As ações pedagógicas de intervenção traz várias estratégias motivadoras, a fim de atender as necessidades de aprendizagem de cada grupo de alunos diagnósticos em encaminhados a sala de recursos.

Os alunos serão agrupados segundo critério estabelecido, visando sua integração e assimilação do conteúdo colocando-os como ajudantes entre si, conforme determinação da zona proximal, na qual o aluno aprende na relação com o outro. Posteriormente, o aluno e capaz de realizar novas construções de conhecimentos sozinhos.

 As atividades serão trabalhadas de forma lúdica despertando, interesse, criatividade, curiosidade com variedades de textos. O regate dos conteúdos disciplinares por meio de texto. O resgate dos conteúdos disciplinares por meio de textos, atividades lúdicas revela-se em estratégias que possibilita ao aluno a usa-la em situações significativas.

As ações apresentadas constituem com atividades exclusivamente observável e resulta em novos conhecimentos, cujos resultados podem ser registrados. Por meio da capacidade do professor saber integrar a teoria com a pratica.

O processo de desenvolvimento das ações elencadas, fundamenta-se na importância de criar condições propicia de aprendizagem ter domínio do que ensina e saber qual é a relevância social e cognitiva do que foi ensinado.

Os conteúdos, os meios, os procedimentos avaliativos devem provocar, estimular e ajudar o aluno a criar uma relação pertinente com os conteúdos. Mais do que transmitir o conhecimento, e necessário articular experiências em que o aluno reflita sobre os mesmos e suas interações com a realidade.

Considerar também, que esses alunos com deficiência possuem não somente aspectos físicos, são sujeitos de um mundo cada vez mais exigentes, são alunos com suas histórias de vida marcada por fracasso, frustação, cada um com uma realidade diferente, marcadas por trajetórias de vida que na maioria são desconhecidas e acabam interferindo no desenvolvimento intelectual e social dos mesmo. Devido a isso e a outras fatores é importante levar em consideração esses fragmentos que ele traz para a sala de aula.

Enfatizamos, ainda, que tais procedimentos de desenvolvimento, são flexíveis e negociáveis, elas recorrem das vantagens dos métodos ativos e dos princípios, que evidenciam que são práticas educativas que exigem com que o professor esteja sempre lidando com as percepções dos alunos e que suas percepções previas, as quais são únicas, cada um percebera e recebera de maneira única o que lhe for ensinado.

Para consecução desses procedimentos, utilizamos varias recursos audiovisuais tais como: filmes, musicas, jogos, vídeos, oficinas, danças e outros. Segundo a necessidade e ocasiões especificas. São procedimentos reaquecem na colaboração do gestor escolar, da coordenação, dos pais e da própria comunidade escolar.

 

Tempo para a realização do projeto

Professora na Sala de Recursos Multifuncional atendendo alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEEs) no Ensino Regular da E.E. “André Antônio Maggi” bem como de outras Unidades Escolares.

3.1 Língua Portuguesa

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Construção do perfil do aluno.

Diagnóstico a respeito das dificuldades de cada aluno.

História social do aluno e da família.

  • Ficha de Anamnese com atividades que contemplem tais habilidades: lateralidade, coordenação motora, percepção visual, auditiva, gustativa e tátil.
  • Leitura-interpretações.
  • Raciocínio lógico
  • Definição do tempo
  • Histórico de cada aluno.

 

Estudo de Caso.

 

Consolidar as atividades da sala de recursos multifuncional com o Projeto Pedagógico.

Considerando a Diretrizes Educacionais como eixo norteador no trabalho profissional é extremamente necessário associá-las a teoria com a prática.

  • Estudo da legislação;
  • Elaboração de projetos e plano de trabalho em consonância com o PPP.
  • Valorizar o conhecimento prévio do aluno.

Segundo as necessidades diagnosticadas.

Compreensão da função da escrita.

Produção de texto, leitura de textos diversificados: poemas, músicas, histórias em quadrinho, aventuras, fixação, parlendas, .....folclóricos, teatro, panfletos, Outdoor...  etc.. Trabalhar com a coerência e coesão textual;

Ortografia e gramática contextualizada

 

  • Hora do Conto: contar histórias após leitura das mesmas. Teatro de sombras, fantoches, cartaz de prega. Filmes, documentários.
  • Hora da Conversa: espaço para que alunos e professor viabilizem suas opiniões sobre diferentes leituras.
  • Explorar as embalagens de produtos;
  • Explorar as relações entre fonemas e grafemas das palavras identificadas nas embalagens;
  • Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras;
  • Elaboração de portfólio e discussão com os alunos sobre os textos;
  • Dominar convicções gráficas(como a orientação e o alinhamento da escrita, função dos espaços e pontuação no final das frases);
  • Jogando com sílabas e palavras (tônicas e átonas);
  • Decompor e recompor palavras; Ex: vaca- cava, pato-prato, etc.
  • Utilizar estruturas silábicas mais complexas e aumentar o número de sílabas a partir das palavras monossílabas; Ex: lá – laranja, laço, lápis, lagoa etc.
  • Trabalhando com ideias opostas;
  • Colocando-se no lugar do autor e personagens do texto;
  • Oficina de textos jornalísticos, publicidade e propaganda.
  • Despertar o interesse para a leitura crítica de noticiários (jornal);
  • Fotografias
  • Construção da Frase do dia: espaço para que os alunos formulem uma frase a um determinado tema.
  • Hora do lúdico: quebra cabeça envolvendo: vocábulos, textos diversificados, caça-palavras, cruzadinhas, uso do dicionário, teatros de sombras e fantoches, softwares educativos (jogos no computador) dramatização, acróstico, dinâmicas. Parlendas, desenhos, recortes, colagens. Linguagem televisiva com roteiro de análise, etc.
  • Hora da Música: Musicas como documento histórico; Atividades musicais, que possibilitem aos alunos vivências e descobertas, socialização, entonação, (oralidade). Escutar gravações de músicas e acompanha-las com palmas. Criação de instrumentos musicais como estratégia motivadora. Jogos que utilize canções: escravo de jó... revisão gramatical

 

Proporcionar situações em que se estabeleça o uso da linguagem oral e escrita com diferentes finalidades comunicativas;

Leitura e escrita de textos diversos;

Pesquisar textos de acordo com os gêneros trabalhados;

Identificação e coleta de textos em diferentes contextos;

Criar outros textos iguais aos dos gêneros estudados;

Fazer exposição da produção dos alunos em painéis;

Propor textos poéticos, musicais ou reescreve-los introduzindo modificações;

Escrever anúncios, avisos, propagandas, panfletos, cartazes e rótulos em situações que o cotidiano oferece, considerando o tipo de mensagem que se quer transmitir;

Redigir textos conforme as datas comemorativas;

Criar enderenços eletrônicos e enviar e-mails;

Identificar elementos gráficos e visuais que compõem o jornal e sua função social (diagramação, fotografias, ilustrações, tipos de letras, gráficos e tabelas);

Escrever notícias sobre o cotidiano da escola, da sala de aula,

 bairro, de situações e fatos sociais, fazendo uso de linguagem adequada.

Saber fazer uso das letras maiúsculas e minúsculas (formas cursivas) na produção de textos;

Saber localizar-se no tempo (ontem, hoje, amanhã, antes, durante, depois) aprimorando a linguagem discursiva, abordando o tempo dos acontecimentos e a sequencia dos fatos no textos);

Reconhecer e usar os sinais de pontuação como indicadores de sentido. Travessão, dois pontos, virgula, exclamação e interrogação.

Fazer uso das regras ortográficas;

Utilizar adequadamente o dicionário e outras fontes escritas para resolver dúvidas ortográficas.   

 

 

 

 

3.2 MATEMÁTICA

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens do ensino de matemática com práticas inovadoras;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Ampliar o significado do número natural pelo seu uso em situações problemas e pelo reconhecimento de relações e regularidade;
  • Formular hipóteses sobre a grandeza numérica pela observação da posição dos algarismos na representação decimal de um número racional.
  • Relacionar as atividades matemáticas com o cotidiano do aluno;
  • Aprender o significado da matemática e as conecções que ela estabelece entre as demais disciplinas.

Criar situação problemas com base nas quatro operações;

Trabalhar a tabuada como lógica operatória indispensável na formação do raciocínio lógico;

Propor atividades motivadoras que vão de encontro com os conflitos cognitivos;

Valorizar a experiência de aprendizagem de matemática como ponte de novos conhecimentos;

Interpretar medidas de tempo;

 

  • Situações de aprendizagem a partir de vivencias do aluno com o sistema de numeração, adição, subtração, multiplicação e divisão.
  • Atividades através de resolução de problemas, visando estimular a participação ativa no processo de construção do raciocínio lógico;
  • Atividades lúdicas que favoreçam cálculos mentais a fim de contribuir de forma significativa para o conhecimento matemático;
  • Propor atividades por meio de situações ligadas ao cotidiano exploradas na forma de jogos, quebra cabeça, dominó, Tangran, jogo da memória, softwares;
  • Atividades que envolvam procedimentos de cálculo mental, escrita, exato (números divisíveis), focando o cotidiano do aluno;
  • Atividades criativas que motivem a investigação, exploração e interpretação em diferentes contextos ou áreas de conhecimentos curriculares;
  • Atividades que envolvam porcentagem, medidas de comprimento, medidas de capacidades, medidas de massa, volumes e figuras geométricas;
  • Através de situações concretas, explorar dia, hora, minutos segundos e outras medidas de tempo.

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos educativos,

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades impressas, panfletos, bula de remédio, conta de água e de luz e outros.   

 

Trabalhando o raciocínio lógico por meio de estratégias  lúdicas;

Oferecer atividades por meios de jogos que favoreçam os esquemas mentais de forma a acionar e estimular o pensamento lógico;

Desenvolver procedimentos de cálculo por meios de jogos, quebra-cabeça, Tangran, cruazinhas, caça-números,

Utilizar novas tecnologias como instrumento motivador na aprendizagem de cálculos matemáticos.

Organizar e dirigir situações de aprendizagem em matemática favorecendo situações vivenciadas no cotidiano.

  •  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.3 CIÊNCIAS

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Ciências envolvendo o homem, natureza e a dinâmica da sobrevivência das espécies;

 

Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, distinguindo usos corretos e prejudiciais ao equilíbrio da natureza e a do homem;

 

Conhecer melhor o próprio corpo, descobrindo seu funcionamento sabendo da grande responsabilidade em mantê-lo ativo;

 

Conscientizar sobre as atitudes convicções, posturas positivas que ajudem a valorizar o ambiente onde vive, ou seja, seu lar, seu bairro, sua cidade, seu estado, ampliando para até o planeta terra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Identificar e compreender as relações entre a natureza com os seres vivos;
  • Caracterizar causas e consequências da intervenção humana mediante os recursos naturais
  • Conscientizar a respeito de materiais recicláveis e processos de tratamento de determinados materiais depositado no lixo;
  • Explicar sobre a importância do corpo humano como um todo integrado focando a saúde como bem estar físico, social e psíquico do indivíduo;

 

  • Analisar diferentes alimentos como fonte de matéria e energia para o crescimento e manutenção do corpo;

 

 

  • Analisar diferenças do aparelho reprodutor masculino e feminino, e as mudanças no corpo que ocorre com a puberdade e outros comportamentos que variam em fazes da vida;

 

  • Analisar a importância dos recursos naturais para a sobrevivência das espécies;

 

  • Refletir sobre a importância da higiene pessoal como bem estar psíquico, físico e social;

 

  • Explicar sobre os fenômenos naturais que acontecem em cada estação do ano;

 

 

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.4 Geografia

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

O saber geográfico tem importância essencial para a sociedade na medida em que se propicia condições para o conhecimento da sua organização espacial;

 

Oficinas de aprendizagem

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Reconhecer a presença do sujeito histórico que ocupa e contribui para a construção e transformação do espaço geográfico;
  • Saber utilizar a linguagem cartográfica (direção, distancia, orientação e proporção), na representação do espaço geográfico;
  • Reconhecer no lugar no qual se encontram inseridos, as relações existentes entre o contexto urbano e o contexto rural, bem como as relações estabelecidas entre o presente e o passado;
  • Compreender algumas das consequências das transformações da natureza causadas pelas ações humanas, presentes na paisagem local e em paisagens urbanas e rurais;
  • Entender que os procedimentos tecnológicos contribuem para a melhoria da vida humana dentro de um contexto social;
  • Adotar uma atitude responsável em relação ao meio ambiente, reivindicando quando possível, o direito de todos a uma vida plena num ambiente preservado e saudável;
  • Falar sobre as necessidades e formas de tratamento dos detritos humanos: coleta de lixo, destino e tratamento do esgoto, Procedimentos possíveis adequados as condições do sistema de esgoto, reciclagem e outros;
  • Explicar a respeito dos cuidados necessários para o desenvolvimento das plantas e dos animais;
  • Refletir sobre as práticas que evitam desperdícios no uso cotidiano de recursos, tais como: água, energia e alimentos.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.5 História

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Mostrar para os alunos que todos fazem parte da história e desempenham um papel enquanto sujeitos sociais no processo de desenvolvimento histórico. Buscando-se entender as condições de nossa realidade e compreender o momento passado, seus reflexos em nossos dias bem como buscar respostas para viver no tempo presente;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Proporcionar ao aluno oportunidades para que estabeleça relações entre os fatos históricos do passado e da realidade, complexidade e dinâmica da vida na sociedade.
  • Reconhecer algumas relações sociais, econômicas, políticas e culturais, no presente e no passado;
  • Comparar acontecimentos no tempo, tendo como referência anterioridade, posterioridade e simultaneidade;
  • Reconhecer algumas semelhanças e diferenças sociais, econômicas e culturais, existentes no grupo de convívio escolar e na sua localidade;
  • Identificar diferenças culturais entre o modo de vida de sua localidade e uma comunidade indígena;
  • Construir e saber aplicar a linha do tempo, para a compreensão cronológica de momentos históricos;
  • Compreender que a história é construída por homens e mulheres que colaboram na transformação da realidade a partir de experiências próprias;
  • Pesquisar fatos históricos em forma de conhecimentos pessoas, argumentos textuais, esquemas e linhas de tempo.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;
  • .

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas;

Jogos

 Educativos;

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

Trabalho com leitura e interpretação de fontes bibliográficas;

Oficinas de aprendizagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.6 ARTES

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Artes envolvendo habilidades, criatividade, curiosidade do aluno por meio de diferentes linguagens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Trabalhar a comunicação através de procedimentos artisticos;
  • Interagir as atividades artísticas como mediadoras do conhecimento interdisciplinar;
  • Reproduzir algumas produções artísticas presentes na cidade, no bairro e na escola.

 

 

  • Recriar imagens do cotidiano do aluno;
  • Expressar livremente as habilidades artísticas;
  • Trabalhar com dinâmicas que desenvolvem expressões fisionômicas e, corporais;
  • Recriar conteúdos através de histórias em quadrinhos, Onomatopéias, Ilustrações de textos;

 

  • Aplicar letras diferenciadas em contextos comunicativo;
  • Trabalhar com dobraduras, recortes, colagens, formas geométricas, mosaico, como estratégia de relaxamento;
  • Utilizar a linguagem artística como veículo de expressões musicais e oratótias(poesias, poemas, paródias, etc);
  • Criar oficinas objetivando oferecer estímulos sensoriais e emocionais;

 

  • Trabalhar com materiais recicláveis;

 

  • Reproduzir produções de artísticas que marcaram épocas.

 

 

 

  • Confecções de jogos pedagógicos, lembrancinhas relativas as datas comemorativas;
  • Projetos envolvendo dramatização e Sarau;
  • Exposição de trabalhos para o reconhecimento da comunidade;

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivos, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdas;

 

 

Materiais de artes:

desenho,

 recorte  colagem;

Papéis variados,

Gravuras, carimbo, pincel atômico, Tinta guache, Objetos recicláveis

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de artes que marcaram a história brasileira;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

Os procedimentos avaliativos na Sala AEE (Atendimento Educacional Especializado) desenvolver-se a por meio de estudo de caso, objetivando a organizar o perfil do aluno que possibilite a elaboração de projetos de intervenções do AEE.

Nesse contexto escolar o aluno com dificuldades de aprendizagem será avaliado em função de determinados aspectos: motores, desenvolvimento da expressão oral e escrita, habilidades para lidar com o raciocínio lógico matemático, os aspectos cognitivos, afetividade e interação com os demais participantes.

Em relação aos instrumentos de avaliação, estes devem ser variados, porém necessitam diagnosticar sistematicamente a construção dos saberes específicos, capacidades, habilidades, além de aspectos ligados ao desenvolvimento pessoal e social, pois os mesmos deverão reconhecer as diferentes trajetórias de vida dos educandos, precisa ser flexível aos objetivos, conteúdos e formas de ensinar e do próprio ato de avaliar. É necessário dominar o que se ensina e saber qual é relevância social e cognitiva para definir o que vai ser avaliado(SILVA, 2003).

 

SILVA, j. Introdução: avaliação da aprendizagem numa perspectiva reguladora, Porto Alegre: Mediação, 2003.  

 

Adriana Peres de Barros -Especialista em Educação Infantil; Gean Karla Dias Pimentel- Especialista em Psicopedagogia; Graciele Castro Silva - Graduada em Administração ; Jane Gomes Castro -  Especialista em Educação Infantil ; Lidiane Oliveira Rocha- graduada em Pedagogia: Especialista em Docência na Educação Infantil- UFMT; Lidiane da Silva Xavier - Especialista em Educação Infantil; Renata Rodrigues de Arruda - Especialista em Educação Infantil; Tatiane de Souza Gil - Especialista em Educação Especial e Libras

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As ações pedagógicas de intervenção traz várias estratégias motivadoras, a fim de atender as necessidades de aprendizagem de cada grupo de alunos diagnósticos em encaminhados a sala de recursos.

Os alunos serão agrupados segundo critério estabelecido, visando sua integração e assimilação do conteúdo colocando-os como ajudantes entre si, conforme determinação da zona proximal, na qual o aluno aprende na relação com o outro. Posteriormente, o aluno e capaz de realizar novas construções de conhecimentos sozinhos.

 As atividades serão trabalhadas de forma lúdica despertando, interesse, criatividade, curiosidade com variedades de textos. O regate dos conteúdos disciplinares por meio de texto. O resgate dos conteúdos disciplinares por meio de textos, atividades lúdicas revela-se em estratégias que possibilita ao aluno a usa-la em situações significativas.

As ações apresentadas constituem com atividades exclusivamente observável e resulta em novos conhecimentos, cujos resultados podem ser registrados. Por meio da capacidade do professor saber integrar a teoria com a pratica.

O processo de desenvolvimento das ações elencadas, fundamenta-se na importância de criar condições propicia de aprendizagem ter domínio do que ensina e saber qual é a relevância social e cognitiva do que foi ensinado.

Os conteúdos, os meios, os procedimentos avaliativos devem provocar, estimular e ajudar o aluno a criar uma relação pertinente com os conteúdos. Mais do que transmitir o conhecimento, e necessário articular experiências em que o aluno reflita sobre os mesmos e suas interações com a realidade.

Considerar também, que esses alunos com deficiência possuem não somente aspectos físicos, são sujeitos de um mundo cada vez mais exigentes, são alunos com suas histórias de vida marcada por fracasso, frustação, cada um com uma realidade diferente, marcadas por trajetórias de vida que na maioria são desconhecidas e acabam interferindo no desenvolvimento intelectual e social dos mesmo. Devido a isso e a outras fatores é importante levar em consideração esses fragmentos que ele traz para a sala de aula.

Enfatizamos, ainda, que tais procedimentos de desenvolvimento, são flexíveis e negociáveis, elas recorrem das vantagens dos métodos ativos e dos princípios, que evidenciam que são práticas educativas que exigem com que o professor esteja sempre lidando com as percepções dos alunos e que suas percepções previas, as quais são únicas, cada um percebera e recebera de maneira única o que lhe for ensinado.

Para consecução desses procedimentos, utilizamos varias recursos audiovisuais tais como: filmes, musicas, jogos, vídeos, oficinas, danças e outros. Segundo a necessidade e ocasiões especificas. São procedimentos reaquecem na colaboração do gestor escolar, da coordenação, dos pais e da própria comunidade escolar.

 

Tempo para a realização do projeto

Professora na Sala de Recursos Multifuncional atendendo alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEEs) no Ensino Regular da E.E. “André Antônio Maggi” bem como de outras Unidades Escolares.

3.1 Língua Portuguesa

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Construção do perfil do aluno.

Diagnóstico a respeito das dificuldades de cada aluno.

História social do aluno e da família.

  • Ficha de Anamnese com atividades que contemplem tais habilidades: lateralidade, coordenação motora, percepção visual, auditiva, gustativa e tátil.
  • Leitura-interpretações.
  • Raciocínio lógico
  • Definição do tempo
  • Histórico de cada aluno.

 

Estudo de Caso.

 

Consolidar as atividades da sala de recursos multifuncional com o Projeto Pedagógico.

Considerando a Diretrizes Educacionais como eixo norteador no trabalho profissional é extremamente necessário associá-las a teoria com a prática.

  • Estudo da legislação;
  • Elaboração de projetos e plano de trabalho em consonância com o PPP.
  • Valorizar o conhecimento prévio do aluno.

Segundo as necessidades diagnosticadas.

Compreensão da função da escrita.

Produção de texto, leitura de textos diversificados: poemas, músicas, histórias em quadrinho, aventuras, fixação, parlendas, .....folclóricos, teatro, panfletos, Outdoor...  etc.. Trabalhar com a coerência e coesão textual;

Ortografia e gramática contextualizada

 

  • Hora do Conto: contar histórias após leitura das mesmas. Teatro de sombras, fantoches, cartaz de prega. Filmes, documentários.
  • Hora da Conversa: espaço para que alunos e professor viabilizem suas opiniões sobre diferentes leituras.
  • Explorar as embalagens de produtos;
  • Explorar as relações entre fonemas e grafemas das palavras identificadas nas embalagens;
  • Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras;
  • Elaboração de portfólio e discussão com os alunos sobre os textos;
  • Dominar convicções gráficas(como a orientação e o alinhamento da escrita, função dos espaços e pontuação no final das frases);
  • Jogando com sílabas e palavras (tônicas e átonas);
  • Decompor e recompor palavras; Ex: vaca- cava, pato-prato, etc.
  • Utilizar estruturas silábicas mais complexas e aumentar o número de sílabas a partir das palavras monossílabas; Ex: lá – laranja, laço, lápis, lagoa etc.
  • Trabalhando com ideias opostas;
  • Colocando-se no lugar do autor e personagens do texto;
  • Oficina de textos jornalísticos, publicidade e propaganda.
  • Despertar o interesse para a leitura crítica de noticiários (jornal);
  • Fotografias
  • Construção da Frase do dia: espaço para que os alunos formulem uma frase a um determinado tema.
  • Hora do lúdico: quebra cabeça envolvendo: vocábulos, textos diversificados, caça-palavras, cruzadinhas, uso do dicionário, teatros de sombras e fantoches, softwares educativos (jogos no computador) dramatização, acróstico, dinâmicas. Parlendas, desenhos, recortes, colagens. Linguagem televisiva com roteiro de análise, etc.
  • Hora da Música: Musicas como documento histórico; Atividades musicais, que possibilitem aos alunos vivências e descobertas, socialização, entonação, (oralidade). Escutar gravações de músicas e acompanha-las com palmas. Criação de instrumentos musicais como estratégia motivadora. Jogos que utilize canções: escravo de jó... revisão gramatical

 

Proporcionar situações em que se estabeleça o uso da linguagem oral e escrita com diferentes finalidades comunicativas;

Leitura e escrita de textos diversos;

Pesquisar textos de acordo com os gêneros trabalhados;

Identificação e coleta de textos em diferentes contextos;

Criar outros textos iguais aos dos gêneros estudados;

Fazer exposição da produção dos alunos em painéis;

Propor textos poéticos, musicais ou reescreve-los introduzindo modificações;

Escrever anúncios, avisos, propagandas, panfletos, cartazes e rótulos em situações que o cotidiano oferece, considerando o tipo de mensagem que se quer transmitir;

Redigir textos conforme as datas comemorativas;

Criar enderenços eletrônicos e enviar e-mails;

Identificar elementos gráficos e visuais que compõem o jornal e sua função social (diagramação, fotografias, ilustrações, tipos de letras, gráficos e tabelas);

Escrever notícias sobre o cotidiano da escola, da sala de aula,

 bairro, de situações e fatos sociais, fazendo uso de linguagem adequada.

Saber fazer uso das letras maiúsculas e minúsculas (formas cursivas) na produção de textos;

Saber localizar-se no tempo (ontem, hoje, amanhã, antes, durante, depois) aprimorando a linguagem discursiva, abordando o tempo dos acontecimentos e a sequencia dos fatos no textos);

Reconhecer e usar os sinais de pontuação como indicadores de sentido. Travessão, dois pontos, virgula, exclamação e interrogação.

Fazer uso das regras ortográficas;

Utilizar adequadamente o dicionário e outras fontes escritas para resolver dúvidas ortográficas.   

 

 

 

 

3.2 MATEMÁTICA

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens do ensino de matemática com práticas inovadoras;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Ampliar o significado do número natural pelo seu uso em situações problemas e pelo reconhecimento de relações e regularidade;
  • Formular hipóteses sobre a grandeza numérica pela observação da posição dos algarismos na representação decimal de um número racional.
  • Relacionar as atividades matemáticas com o cotidiano do aluno;
  • Aprender o significado da matemática e as conecções que ela estabelece entre as demais disciplinas.

Criar situação problemas com base nas quatro operações;

Trabalhar a tabuada como lógica operatória indispensável na formação do raciocínio lógico;

Propor atividades motivadoras que vão de encontro com os conflitos cognitivos;

Valorizar a experiência de aprendizagem de matemática como ponte de novos conhecimentos;

Interpretar medidas de tempo;

 

  • Situações de aprendizagem a partir de vivencias do aluno com o sistema de numeração, adição, subtração, multiplicação e divisão.
  • Atividades através de resolução de problemas, visando estimular a participação ativa no processo de construção do raciocínio lógico;
  • Atividades lúdicas que favoreçam cálculos mentais a fim de contribuir de forma significativa para o conhecimento matemático;
  • Propor atividades por meio de situações ligadas ao cotidiano exploradas na forma de jogos, quebra cabeça, dominó, Tangran, jogo da memória, softwares;
  • Atividades que envolvam procedimentos de cálculo mental, escrita, exato (números divisíveis), focando o cotidiano do aluno;
  • Atividades criativas que motivem a investigação, exploração e interpretação em diferentes contextos ou áreas de conhecimentos curriculares;
  • Atividades que envolvam porcentagem, medidas de comprimento, medidas de capacidades, medidas de massa, volumes e figuras geométricas;
  • Através de situações concretas, explorar dia, hora, minutos segundos e outras medidas de tempo.

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos educativos,

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades impressas, panfletos, bula de remédio, conta de água e de luz e outros.   

 

Trabalhando o raciocínio lógico por meio de estratégias  lúdicas;

Oferecer atividades por meios de jogos que favoreçam os esquemas mentais de forma a acionar e estimular o pensamento lógico;

Desenvolver procedimentos de cálculo por meios de jogos, quebra-cabeça, Tangran, cruazinhas, caça-números,

Utilizar novas tecnologias como instrumento motivador na aprendizagem de cálculos matemáticos.

Organizar e dirigir situações de aprendizagem em matemática favorecendo situações vivenciadas no cotidiano.

  •  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.3 CIÊNCIAS

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Ciências envolvendo o homem, natureza e a dinâmica da sobrevivência das espécies;

 

Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, distinguindo usos corretos e prejudiciais ao equilíbrio da natureza e a do homem;

 

Conhecer melhor o próprio corpo, descobrindo seu funcionamento sabendo da grande responsabilidade em mantê-lo ativo;

 

Conscientizar sobre as atitudes convicções, posturas positivas que ajudem a valorizar o ambiente onde vive, ou seja, seu lar, seu bairro, sua cidade, seu estado, ampliando para até o planeta terra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Identificar e compreender as relações entre a natureza com os seres vivos;
  • Caracterizar causas e consequências da intervenção humana mediante os recursos naturais
  • Conscientizar a respeito de materiais recicláveis e processos de tratamento de determinados materiais depositado no lixo;
  • Explicar sobre a importância do corpo humano como um todo integrado focando a saúde como bem estar físico, social e psíquico do indivíduo;

 

  • Analisar diferentes alimentos como fonte de matéria e energia para o crescimento e manutenção do corpo;

 

 

  • Analisar diferenças do aparelho reprodutor masculino e feminino, e as mudanças no corpo que ocorre com a puberdade e outros comportamentos que variam em fazes da vida;

 

  • Analisar a importância dos recursos naturais para a sobrevivência das espécies;

 

  • Refletir sobre a importância da higiene pessoal como bem estar psíquico, físico e social;

 

  • Explicar sobre os fenômenos naturais que acontecem em cada estação do ano;

 

 

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.4 Geografia

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

O saber geográfico tem importância essencial para a sociedade na medida em que se propicia condições para o conhecimento da sua organização espacial;

 

Oficinas de aprendizagem

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Reconhecer a presença do sujeito histórico que ocupa e contribui para a construção e transformação do espaço geográfico;
  • Saber utilizar a linguagem cartográfica (direção, distancia, orientação e proporção), na representação do espaço geográfico;
  • Reconhecer no lugar no qual se encontram inseridos, as relações existentes entre o contexto urbano e o contexto rural, bem como as relações estabelecidas entre o presente e o passado;
  • Compreender algumas das consequências das transformações da natureza causadas pelas ações humanas, presentes na paisagem local e em paisagens urbanas e rurais;
  • Entender que os procedimentos tecnológicos contribuem para a melhoria da vida humana dentro de um contexto social;
  • Adotar uma atitude responsável em relação ao meio ambiente, reivindicando quando possível, o direito de todos a uma vida plena num ambiente preservado e saudável;
  • Falar sobre as necessidades e formas de tratamento dos detritos humanos: coleta de lixo, destino e tratamento do esgoto, Procedimentos possíveis adequados as condições do sistema de esgoto, reciclagem e outros;
  • Explicar a respeito dos cuidados necessários para o desenvolvimento das plantas e dos animais;
  • Refletir sobre as práticas que evitam desperdícios no uso cotidiano de recursos, tais como: água, energia e alimentos.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.5 História

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Mostrar para os alunos que todos fazem parte da história e desempenham um papel enquanto sujeitos sociais no processo de desenvolvimento histórico. Buscando-se entender as condições de nossa realidade e compreender o momento passado, seus reflexos em nossos dias bem como buscar respostas para viver no tempo presente;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Proporcionar ao aluno oportunidades para que estabeleça relações entre os fatos históricos do passado e da realidade, complexidade e dinâmica da vida na sociedade.
  • Reconhecer algumas relações sociais, econômicas, políticas e culturais, no presente e no passado;
  • Comparar acontecimentos no tempo, tendo como referência anterioridade, posterioridade e simultaneidade;
  • Reconhecer algumas semelhanças e diferenças sociais, econômicas e culturais, existentes no grupo de convívio escolar e na sua localidade;
  • Identificar diferenças culturais entre o modo de vida de sua localidade e uma comunidade indígena;
  • Construir e saber aplicar a linha do tempo, para a compreensão cronológica de momentos históricos;
  • Compreender que a história é construída por homens e mulheres que colaboram na transformação da realidade a partir de experiências próprias;
  • Pesquisar fatos históricos em forma de conhecimentos pessoas, argumentos textuais, esquemas e linhas de tempo.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;
  • .

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas;

Jogos

 Educativos;

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

Trabalho com leitura e interpretação de fontes bibliográficas;

Oficinas de aprendizagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.6 ARTES

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Artes envolvendo habilidades, criatividade, curiosidade do aluno por meio de diferentes linguagens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Trabalhar a comunicação através de procedimentos artisticos;
  • Interagir as atividades artísticas como mediadoras do conhecimento interdisciplinar;
  • Reproduzir algumas produções artísticas presentes na cidade, no bairro e na escola.

 

 

  • Recriar imagens do cotidiano do aluno;
  • Expressar livremente as habilidades artísticas;
  • Trabalhar com dinâmicas que desenvolvem expressões fisionômicas e, corporais;
  • Recriar conteúdos através de histórias em quadrinhos, Onomatopéias, Ilustrações de textos;

 

  • Aplicar letras diferenciadas em contextos comunicativo;
  • Trabalhar com dobraduras, recortes, colagens, formas geométricas, mosaico, como estratégia de relaxamento;
  • Utilizar a linguagem artística como veículo de expressões musicais e oratótias(poesias, poemas, paródias, etc);
  • Criar oficinas objetivando oferecer estímulos sensoriais e emocionais;

 

  • Trabalhar com materiais recicláveis;

 

  • Reproduzir produções de artísticas que marcaram épocas.

 

 

 

  • Confecções de jogos pedagógicos, lembrancinhas relativas as datas comemorativas;
  • Projetos envolvendo dramatização e Sarau;
  • Exposição de trabalhos para o reconhecimento da comunidade;

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivos, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdas;

 

 

Materiais de artes:

desenho,

 recorte  colagem;

Papéis variados,

Gravuras, carimbo, pincel atômico, Tinta guache, Objetos recicláveis

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de artes que marcaram a história brasileira;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

Os procedimentos avaliativos na Sala AEE (Atendimento Educacional Especializado) desenvolver-se a por meio de estudo de caso, objetivando a organizar o perfil do aluno que possibilite a elaboração de projetos de intervenções do AEE.

Nesse contexto escolar o aluno com dificuldades de aprendizagem será avaliado em função de determinados aspectos: motores, desenvolvimento da expressão oral e escrita, habilidades para lidar com o raciocínio lógico matemático, os aspectos cognitivos, afetividade e interação com os demais participantes.

Em relação aos instrumentos de avaliação, estes devem ser variados, porém necessitam diagnosticar sistematicamente a construção dos saberes específicos, capacidades, habilidades, além de aspectos ligados ao desenvolvimento pessoal e social, pois os mesmos deverão reconhecer as diferentes trajetórias de vida dos educandos, precisa ser flexível aos objetivos, conteúdos e formas de ensinar e do próprio ato de avaliar. É necessário dominar o que se ensina e saber qual é relevância social e cognitiva para definir o que vai ser avaliado(SILVA, 2003).

 

SILVA, j. Introdução: avaliação da aprendizagem numa perspectiva reguladora, Porto Alegre: Mediação, 2003.  

 

Adriana Peres de Barros -Especialista em Educação Infantil; Gean Karla Dias Pimentel- Especialista em Psicopedagogia; Graciele Castro Silva - Graduada em Administração ; Jane Gomes Castro -  Especialista em Educação Infantil ; Lidiane Oliveira Rocha- graduada em Pedagogia: Especialista em Docência na Educação Infantil- UFMT; Lidiane da Silva Xavier - Especialista em Educação Infantil; Renata Rodrigues de Arruda - Especialista em Educação Infantil; Tatiane de Souza Gil - Especialista em Educação Especial e Libras

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As ações pedagógicas de intervenção traz várias estratégias motivadoras, a fim de atender as necessidades de aprendizagem de cada grupo de alunos diagnósticos em encaminhados a sala de recursos.

Os alunos serão agrupados segundo critério estabelecido, visando sua integração e assimilação do conteúdo colocando-os como ajudantes entre si, conforme determinação da zona proximal, na qual o aluno aprende na relação com o outro. Posteriormente, o aluno e capaz de realizar novas construções de conhecimentos sozinhos.

 As atividades serão trabalhadas de forma lúdica despertando, interesse, criatividade, curiosidade com variedades de textos. O regate dos conteúdos disciplinares por meio de texto. O resgate dos conteúdos disciplinares por meio de textos, atividades lúdicas revela-se em estratégias que possibilita ao aluno a usa-la em situações significativas.

As ações apresentadas constituem com atividades exclusivamente observável e resulta em novos conhecimentos, cujos resultados podem ser registrados. Por meio da capacidade do professor saber integrar a teoria com a pratica.

O processo de desenvolvimento das ações elencadas, fundamenta-se na importância de criar condições propicia de aprendizagem ter domínio do que ensina e saber qual é a relevância social e cognitiva do que foi ensinado.

Os conteúdos, os meios, os procedimentos avaliativos devem provocar, estimular e ajudar o aluno a criar uma relação pertinente com os conteúdos. Mais do que transmitir o conhecimento, e necessário articular experiências em que o aluno reflita sobre os mesmos e suas interações com a realidade.

Considerar também, que esses alunos com deficiência possuem não somente aspectos físicos, são sujeitos de um mundo cada vez mais exigentes, são alunos com suas histórias de vida marcada por fracasso, frustação, cada um com uma realidade diferente, marcadas por trajetórias de vida que na maioria são desconhecidas e acabam interferindo no desenvolvimento intelectual e social dos mesmo. Devido a isso e a outras fatores é importante levar em consideração esses fragmentos que ele traz para a sala de aula.

Enfatizamos, ainda, que tais procedimentos de desenvolvimento, são flexíveis e negociáveis, elas recorrem das vantagens dos métodos ativos e dos princípios, que evidenciam que são práticas educativas que exigem com que o professor esteja sempre lidando com as percepções dos alunos e que suas percepções previas, as quais são únicas, cada um percebera e recebera de maneira única o que lhe for ensinado.

Para consecução desses procedimentos, utilizamos varias recursos audiovisuais tais como: filmes, musicas, jogos, vídeos, oficinas, danças e outros. Segundo a necessidade e ocasiões especificas. São procedimentos reaquecem na colaboração do gestor escolar, da coordenação, dos pais e da própria comunidade escolar.

 

Tempo para a realização do projeto

Professora na Sala de Recursos Multifuncional atendendo alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEEs) no Ensino Regular da E.E. “André Antônio Maggi” bem como de outras Unidades Escolares.

3.1 Língua Portuguesa

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Construção do perfil do aluno.

Diagnóstico a respeito das dificuldades de cada aluno.

História social do aluno e da família.

  • Ficha de Anamnese com atividades que contemplem tais habilidades: lateralidade, coordenação motora, percepção visual, auditiva, gustativa e tátil.
  • Leitura-interpretações.
  • Raciocínio lógico
  • Definição do tempo
  • Histórico de cada aluno.

 

Estudo de Caso.

 

Consolidar as atividades da sala de recursos multifuncional com o Projeto Pedagógico.

Considerando a Diretrizes Educacionais como eixo norteador no trabalho profissional é extremamente necessário associá-las a teoria com a prática.

  • Estudo da legislação;
  • Elaboração de projetos e plano de trabalho em consonância com o PPP.
  • Valorizar o conhecimento prévio do aluno.

Segundo as necessidades diagnosticadas.

Compreensão da função da escrita.

Produção de texto, leitura de textos diversificados: poemas, músicas, histórias em quadrinho, aventuras, fixação, parlendas, .....folclóricos, teatro, panfletos, Outdoor...  etc.. Trabalhar com a coerência e coesão textual;

Ortografia e gramática contextualizada

 

  • Hora do Conto: contar histórias após leitura das mesmas. Teatro de sombras, fantoches, cartaz de prega. Filmes, documentários.
  • Hora da Conversa: espaço para que alunos e professor viabilizem suas opiniões sobre diferentes leituras.
  • Explorar as embalagens de produtos;
  • Explorar as relações entre fonemas e grafemas das palavras identificadas nas embalagens;
  • Reconhecer unidades fonológicas como sílabas, rimas, terminações de palavras;
  • Elaboração de portfólio e discussão com os alunos sobre os textos;
  • Dominar convicções gráficas(como a orientação e o alinhamento da escrita, função dos espaços e pontuação no final das frases);
  • Jogando com sílabas e palavras (tônicas e átonas);
  • Decompor e recompor palavras; Ex: vaca- cava, pato-prato, etc.
  • Utilizar estruturas silábicas mais complexas e aumentar o número de sílabas a partir das palavras monossílabas; Ex: lá – laranja, laço, lápis, lagoa etc.
  • Trabalhando com ideias opostas;
  • Colocando-se no lugar do autor e personagens do texto;
  • Oficina de textos jornalísticos, publicidade e propaganda.
  • Despertar o interesse para a leitura crítica de noticiários (jornal);
  • Fotografias
  • Construção da Frase do dia: espaço para que os alunos formulem uma frase a um determinado tema.
  • Hora do lúdico: quebra cabeça envolvendo: vocábulos, textos diversificados, caça-palavras, cruzadinhas, uso do dicionário, teatros de sombras e fantoches, softwares educativos (jogos no computador) dramatização, acróstico, dinâmicas. Parlendas, desenhos, recortes, colagens. Linguagem televisiva com roteiro de análise, etc.
  • Hora da Música: Musicas como documento histórico; Atividades musicais, que possibilitem aos alunos vivências e descobertas, socialização, entonação, (oralidade). Escutar gravações de músicas e acompanha-las com palmas. Criação de instrumentos musicais como estratégia motivadora. Jogos que utilize canções: escravo de jó... revisão gramatical

 

Proporcionar situações em que se estabeleça o uso da linguagem oral e escrita com diferentes finalidades comunicativas;

Leitura e escrita de textos diversos;

Pesquisar textos de acordo com os gêneros trabalhados;

Identificação e coleta de textos em diferentes contextos;

Criar outros textos iguais aos dos gêneros estudados;

Fazer exposição da produção dos alunos em painéis;

Propor textos poéticos, musicais ou reescreve-los introduzindo modificações;

Escrever anúncios, avisos, propagandas, panfletos, cartazes e rótulos em situações que o cotidiano oferece, considerando o tipo de mensagem que se quer transmitir;

Redigir textos conforme as datas comemorativas;

Criar enderenços eletrônicos e enviar e-mails;

Identificar elementos gráficos e visuais que compõem o jornal e sua função social (diagramação, fotografias, ilustrações, tipos de letras, gráficos e tabelas);

Escrever notícias sobre o cotidiano da escola, da sala de aula,

 bairro, de situações e fatos sociais, fazendo uso de linguagem adequada.

Saber fazer uso das letras maiúsculas e minúsculas (formas cursivas) na produção de textos;

Saber localizar-se no tempo (ontem, hoje, amanhã, antes, durante, depois) aprimorando a linguagem discursiva, abordando o tempo dos acontecimentos e a sequencia dos fatos no textos);

Reconhecer e usar os sinais de pontuação como indicadores de sentido. Travessão, dois pontos, virgula, exclamação e interrogação.

Fazer uso das regras ortográficas;

Utilizar adequadamente o dicionário e outras fontes escritas para resolver dúvidas ortográficas.   

 

 

 

 

3.2 MATEMÁTICA

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens do ensino de matemática com práticas inovadoras;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Ampliar o significado do número natural pelo seu uso em situações problemas e pelo reconhecimento de relações e regularidade;
  • Formular hipóteses sobre a grandeza numérica pela observação da posição dos algarismos na representação decimal de um número racional.
  • Relacionar as atividades matemáticas com o cotidiano do aluno;
  • Aprender o significado da matemática e as conecções que ela estabelece entre as demais disciplinas.

Criar situação problemas com base nas quatro operações;

Trabalhar a tabuada como lógica operatória indispensável na formação do raciocínio lógico;

Propor atividades motivadoras que vão de encontro com os conflitos cognitivos;

Valorizar a experiência de aprendizagem de matemática como ponte de novos conhecimentos;

Interpretar medidas de tempo;

 

  • Situações de aprendizagem a partir de vivencias do aluno com o sistema de numeração, adição, subtração, multiplicação e divisão.
  • Atividades através de resolução de problemas, visando estimular a participação ativa no processo de construção do raciocínio lógico;
  • Atividades lúdicas que favoreçam cálculos mentais a fim de contribuir de forma significativa para o conhecimento matemático;
  • Propor atividades por meio de situações ligadas ao cotidiano exploradas na forma de jogos, quebra cabeça, dominó, Tangran, jogo da memória, softwares;
  • Atividades que envolvam procedimentos de cálculo mental, escrita, exato (números divisíveis), focando o cotidiano do aluno;
  • Atividades criativas que motivem a investigação, exploração e interpretação em diferentes contextos ou áreas de conhecimentos curriculares;
  • Atividades que envolvam porcentagem, medidas de comprimento, medidas de capacidades, medidas de massa, volumes e figuras geométricas;
  • Através de situações concretas, explorar dia, hora, minutos segundos e outras medidas de tempo.

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos educativos,

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades impressas, panfletos, bula de remédio, conta de água e de luz e outros.   

 

Trabalhando o raciocínio lógico por meio de estratégias  lúdicas;

Oferecer atividades por meios de jogos que favoreçam os esquemas mentais de forma a acionar e estimular o pensamento lógico;

Desenvolver procedimentos de cálculo por meios de jogos, quebra-cabeça, Tangran, cruazinhas, caça-números,

Utilizar novas tecnologias como instrumento motivador na aprendizagem de cálculos matemáticos.

Organizar e dirigir situações de aprendizagem em matemática favorecendo situações vivenciadas no cotidiano.

  •  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.3 CIÊNCIAS

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Ciências envolvendo o homem, natureza e a dinâmica da sobrevivência das espécies;

 

Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, distinguindo usos corretos e prejudiciais ao equilíbrio da natureza e a do homem;

 

Conhecer melhor o próprio corpo, descobrindo seu funcionamento sabendo da grande responsabilidade em mantê-lo ativo;

 

Conscientizar sobre as atitudes convicções, posturas positivas que ajudem a valorizar o ambiente onde vive, ou seja, seu lar, seu bairro, sua cidade, seu estado, ampliando para até o planeta terra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Identificar e compreender as relações entre a natureza com os seres vivos;
  • Caracterizar causas e consequências da intervenção humana mediante os recursos naturais
  • Conscientizar a respeito de materiais recicláveis e processos de tratamento de determinados materiais depositado no lixo;
  • Explicar sobre a importância do corpo humano como um todo integrado focando a saúde como bem estar físico, social e psíquico do indivíduo;

 

  • Analisar diferentes alimentos como fonte de matéria e energia para o crescimento e manutenção do corpo;

 

 

  • Analisar diferenças do aparelho reprodutor masculino e feminino, e as mudanças no corpo que ocorre com a puberdade e outros comportamentos que variam em fazes da vida;

 

  • Analisar a importância dos recursos naturais para a sobrevivência das espécies;

 

  • Refletir sobre a importância da higiene pessoal como bem estar psíquico, físico e social;

 

  • Explicar sobre os fenômenos naturais que acontecem em cada estação do ano;

 

 

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Muraes, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.4 Geografia

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

O saber geográfico tem importância essencial para a sociedade na medida em que se propicia condições para o conhecimento da sua organização espacial;

 

Oficinas de aprendizagem

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Reconhecer a presença do sujeito histórico que ocupa e contribui para a construção e transformação do espaço geográfico;
  • Saber utilizar a linguagem cartográfica (direção, distancia, orientação e proporção), na representação do espaço geográfico;
  • Reconhecer no lugar no qual se encontram inseridos, as relações existentes entre o contexto urbano e o contexto rural, bem como as relações estabelecidas entre o presente e o passado;
  • Compreender algumas das consequências das transformações da natureza causadas pelas ações humanas, presentes na paisagem local e em paisagens urbanas e rurais;
  • Entender que os procedimentos tecnológicos contribuem para a melhoria da vida humana dentro de um contexto social;
  • Adotar uma atitude responsável em relação ao meio ambiente, reivindicando quando possível, o direito de todos a uma vida plena num ambiente preservado e saudável;
  • Falar sobre as necessidades e formas de tratamento dos detritos humanos: coleta de lixo, destino e tratamento do esgoto, Procedimentos possíveis adequados as condições do sistema de esgoto, reciclagem e outros;
  • Explicar a respeito dos cuidados necessários para o desenvolvimento das plantas e dos animais;
  • Refletir sobre as práticas que evitam desperdícios no uso cotidiano de recursos, tais como: água, energia e alimentos.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;

 

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.5 História

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Mostrar para os alunos que todos fazem parte da história e desempenham um papel enquanto sujeitos sociais no processo de desenvolvimento histórico. Buscando-se entender as condições de nossa realidade e compreender o momento passado, seus reflexos em nossos dias bem como buscar respostas para viver no tempo presente;

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Proporcionar ao aluno oportunidades para que estabeleça relações entre os fatos históricos do passado e da realidade, complexidade e dinâmica da vida na sociedade.
  • Reconhecer algumas relações sociais, econômicas, políticas e culturais, no presente e no passado;
  • Comparar acontecimentos no tempo, tendo como referência anterioridade, posterioridade e simultaneidade;
  • Reconhecer algumas semelhanças e diferenças sociais, econômicas e culturais, existentes no grupo de convívio escolar e na sua localidade;
  • Identificar diferenças culturais entre o modo de vida de sua localidade e uma comunidade indígena;
  • Construir e saber aplicar a linha do tempo, para a compreensão cronológica de momentos históricos;
  • Compreender que a história é construída por homens e mulheres que colaboram na transformação da realidade a partir de experiências próprias;
  • Pesquisar fatos históricos em forma de conhecimentos pessoas, argumentos textuais, esquemas e linhas de tempo.
  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão a fim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivo, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdos;
  • .

 

Quadro de gis,

Livros didáticos, Livros Paradidáticos,

Filmes,

Murais, jornais, revistas;

Jogos

 Educativos;

Cartazes;

Documentários;

Fotografias;

Mapas,

Filmes;

Globo Terrestre;

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, panfletos,  exemplares de água, solo, animais e vegetais;

Argila;

Pesquisa de Campo.

Construção de maquetes;

Trabalho com leitura e interpretação de fontes bibliográficas;

Oficinas de aprendizagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.6 ARTES

Elemento Estruturante

Descrição da Atividade

Infraestrutura necessária

Condições e Ações para Organização do Processo

Abordagens de conteúdos de Artes envolvendo habilidades, criatividade, curiosidade do aluno por meio de diferentes linguagens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Trabalhar a comunicação através de procedimentos artisticos;
  • Interagir as atividades artísticas como mediadoras do conhecimento interdisciplinar;
  • Reproduzir algumas produções artísticas presentes na cidade, no bairro e na escola.

 

 

  • Recriar imagens do cotidiano do aluno;
  • Expressar livremente as habilidades artísticas;
  • Trabalhar com dinâmicas que desenvolvem expressões fisionômicas e, corporais;
  • Recriar conteúdos através de histórias em quadrinhos, Onomatopéias, Ilustrações de textos;

 

  • Aplicar letras diferenciadas em contextos comunicativo;
  • Trabalhar com dobraduras, recortes, colagens, formas geométricas, mosaico, como estratégia de relaxamento;
  • Utilizar a linguagem artística como veículo de expressões musicais e oratótias(poesias, poemas, paródias, etc);
  • Criar oficinas objetivando oferecer estímulos sensoriais e emocionais;

 

  • Trabalhar com materiais recicláveis;

 

  • Reproduzir produções de artísticas que marcaram épocas.

 

 

 

  • Confecções de jogos pedagógicos, lembrancinhas relativas as datas comemorativas;
  • Projetos envolvendo dramatização e Sarau;
  • Exposição de trabalhos para o reconhecimento da comunidade;

 

  • Situações de aprendizagens a partir de vivencias do próprio aluno valorizando seus conhecimentos prévios a cerca dos temas em estudo;
  • As atividades devem estimular sua participação ativa no processo de construção do conhecimento, possibilitando assim a observação, a investigação, o diálogo, a reflexão afim de contribuírem de forma significativa para a ampliação ou modificação dos seus conhecimentos.;
  • Atividades motivadoras ligadas ao cotidiano exploradas na forma de músicas, jogos, questionamentos, abrindo espaço para que os alunos possam expor seu entendimento sobre o tema;
  • Estimular os alunos a participarem expondo seus conceitos intuitivos, levantando dúvidas e aprendendo a ouvir, respeitando outras ideias ainda que pareça absurdas;

 

 

Materiais de artes:

desenho,

 recorte  colagem;

Papéis variados,

Gravuras, carimbo, pincel atômico, Tinta guache, Objetos recicláveis

Filmes,

Murais, jornais, revistas

Jogos

 educativos,

Cartazes

TV, Vídeo, DVD, Notebook,

Cds, computador, escâner, impressoras, atividades interdisciplinares, impressas, panfletos,  exemplares de artes que marcaram a história brasileira;

Argila;

Pesquisa de Campo.

 

 

Os procedimentos avaliativos na Sala AEE (Atendimento Educacional Especializado) desenvolver-se a por meio de estudo de caso, objetivando a organizar o perfil do aluno que possibilite a elaboração de projetos de intervenções do AEE.

Nesse contexto escolar o aluno com dificuldades de aprendizagem será avaliado em função de determinados aspectos: motores, desenvolvimento da expressão oral e escrita, habilidades para lidar com o raciocínio lógico matemático, os aspectos cognitivos, afetividade e interação com os demais participantes.

Em relação aos instrumentos de avaliação, estes devem ser variados, porém necessitam diagnosticar sistematicamente a construção dos saberes específicos, capacidades, habilidades, além de aspectos ligados ao desenvolvimento pessoal e social, pois os mesmos deverão reconhecer as diferentes trajetórias de vida dos educandos, precisa ser flexível aos objetivos, conteúdos e formas de ensinar e do próprio ato de avaliar. É necessário dominar o que se ensina e saber qual é relevância social e cognitiva para definir o que vai ser avaliado(SILVA, 2003).

 

SILVA, j. Introdução: avaliação da aprendizagem numa perspectiva reguladora, Porto Alegre: Mediação, 2003.  

 

Adriana Peres de Barros -Especialista em Educação Infantil; Gean Karla Dias Pimentel- Especialista em Psicopedagogia; Graciele Castro Silva - Graduada em Administração ; Jane Gomes Castro -  Especialista em Educação Infantil ; Lidiane Oliveira Rocha- graduada em Pedagogia: Especialista em Docência na Educação Infantil- UFMT; Lidiane da Silva Xavier - Especialista em Educação Infantil; Renata Rodrigues de Arruda - Especialista em Educação Infantil; Tatiane de Souza Gil - Especialista em Educação Especial e Libras