Às vezes, na vontade enorme de ajudar, de fazer, de dar algo, de ser mesmo para alguém, a gente acaba exagerando em algumas atitudes. E isso é ruim porque confunde o que um espera do outro. É difícil conviver com isso quando da gente muito se espera, mas a gente não sabe muito bem como agir, como falar, como se portar diante de determinadas situações. Como é fácil exagerar na cobrança do outro, naquilo que a gente quer e não no que o outro pode oferecer. Às vezes não pode muita coisa e isso frustra. Tanto quem tenta ser quanto quem quer receber. Talvez seja o cotidiano, a correria desenfreada do dia que faz com que o exagero seja exacerbado em alguns momentos. É que a gente já viu e já passou por tanta coisa que não sabe bem se fez ou faz as coisas certas. Mas a gente não desiste de tentar. Se o exagero de algumas pessoas que estão com o coração apertado quem sabe, com algum problema pessoal talvez... Por isso o essencial é respeitar as mazelas alheias. Não deixar com que uma questão triste seja o maior problema do mundo. Com o tempo as coisas se ajeitam. Mas ninguém, nem a gente é obrigado a suportar o exagero das atitudes incoerentes.