O presente trabalho tem o intuito de investigar as dificuldades no ensino-aprendizagem de língua inglesa nas escolas públicas. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica com base nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) e que aborda o ensino-aprendizagem de língua inglesa (PERIN, 2002), com ênfase nas dificuldades para o ensino desta língua (SIQUEIRA, 2005) e os caminhos para um ensino mais efetivo do idioma em questão (CRIVARI, 2009; BARCELOS, 2011). O resultado desta investigação está fundamentado nos estudos e temáticas elencados ao tema proposto neste artigo. Ao final desta pesquisa, foram identificadas as maiores dificuldades enfrentadas por docentes e discentes de escolas públicas no ensino-aprendizagem do inglês, tais como desvalorização da disciplina por parte da escola e do governo, fator este que acarreta outras problemáticas relacionadas à estrutura, material didático, capacitação do professor e falta de estímulo tanto no ensino, como no aprendizado da disciplina de língua inglesa.

1 INTRODUÇÃO

O inglês, muitas vezes, é utilizado como uma forma de quebrar as fronteiras internacionais, principalmente através da comunicação via internet. Nesse contexto, a língua inglesa (LI) é indispensável para o indivíduo que está inserido em uma sociedade. O domínio da língua inglesa nos possibilita uma maior interação e comunicação social com o mundo, inserindo assim, novas culturas e elevação do crescimento pessoal. Além disso, dominar a LI faz-nos ampliar o desenvolvimento profissional, visto que tal habilidade é um diferencial no mercado de trabalho. De forma geral, a aprendizagem efetiva do inglês acaba consistindo no domínio satisfatório das quatro competências que são: ler, entender, escrever e falar. Assim, a aprendizagem do inglês acaba possibilitando o aumento da percepção do sujeito enquanto cidadão atuante na sociedade. É nesse contexto que as escolas têm um papel extremamente importante na formação de indivíduos. Assim, sabendo de toda a importância do conhecimento da LI para sua formação pessoal e profissional, cabe à escola proporcionar a esses indivíduos um ensino de qualidade referente ao idioma em questão. Mas é válido salientar que tal disciplina tem um papel secundário na grade curricular escolar, visto que muitas vezes as aulas de inglês não são devidamente valorizadas pelos alunos, pela escola, e muito menos pelo governo. Professores e alunos enfrentam inúmeras barreiras no âmbito escolar com relação ao aprendizado da LI, dificuldades essas associadas à falta de motivação no processo de aprendizagem, como também o despreparo e falta de estímulo por parte do professor. Há ainda uma divergência no que o aluno espera das aulas de inglês e no que o professor tem a oferecer nessas aulas, levando em consideração a falta de capacitação do professor, a carga horária reduzida, o ambiente escolar e a metodologia de ensino. Todos esses fatores influenciam na aprendizagem e interesse dos discentes, participando ativamente nas aulas de inglês. Partindo de uma análise de todos esses possíveis problemas enfrentados no ensino-aprendizagem da LI, faz-se necessário um estudo aprofundado de tais questões, com o propósito de refletir e buscar soluções para um melhor rendimento, tanto no ensino como no aprendizado. Assim, este trabalho tem o objetivo de investigar as dificuldades no ensino-aprendizagem de língua inglesa nas escolas públicas, afim de identificar quais as dificuldades enfrentadas por alunos e professores dentro da disciplina de LI no âmbito escolar da rede pública, descrever as intervenções feitas diante das dificuldades encontradas em sala de aula e apontar as possíveis metodologias que possam ser trabalhadas em sala para obtenção de bons resultados na aprendizagem dos alunos. Este trabalho aborda, através de uma pesquisa bibliográfica as crenças sobre aprendizagem de Inglês (BARCELOS, 2011); Metodologias de ensino de língua inglesa (CRIVARI,2009); Conversas com especialistas sobre ensino e aprendizagem de língua inglesa (LIMA, 2013); Ensino-aprendizagem de língua inglesa em escolas públicas (PERIN, 2002); A história da Língua Inglesa (SCHÜTZ, 2008) e O desenvolvimento da consciência cultural crítica como forma de combater à suposta 8 alienação do professor brasileiro de inglês (SIQUEIRA, 2005), seguidos pelas considerações finais. [...]