Uma informação deve ser passada de maneira muito clara e objetiva.

 

Talvez seja importante para quem recebe ter um detalhamento da questão, mas quando é necessário detalhar a informação. Caso contrário, somente atrapalha, confunde e traz problemas de comunicação e desinformação.

 

Quem não sabe informar acaba desinformando.

 

É como uma notícia mal dada, irresponsavelmente veiculada. Quem está passando a notícia não sabe do alcance e das proporções que ela pode tomar.

 

Uma pessoa bem informada pode alcançar pontos inimagináveis, mas alguém que está sendo constantemente desinformado com informações desencontradas alcança (abaixo) lugares desagradáveis.

 

Às vezes o problema não está em quem dá a informação, mas em quem recebe.

 

Mas até nisso quem informa tem a responsabilidade de saber segregar bem os fatos, de ter serenidade, compreensão e discernimento.

 

Discernimento para não subestimar demais alguém, mas também não superestimar demais.

 

“Ninguém é burro demais para não aprender algo novo, assim como ninguém é inteligente demais que não saiba alguma coisa”.

 

Todos têm algo a doar e a receber. O essencial é que em meio a tantas e tantas informações seja colocado um filtro do que tem relevância e daquilo que não ajudará muito.

 

É como o julgamento humano (não tem como fugir disso): o bom de alguém julgar você pelo que vê e não pelo que sabe é que você sabe quem é você, o que você quer, quais são teus valores e porque faz as coisas à tua maneira. Não muda em nada a tua vida e tua profissão, pois os outros apenas imaginam, por isso mesmo não conseguem chegar ao entendimento. O grande problema é quando você passa a acreditar nisso também. Naquilo que julgam de você e naquilo que acham que você é. E passa, a acreditar naquilo que julgam e não no que você sente.

 

Não perder o referencial de vida pessoal e profissional, talvez seja esse o desafio das informações.

 

Saber exatamente o que passar, como passar e para quem passar.

 

Não tratar todos iguais não. Não?

 

Um professor do 1º ano não dá a mesma aula para o 4º ano, ou isso ocorre?

 

Quando você tem a informação nas mãos têm que ter plena consciência disso, pois você passa a ser o professor.

 

É preciso sim ter muita responsabilidade para não criar problemas onde eles não existem.

 

Isso nas informações prestadas, nos comentários corriqueiros (e que também podem gerar conflitos) e nas atitudes diárias. Por menores e medíocres que pareçam (medíocres, no sentido mediano da palavra).

 

Portanto, quando prestar uma informação, saiba que ela vai muito além daquela ponte estabelecida. Muitas vezes nem passa por essa ponte. Saber por onde vai a informação, para quem vai, mas fundamentalmente, como ela vai.