Há situações em que apenas esse cara consegue ser e fazer certas coisas. Bancar mesmo (bancar-se principalmente). Esse cara já passou por muitas nessa vida, e com alguns calos na alma sente tudo de um jeito diferente e próprio. Esse cara é um homem de alma. Sabe rebolar até o chão da vida e subir sem machucar a coluna do bom senso, sem ferir a dignidade. Sem perder a ternura. Esse cara deve ter suas coisas materiais bem definidas, suas metas bem traçadas, seu amor-próprio deve estar intacto neste momento da vida. Esse cara dá segurança a quem está com ele. Sente-se seguro com a própria idade, com o que já viveu e o que quer viver. Esse cara sabe quem ele é, antes de qualquer uma tentar julgar e achar quem ele deveria ser. Ele pode ter todas as qualidades ou todos os defeitos do mundo (e têm mesmo). Mas esse cara avança e tira o time de campo quando precisa, porque após levar muita porrada esse cara aprendeu a dar ouvidos aos seus sentidos, sua intuição, porque sabe qual o fim desse jogo (pelo jeito que começa e pelo que acontece na metade da história), já viu várias vezes isso acontecer da mesma forma. Sabe a hora de procurar e a hora de sair fora. Sabe que dores e amores passam. Sabe que amigos chegam, mas também se vão. Que amigos queridos deixam uma enorme saudade no coração que passa a ser preenchida pelas lembranças de outros tempos. Esse cara pode aguentar a correria, a loucura, o estresse do cotidiano com cerveja, bebidas, sexo casual, farras, ou mesmo se enterrando no trabalho até tarde. Toma seu banho e come qualquer coisa. Às vezes ainda encontra disposição para sair. Não importa onde. Academia, boteco, puteiro... Não importa mesmo! Esse cara também lê. E não precisa ser o livro do ano só para descobrir sobre o que as mulheres estão falando – esse cara não precisa disso. Esse cara sabe na hora quando se apaixona. E também sabe quando a paixão acabou. Para não ter que segurar um Tsunami dentro da alma esse cara chora por amor, sem sentir vergonha alguma. Esse cara aprendeu que os estragos na alma são grandes quando se tenta segurar os sentimentos. Esse cara segue a vida dele, sozinho ou acompanhado – vai que vai! Chamando putas de princesas e princesas de putas, ás vezes sabendo diferenciar uma das outras ou misturando tudo em uma coisa só, até porque muitas vezes, as putas são mais interessantes que as princesas... Embora as putas contem sempre as mesmas histórias e as princesas não têm histórias para contar. Esse cara gosta de gente de verdade, com cicatriz na carne, manchas na alma, estrias, celulites, “gordurinhas”... Esse cara gosta de gente que dança até o fim do dia, gente que não precisa dar satisfação da própria vida para ninguém. Ou se precisar, que se coloque em primeiro lugar, ao menos nos seus sentimentos. Esse cara se sente “fodástico”, sente-se bom sendo assim... Esse cara também sente muita dor, porque às vezes é muito doloroso ser assim... Pois é mais difícil esse cara se enganar, mas ele também se engana... Esse cara reconhece todas as coisas que não gostaria de ver. Não conta a mesma mentira várias vezes, pois já possui sua própria verdade. Seu caráter e seu respeito próprio. Enquanto isso esse cara trabalha, sonha, busca, decepciona, vive... Porque sabe que a vida é cara e cobra um preço caro... Mas isso, esse cara, sabe desde que nasceu.

 

 

Texto escrito Johney Laudelino da Silva em 28/12/2012.