Este vazio decorrente da falta de amor recebido, falta de reconhecimento deste sentimento doado constantemente, este vazio escorre por entre a alma... É a tentativa de descrever uma dor insuportável. A solidão. Por isso o amor sempre será esse mistério, essa ferida aberta, esse medo frágil e delicado. E é isso que faz do amor algo tão difícil de acontecer. Porque a gente olha para os céus e pede asas, para aquele momento em que a gente fechar os olhos e mergulhar de cabeça. Talvez amar seja isso, cair de cabeça sem qualquer proteção, jogar-se na imensidão e se preciso for, dar de cara no chão. Chegar ao fundo do poço, ficar à margem da felicidade. Porque o amor não correspondido pode ser um caminho que a gente escolhe e que apaga a nossa luz. Faz a gente perder o brilho, sentindo-se impotente, incapaz, fraco, debilitado para tentar, mais uma vez, encontrar saídas, atalhos, enfim... Este vazio fica mais evidente à medida que o tempo vai passando e gastando o que a gente tinha de melhor. Ou que não era tão ruim assim... Por isso é tão difícil do amor acontecer. Afinal, nem todo mundo – ou raressíssimas pessoas – conseguem se dispor aos outros. Deixar-se de lado para o outro passar com sua dor. “Tire seu sorriso do meu caminho que eu preciso passar com a minha dor”. Solidão é aquele período em que a amargura toma conta do coração e nada consegue enfeitá-lo. É uma terça-feira ociosa, com tempo feio, chuva, vento, frio... É ficar vendo vídeos, ouvindo músicas, lendo textos e a cada pausa, passar a mão na face para evitar que a lágrima toque o chão. Talvez com isso se evite que nasçam e floresçam tristezas, melancolias e quem sabe um dia não se tenha mais solidão e angústia...

Escrito por Johney Laudelino da Silva no dia 08/01/2013

3 Doors Down – Away From The Sun – http://youtu.be/Uay6zCUSvgk