É triste chegar a essa conclusão, mas chega um tempo em que você pesa na vida dos outros. Simplesmente atrapalha mais do que ajuda. E não consegue mais ajudar porque perdeu toda utilidade que antes havia. Tornou-se um inútil... E esta doce inutilidade deixou um amargo na tua vida de já não saber mais ser na medida certa, ou mesmo necessária. Quando a dose é maior do que as pessoas podem aguentar acontece isso que está acontecendo hoje: indiferença, rejeição, incompreensão, medo... E isso tem levado a uma completa solidão. Completa sim, pois você não sabe a quem ligar (será que pode mesmo ligar?). Já não tem certezas, mas tem muitas dúvidas quanto ao seu próprio futuro. Por isso, conclua de uma vez por todas essa “monografia”, esse “monólogo” triste e um pouco ressentido de si mesmo. Não atrapalhe mais a vida dos outros. Não mande mais textos por e-mail (eles não fazem diferença alguma – qual foi mesmo o teu retorno pela dedicação aos sentimentos alheios?). a vontade de querer te fez um desajeitado para viver. Você tem sofrido uma grande “dessensibilização”. Tem sido tão áspero com o que sentes, e ainda chora pelo que pensas... Tristeza... Não atrapalhe mais a vida dos outros. Mensagens pelo celular? Só se for mesmo essencial, porque à esmo já chega teu coração que tem pesado demais. Engraçado, o peso de um coração vazio. Se alguém ainda ama você? A resposta será muito dolorida, mas esse tempo definitivo é mais que necessário, é essencial para que você tenha uma sobrevida. Por hora, basta-se nesta conclusão: não atrapalhar mais a vida de ninguém... Absolutamente ninguém...

 

Texto escrito Johney Laudelino da Silva em 27/11/2012.

 

Com vídeo da música Bridge Over Troubled Water – Elvis Presley http://youtu.be/ro8Y62XhO6E