Certas coisas, certas pessoas, certos sentimentos... Ou seriam incertas coisas, incertas pessoas e incertos sentimentos... Chega um tempo (e não demora muito para esse tempo chegar não) em que a ficha cai... Talvez não da maneira mais agradável, talvez não de uma forma esperada e planejada, mas a poeira que por muitos momentos não deixou ver o que de fato era, baixou... E sem essa poeira, ou, tentando limpar a poeira acumulada pela vida, a ficha vai caindo e vai causando estranheza a alguns, indiferença de outros, mas a si próprio causa silêncio. E ficando cada vez mais na sua passa a compreender melhor e a ouvir com mais atenção sua própria alma, seu próprio coração. As dores que eles sentem (alma e coração) são para sempre, porque as marcas acompanharão até o fim. Mas um dia a vida mesmo te dá a chance de se reconciliar consigo próprio. É a hora em que você cruza sentimentos, olha para quem ficou ao teu lado, quem se aproveitou da tua fraqueza humana, quem te olhou com predileção, quem te amou de verdade, mas não pôde ser amado por você, enfim... Caindo a ficha você poderá, melhor do que sempre fizeram, julgar a si próprio. Não severo demais, nem complacente demais. Com serenidade... Quem sabe sozinho... Mas quem sabe essa solidão sentida e vivida e transpassada possa trazer uma renovação para a sua vida, por que não? Às vezes é caindo a ficha, é caindo no chão, é caindo em desespero, é caindo em um beco sem saída, é caindo em um poço sem fim... Às vezes é assim que você pode encontrar uma nova forma de ser feliz, ou ao menos tentar... Tente outra vez! Não tenha medo, se bem que o medo faz parte das experiências que não deram certo. É a ponte inacabada do amor, é a ponte destruída de amizades antes duradouras, mas que eram frágeis demais para seguirem superficiais e “dependentes”. Com aquele vínculo da utilidade, mas que não teve nunca significado real. Ou porque sentimentos se misturaram, ou porque os caminhos se perderam... O mundo cai, tem coração que aguenta, tem outros que preferem se fechar, mas é somente com tempo que as dores da vida encontram lugar para repousar. O entendimento pode demorar para algumas pessoas, para outras pode vir tarde, mas nunca será tarde para buscar a reconciliação com você. Dói muito... Deve doer muito... Quem sabe a dor seja insuportável... Mas é a partir de pedaços que você vê quando cai a ficha que você precisa reciclar o lixo que jogaram no terreno baldio da tua vida...

 

 

Com vídeo da música Time and Time Again – Countig Crows – http://www.youtube.com/watch?v=nbTGWkYxXOI&feature=related