Governador Esperidião Amin traz clima de euforia em Joinville:

“Amin entrega viaturas – Há um clima de euforia na Polícia Civil de Santa Catarina. A delegada regional de polícia em Joinville, Marilisa Boehm, confirma a chegada de novos equipamentos para melhoria da segurança no maior município do Estado. O governador Esperidião Amin (PPB) vai entregar equipamentos e aparelhos técnicos que irão suprir em até 70% as necessidades da segurança pública. Além dos equipamentos técnicos, o governador também irá entregar mais 20 viaturas para a Polícia Civil. Entre os equipamentos adquiridos estão dois cromatógrafos a gás, um sistema completo de cromatografia em camada delgada e um microscópio. O governo do Estado investiu mais de R$ 1 milhão na compra destes aparelhos e na capacitação dos profissionais que irão trabalhar com esta nova tecnologia. Segundo o bioquímico Rubens Vieira, chefe do Instituto de Análises Laboratoriais (IAL) da DPTC, a nova tecnologia coloca a polícia técnica de Santa Catarina entre as mais bem equipadas no Brasil. Vieira explica que os dois cromatógrafos, adquiridos ao preço de R$ 200 mil a unidade, irão ser utilizados em uma série de exames, principalmente os toxicológicos. Mas o bioquímico reconhece a importância do equipamento, que também irá servir para exames de dosagem alcoólica, análise de formas de envenenamento, e causas de incêndios. O secretário da Segurança Pública, Antenor Chinato Ribeiro, explica que a compra destes aparelhos  ‘fecha com chave de ouro’ o ano de 2000 na área da polícia técnica e científica. No caso de Joinville, o setor de polícia técnica há muitos anos está defasado sem as mínimas condições técnicas de garantir qualquer investigação mais científica. Resta saber se esses equipamentos vão chegar a Joinville, além das viaturas” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 28.12.2000). 

Policiais e Políticos de Joinville em movimento:  

“Delegado - Virou o ano e quantos delegados regionais de Polícia Joinville ainda tem? Claro que a titularidade é da delegada Marilisa Boehm, entende a comunidade da segurança pública da cidade. Ter dois delegados regionais foi mais uma atitude atrapalhada de quem comanda a polícia no Estado. Silêncio total O ano de 2001 passou e ninguém fala mais sobre assunto levantado pelo vereador Nílson Carlos Vieira (PMDB), de Garuva, que estava na pista de uma empresa "'fantasma" que prestou serviços à Prefeitura e, segundo o denunciante, o prefeito Sidney Pensky (PPB) tinha conhecimento de tudo. A empresa Kidi Assessoria foi contratada por R$ 80 mil para realizar o trabalho de análise financeira dos pagamentos de Diefs para incremento do retorno do ICMs para o município de Garuva. O vereador descobriu que esse trabalho é feito oficialmente pelos técnicos da Amunesc, a associação dos municipios da região, e que o responsável pela empresa, Euclides Rosa, somente copia os dados da entidade para fazer a cobrança da Prefeitura - estimada em R$ 8 mil por mês. Investigada, a tal empresa não tem endereço definido. O assunto tinha ido parar na Promotoria da Moralidade Pública para as necessárias providências para abertura oficial do inquérito”  (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira,  2.01.2002). 

Enfim, a nova sede da “DRP” e surgem as adversidades políticas:

Delegacia – Secretário de Administração do governo estadual, Celestino Secco, praticamente definiu o terreno onde será construída a futura Delegacia Regional de Polícia. Será num terreno, de propriedade do Ipesc, na rua Almirante Barroso, lateral da rua Blumenau. Regional, galpão da vistoria, posto do Besc, identificação, alvarás, licenças, tudo vai funcionar nesse local . A construção da delegacia será um dos desafios de Marilisa Boehm, a titular  da DRP, que aposta a partir de agora na elaboração do projeto e rápida concretização” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 22.1.2001).

“Delegado suspende investigações no 6o DP – Maioria dos inquéritos está parada devido à falta de efetivo – O delegado Zulmar Valverde afirmou ontem que vai suspender as investigações devido a falta de policiais. Segundo ele, conta somente com seis agentes, sendo dois por plantão, e apenas uma escrivão. Ele diz que dos 500 inquéritos, 90% estão parados por falta de efetivo (...). Devido ao alto número de ocorrências e à falta de pessoal, o delegado diz que não vai mais investigar. ‘A partir de agora vou encaminhar os casos mais graves, como assalto e furto de veículos, à delegada regional, para que ela os encaminhe à Divisão de Operações Policiais (DOP)’, afirma. Ele observa que já levou o fato ao conhecimento da delegada regional de polícia Marilisa Boehm de Lima, mas nenhuma providência foi tomada. ‘A partir de agora, nenhum crime ocorrido na área do 6o DP vai ser investigado aqui. Espero que a comunidade entenda, mas não dá para trabalhar sem efetivo’, avisa (...)” (A Notícia, 3.2.2001).

O serviço de relações públicas funciona e se repetem os velhos discursos “planos” da “unificação” e da “integração” entre as Polícias na região:

A Segurança de Joinville – A delegada regional de Polícia de Joinville, Marilisa Boehm, já tem motivos para comemorar. Vai receber a estação central de radiocomunicação para a Polícia Civil do município, antiga reivindicação da delegada. O aparelho é uma peça fundamental para o combate à criminalidade, por permitir que delegados e comissários  possam entrar em contato com as delegacias estiverem distantes da base, possibilitando também a intercomunicação entre as viaturas.  Marilisa Boehm também vai receber armamento moderno para seus comandados, que terão ainda um curso de tiro a ser realizado  em Joinville para que muitos policiais possam corrigir a mira. Sobre a delegada regional, uma curiosidade. Indagada sobre por onde anda  o ‘maníaco  da bicicleta’, personagem que andou aterrorizando  Joinville meses atrás, fato que obrigou a Segurança Pública do Estado a instalar o seu comando no município por determinação do então governador em exercício Paulo Bauer (PFL), ela disse textualmente: ‘Tenho dúvidas sobre a existência desse personagem , que pode ter sido criado pela imaginação das pessoas’ (...). Acredito que uma maior integração entre as Polícias Civil e Militar podem melhorar substancialmente o desempenho da segurança como um todo. Existe a tese da unificação das polícias, que passaria a ser uma só, acabando com o comando dividido” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 16.6.2001).

Segurança – Delegada Marilisa Boehm festeja a instalação do serviço de rádio-base nas delegacias de polícia de Joinville, antiga reivindicação da profissional. A partir da próxima semana, os policias civis poderão se comunicar durante as operações com as suas delegacias e entre si, o que permitirá maior agilidade no serviço. Também está pronto o projeto da nova delegacia regional de polícia, que será construída  na rua Almirante Barroso, que terá mais de 2.000 m2, com o acréscimo de um galpão específico para o licenciamento de veículos. As prefeituras de Itapoá e São Francisco do Sul também já fizeram as doações de terrenos para a construção de delegacias nessas cidades. Portanto, só motivos de satisfação para a delegada regional Marilisa” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 30.6.2001).

Governador Amin e as boas novas também para a PM do norte do Estado:

“O Batalhão de Jaraguá – Governador Esperidião Amin (PPB) anunciou ontem em Jaraguá do Sul a instalação de um batalhão da Polícia Militar, o 14o da corporação em Santa Catarina, antiga reivindicação da comunidade. Sobre o helicóptero com equipamento para visualização  noturna, para melhorar a segurança de Joinville, Amin explicou que a licitação está em andamento bem como a documentação para a construção de delegacia de polícia em São Francisco do Sul e a regional, cuja titular, Marilisa Boehn, tem sido uma das solicitantes com maior contumácia. Com os números do atendimento do Copom, neste ano de 2001, o governador constatou pelo relatório que o índice de criminalidade caiu em Joinville numa expressiva redução, conflitando com outras informações recebidas. Disse que pretende recuperar  as perdas salariais e voltou a criticar o governo anterior, que deixou o Estado endividado. Como costumo repetir, afirmou que retirou a administração do cartório, da inadimplência, numa alusão ao período de Paulo Afonso Vieira (PMDB) (...)” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 17.7.2001).

O porvir com o início da perda do chão e a chegada triunfal do Delegado Maurício Eskudlark:

“Promoção – Assessor de imprensa da SSP, João Carlos Mendonça Santos esclarece informação dada nesta coluna sobre a transferência da delegada Marilisa Boehm para o município de Gaspar. ‘A respeito da nota  ‘Transferência’, publicada em sua coluna na edição de 03/08/01, a Secretaria da Segurança Pública informa que o processo de promoção na Polícia Civil é o mesmo adotado pelo Poder Judiciário. É o delegado quem escolhe a comarca em que quer trabalhar após se inscrever no processo de promoção. No caso da delegada Marilisa Boehm, foi ela quem escolheu a comarca  de Gaspar. No entanto, por estar ocupando um cargo de confiança, a delegada Marilisa vai permanecer em Joinville até o final do governo. Registre-se, ainda, que a delegada de polícia Marilisa Boehm foi promovida em março do ano passado” (A Notícia, Antonio Neves - Alça de Mira, 7.8.2001). 

Delegacia 1 - O sonho da comunidade de balneário de Itapoá e dos moradores de 80 praias da região em ver concluída as obras da nova delegacia de polícia vai se tornar realidade amanhã, às 13h30. Numa área total de 134,80 metros quadrados, em terreno doado pela Prefeitura, foram investidos pelo governo do Estado, para a construção, R$ 91 mil. Uma nova viatura também vai ser doada nos próximos dias. Delegacia 2 - A inauguração terá a presença do secretário da Segurança Pública, Antenor Chinato Ribeiro; da delegada regional de Polícia, Marilisa Boehm, do prefeito de Itapoá, Ervino Sperandio e de outras autoridades. Além de ser útil para os serviços da Polícia Judiciária, a nova delegacia também irá abrigar equipes da Polícia Militar como parte do projeto de integração entre as polícias estaduais” (A Notícia, 13.8.2002).

“Encontro da Polícia em Joinville – Depois de  encontro da cúpula da Polícia Civil, em Criciúma, para discutir temas ligados à segurança daquela região, nova reunião acontece hoje, a partir das 18h30, no anfiteatro da Univille. Também assume hoje, interinamente, o comando da Polícia Civil de Joinville, o diretor do Litoral Maurício Eskudlark. A titular da Delegacia Regional, Marilisa Boehm, entra em férias porque há vários anos não descansa (...)” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 17.10.2001).

A Frase – ‘Vou descansar um pouco. Há anos que não consigo tirar férias’. Delegada Regional de Polícia, Marilisa Boehm, comentando a vinda a Joinville do diretor da Polícia do Litoral, Maurício Eskudlark, que vai assumir interinamente o comando da Polícia Civil de Joinville, na tarde de hoje”  (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 17.10.2001).  Os jornais noticiam que Maurício está entrando triunfalmente em Joinville...: “Mudanças no comando da Polícia Civil no Norte – A Polícia Civil em Joinville está sob nova direção. O diretor da Polícia Civil do Litoral, delegado Maurício Eskudlark, está passando a acumular também a função de Delegado Regional em Joinville, em substituição a delegada Marilise Boehm, que entra em férias por 30 dias. Na noite de ontem, o secretário de Segurança do Estado, Antenor Chinato, esteve em Joinville participando de uma reunião, com portas fechadas, em que foram convocados todos os policiais civis da cidade (...). Eskudlark, 43 anos – 20 dos quais na Polícia Civil – é natural de Canoinhas, graduado e especializado em Direito e por duas legislaturas também foi vereador em São Miguel do Oeste. Ativo em atividades comunitárias, é filiado ao PSDB, partido em que vem sendo cogitado como pré-candidato à uma vaga para Assembleia Legislativa”  (A Notícia, 18.10.01)”.