O “onze de junho” e os últimos momentos da vida do Secretário de Segurança Pública Luiz Carlos Schmidt de Carvalho na companhia da Delegada Marilisa: :

Carteiras de habilitação são entregues - Raquel Tolazzi – Joinville - Janete da Silva foi a primeira joinvilense a receber a carteira nacional de habilitação digitalizada. A entrega foi feita às 17h de ontem, na sede da Delegacia Regional, com a presença do secretário estadual da Segurança Pública, Luiz Carlos Schmidt de Carvalho, do diretor-geral do Detran/SC, delegado Wanderley Redondo, e da delegada regional Marilisa Bohem de Lima. Participaram ainda da cerimônia outras autoridades policiais e políticas. Foram entregues ontem mais 13 novas carteiras (...). ‘A carteira de habilitação está se tornando um documento de identidade. Não será mais preciso apresentar outro documento, como acontecia com o modelo antigo’, disse o delegado Wanderley Redondo. O diretor-geral do Detran/SC explicou ainda que existe uma demanda reprimida em Joinville de dois mil processos prontos para serem expedidos” (Diário Catarinense, 11.06.99, pág. 5).

Os avanços da Polícia Técnico-Científica em Joinville:

Joinville Ganha Polícia Técnica – O Trabalho de buscar parcerias  com outras entidades da delegada regional de Polícia  de Joinville, Marilisa Boehn, começa dar frutos  positivos  para melhoria da segurança do município, notadamente da polícia científica. O secretário estadual da Segurança Pública, Antenor Chinato Ribeiro vai estar na cidade para comandar as assinaturas de convênio com a Universidade  da Região de Joinville (Univille) para a instalação de um núcleo da Diretoria de Polícia Técnica e Cientifica (DPTC). O objetivo, de acordo  com o secretário, é o de promover o desenvolvimento e cooperação técnico-científica nas áreas de perícias criminais. Na ocasião, Chinato Ribeiro também irá assinar convênio visando a entrega de cadáveres não-reclamados junto às unidades  do Instituto Médico Legal (IML) das cidades de Joinville, Jaraguá do Sul  e São Bento do Sul, para fins de estudo e pesquisa científica. A assinatura dos convênios  acontece no complexo de segurança da Polícia Civil, no bairro Boa Vista, a partir das 11h30. Além da imprensa, também a classe política, pressionada  pela população que exigia  melhor qualidade  da polícia, esteve recentemente  no gabinete do secretário Chinato Ribeiro para cobrar maiores investimentos da segurança no município. A participação da Univille, graças à boa vontade da reitora Marileia Gastaldi, que resolveu entrar na parceria com a segurança pública, vai possibilitar a criação de laboratórios de análises, imprescindíveis nas investigações de uma polícia mais moderna e eficaz” (A Notícia, 10.12.99, pág. A6).

Dra. Marilisa estreitando relações com a Justiça de Joinville:                                                

Polícia e Poder Judiciário – A Polícia Civil de Joinville tem encontro hoje, às  9 horas, com juizes e o ministério público no Fórum da cidade. A delegada regional Marilisa Boehm vai apresentar os novos delegados que assumiram seus cargos recentemente . Parece que está em marcha uma maior aproximação entre a Polícia Civil e o ministério público. Afinal de contas, em países de primeiro mundo, os promotores públicos atuam diretamente em contato com os investigadores policiais na ação contra o crime. Marilisa Boehm informou ontem que em breve será inaugurada a nova delegacia que vai abrigar o segundo distrito policial, com a presença de autoridades, entre elas  do governador Esperidião Amin (PPB)” (A Notícia, Antonio Neves, 14.06.2000, Alça de Mira).

A atividade política da Dra Marilisa no partido do Governador Amin (PPB):

Promessa – Secretário da Segurança Pública do Estado, Antenor Chinato voltou a prometer – desta vez no programa do candidato Eni Voltolini – a criação em Joinville, da segurança virtual, através de circuito de TV. Só não definiu a data que inicia o novo processo. A delegada Regional de Polícia Marilisa Boehm também deu depoimento a respeito da segurança no município no horário eleitoral do PPB” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 21.9.2000).

A luta pela nova sede da DRP de Joinville:

“Nova sede – Delegada Regional de Polícia de Joinville, Marilisa Boehm, vai lutar a partir  de agora para construir  a sede própria da segurança pública no município. Marilisa esteve recentemente  em Chapecó participando da inauguração da nova sede da DRP e viu o luxo e requinte das instalações, com estruturas de mármore, circuito interno de TV e quer, no mínimo, o mesmo para Joinville. Com a definição do terreno, pretende iniciar logo a obra” (A Notícia, Antonio Neves – Alça de Mira, 10.10.2000). 

“O Maníaco da Bicicleta”: Delegadas Marilisa e Ruth Henn em ação na proteção da Mulher de Joinville: 

“Casos de estupro provocam pânico - Policiais pedem que população tenha calma e faça denúncias Graziela Lindner - Uma onda de boatos invadiu as ruas de Joinville desde a divulgação dos casos de estupro ocorridos entre o final de agosto e o início de outubro. Praticados, provavelmente, pelo mesmo homem, os crimes aconteceram nas proximidades do centro, entre os bairros Glória e América. Os fatos deixaram a população em alerta. Mais do que isso, estão causando pânico e fomentando todo tipo de especulação. Apesar da boataria sobre novos ataques, a Polícia Civil confirma quatro casos entre os dias 29 de agosto e 5 de outubro. Já o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) tem quatro registros entre os dias 2 e 10 de outubro (que podem coincidir, já que os nomes das vítimas não foram divulgados). Além disso, a Polícia Civil não acredita que as últimas tentativas alardeadas tenham sido feitas pelo ‘maníaco da bicicleta’ ou ‘tarado do América’, como o estuprador é conhecido. ‘Nos primeiros registros feitos pela Polícia Civil, as características eram as mesmas. Depois da divulgação do retrato-falado (dia 9/10), os ataques do maníaco cessaram e começaram a aparecer os aproveitadores", aposta a delegada regional Marilisa Boehm. Para a delegada Ruth Henn, da Delegacia da Mulher, a população precisa manter a calma. ‘Estamos tomando todas as providências e cerca de cem pessoas já foram submetidas ao reconhecimento’, informa (...)” (A Notícia, 27.10.2000).

“Joinville reivindica - melhorias na segurança - Mais de 300 pessoas saíram às ruas e pediram policiamento - Joinville - Mais de 300 pessoas participaram, na tarde de ontem, de uma passeata pelas ruas centrais de Joinville, cobrando a melhoria da segurança no município. Promovido por estudantes e professores de uma escola particular, o movimento foi desencadeado após tentativa de estupro contra uma aluna da escola, na noite de quinta-feira. Com direito a apitaço, palavras de ordem e muita indignação, a manifestação fez escala em frente a Prefeitura e seguiu até a Delegacia da Mulher. O vereador João Luiz Sdrigotti (PMDB), representando o prefeito Luiz Henrique da Silveira, conversou com as lideranças e prometeu se empenhar em favor da proposta de melhoria do aparato policial na cidade. Luiz Henrique já encaminhou ofício ao governador Espiridião Amin (PPB), pedindo transferência de efetivos da Polícia Militar e Civil para Joinville. A delegada regional, Marilisa Boehm, e o comandante do 8º Batalhão da PM, José Jari Dalbosco atenderam os estudantes. Dalbosco designou mais duas motos e uma viatura, para ficarem no centro, 24 horas. A Polícia Civil confirma quatro estupros consumados e duas tentativas de 29 de agosto até ontem. Em menos de 50 dias, aconteceram pelo menos 26 mortes violentas, entre as quais dez homicídios. O número de carros roubados é igualmente assustador. Somente este ano foram roubados 651 veículos em Joinville, e o dobro (1.206) na região. Mais policiamento também é reivindicado. Pouco mais de 700 PMs atendem a cidade, cerca de 1.000 na região. A Polícia Civil tem somente 107 policiais. A insatisfação do joinvilense é maior ao comparar com o efetivo da Capital, que conta com cerca de 2,5 mil PMs para uma população menor.Os números da insegurança em Joinville também estão movimentando a Câmara de Vereadores. Na sessão de quinta-feira, o vereador João Luiz Sdrigotti sugeriu que a casa cobrasse uma audiência com Amin, proposta que foi aceita por unanimidade. "Precisamos transformar a nossa indignação em atitude", resumiu, prometendo inclusive a realização de uma sessão especial junto ao Palácio do Governo. "E só vamos sair de lá com uma proposta definida", assegurou, reclamando da incapacidade numérica, técnica e material da polícia em Joinville. "Temos poucos policiais militares, quase nenhum investigador e estamos praticamente incapazes de enfrentar a criminalidade com tecnologia", protestou Sdrigotti, lembrando da falta de equipamentos para perícia técnica. Em Joinville não há equipamentos para exames de DNA, ou mesmo para coleta de impressões digitais” (A Notícia, 28.10.2000).