Quantas vezes na vida você sofreu as dores de ter que nascer de novo? É quando você é retirado de um estado cômodo, de um lugar seguro, mas não sabe se vai dar conta da vida. Você atravessa a porta do sofrimento, é expulso do coração de alguém (dizem que é por amor), sente-se limitado e assume as próprias mazelas. Assume que é fraco e chora. Mas isso torna você diferenciado. Mais real. Mais humano. Isso não é vergonhoso. É bonito encontrar alguém que vive a totalidade da vida. Alegrias e tristezas. E não haverá maquiagem para a tristeza. Você se curvará diante da dor, porque se comprometeu com as escolhas que foi fazendo ao longo do caminho. Isso é maturidade. Você não consegue mudar o sofrimento, mas pode aprender a conviver com ele. Você pode não ter como mudar isso, pode não saber sofrer (e às vezes é bom que não saiba mesmo), mas se fosse possível ajoelharia e pediria para que retirassem isso da tua vida.