Ás vezes é preciso mudar. Repensar a vida, os erros e modificar em algumas atitudes e formas de agir com relação a algumas coisas. Segurar alguns sentimentos e reprimir o choro. Não dá para ser o mesmo sempre. Não cabe mais hoje em dia querer tomar a frente de tudo, querer mudar o mundo se há gente a tua volta te jogando para baixo o tempo todo. Fica difícil. Então você passa a enxergar o mundo de outra forma, com outra perspectiva e aprende (a custo de muita dor) que está mudando não pela vontade de ninguém, mas porque você cansou de sofrer. Até que ponto vale a pena se dedicar tanto a uma pessoa, fazer tanto, enfrentar batalhas, travar lutas, jogar-se de cabeça em discussões... Por nada. Por nenhum retorno, por reconhecimento zero... Vale a pena? Acho que não. Isso passa também pela maneira como você expressa a tua dor. É chorando? É brigando? É discutindo? É se resignando? Ou é mudando? Ninguém chora por algo ou por alguém que não vale a pena. Por isso, busca-se outras formas de expressar a dor, o caos dentro de você. Ou você muda, aprende com a dor e aprende a enfrentar e a lidar com ela e pára de torná-la maior do que realmente é, ou ela vira mágoa, rancor, “câncer”... É essencial poder expressar a dor e a revolta, mas a diferença de quem você é para o que os outros querem que você seja está justamente em saber a hora de parar, de refletir, de recomeçar, de mudar, de tentar não esquecer quem você é na essência...