrison – http://youtu.be/WkDUxehpKtk