Big Bang. Explodindo em  pensamentos.                        

O objetivo deste texto é um desafio, é brincar, é convidar a uma viagem através da imaginação e do pensamento e com isso compartilhar uma idéia de visão de mundo, deixar essa explosão acontecer de forma parcial ou até mesmo imparcial, liberando espaço pra criatividade e fazendo com que esse fenômeno aconteça de acordo com  cada vontade, criando sua visão da realidade pessoal e subjetiva. Isto não é uma Ciência, mas é  consciente, é criativo, é praticar e exercitar a mente, é um jogo onde não existe protagonismo e sim coadjuvantes a um objetivo em comum, divertir com a imaginação e viajar nesse veiculo poderoso chamado pensamento.

O que é mundo? Será o mundo um aglomerado de almas perdidas no próprio espaço, descontroladas e sem rumo? Seres que não sabem se tudo tem ou teve um inicio e se teve um começo, também não sabe se tem ou terá um fim? Indivíduos que duvidam de sua própria existência?. Mas afinal quem são essas almas, esses seres ou esses indivíduos tão diferentes, mas ao mesmo tempo tão presentes e reais? e o que é real?   A ciência diz! Mas afinal o que é a Ciência?  Os homens dizem! Quem é ou o que são os homens?

Mundos com corpos que se movem nos espaços e habitados e controlados por forças (almas) independentes e que ao mesmo tempo em que domina são dominadas e presas a esses objetos frágeis. O que seria o real? A matéria  determina a natureza e a forma desses seres ou dessas almas, com nomes, data e número, mas o  real não é o real, o real é o que é o concreto para a visão de cada força existente. Enquanto corpos ou enquanto matéria os seres são o que estão nos registros dos homens, mas o que determina o ser não é a matéria, mas sim aquelas forças que ali estão, ou seja, as almas.

O corpo não é um objeto vácuo, tem mecanismos que o fazem ficar de pé e funcionando e que sem eles  não teria uma vida completa. Isso é Ciência!  Ciência? Ciência se resume num aglomerado conjunto de forças (almas) que se unem pra busca do que é o concreto ou do que é o real. “Eu acredito na Ciência!” Sim devemos acreditar na Ciência!  “doença mata!” Sim mata! E a ciência esta ai pra cuidar disso! Um corpo desabilitado faz com que a sua força (alma) fique fragilizada. A matéria é fundamental para a formação dos seres assim como as forças (as almas) necessárias para a existência deles.  Uma casa abandonada cria rachaduras e pode cair.  Para que fiquem de pé os corpos nunca poderão ser abandonados por suas forças (almas) individuais.  A perfeição não esta apenas na matéria, mas no conjunto corpo e alma. Quando uma alma se separa de um corpo mesmo perfeito ( morte cerebral), nem a ciência une, a matéria não sobrevive porque não existe força necessária para a vida.

Existem corpos que tem vida e suas próprias forças, mas não tem alma, assim são os vegetais, os fungos, os protistas, os moneras e os animais irracionais. Animal irracional tem alma? A ciência responde! E sendo a ciência um aglomerado de forças, cada uma delas também pode encontrar sua própria resposta, esse é um mundo democrático, qual é a sua resposta? Cada ser por ser racional sendo eles um encontro de dois em um, ou seja, corpo e alma se surpreendem ao perceber um dialogo consigo mesmo. O eu é todo aquele que existe. “se penso, logo existo” (René Descartes).

Todos os seres esperam uma resposta para a criação do Mundo. Sim, saber o principio de todas as coisas é fundamental para o conhecimento. Para a Ciência a morte é o fim, porem, os dogmas confirmam a "vida eterna". Onde esta a verdade sobre todas as coisas? A verdade não é pronta e acabada, não é Universal, esta em cada ser, o que acontece é que um aglomerado de forças absolutas ( almas) expõem as regras estabelecidas e que devem ser aceitas ou não, como verdades. Mas e se eu não aceito? “eu devo aceitar o que a ciência diz porque é o meio mais seguro, completo, eficaz e racional”, “eu devo acreditar na minha religião porque a verdade esta na “palavra".  Mas afinal a morte é o fim ou fim esta na morte? A morte significa a separação do corpo com a alma. A morte é apenas  o fim da vida carnal. Mas como podemos afirmar isso? Se a verdade esta em cada ser, esta é uma verdade, e qual é a sua verdade?

A visão de mundo por ser abstrata, subjetiva e individual não pode ser materialista e ao mesmo tempo também não pode ser uma criação seduzida, induzida e manipulada pelas paixões, pelos dogmas, pelas crenças e até mesmo pela própria ciência, tem que ser da alma. As visões de mundo estão relacionadas ás circunstâncias de vida do individuo, do ambiente em que vive, de sua cultura, de sua posição social, econômica, ideológica e política. É bem certo que cada ser ao nascer herda certos princípios, doutrina, conceitos, preconceitos e visão de uma realidade distorcida, vista pela visão de outros e longe do que o real (ou pelo menos o que seria para um outro) ,submisso a essas regras. Mas, com o poder do recuo através da inteligência e da  personalidade individual de cada um esse jogo pode virar e fazer  desse ser uma pessoa de ideias e sentimentos próprio e longe dessa coisa de ser seduzido e manipulado pela criação de terceiros, trazendo para si a sua própria visão de mundo. Mas as regras estabelecidas são fortes e geram conflitos, divisão da visão de realidade ou do que é real, e  sendo assim, passam a existem três linhas de raciocínio ou três grupos de interpretação. Existem aqueles que acreditam na criação dos indivíduos por uma força maior e na dependência de corpo e alma e submissos ao criador. Outros acreditam na dependência da matéria corpo com a alma e na independência desses quando assim perdem suas forças, ou seja, quando a matéria desligada pela falta dessa força, abre suas portas e liberta esse ser ou essa força ou essa alma para o desconhecido. E existem outros que não acreditam em nada,  acabou! Acabou! E acabou.