"Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda em um recipiente sujo”.  Faz parte das correções da vida. Às vezes a gente acha que está pronto, totalmente purificado para receber tal benção. Mas a verdade é que somos tão pequenos perto de uma condição tão esplendorosa como o amor. Ainda não o merecemos... Temos vivido de maneira tão inapropriada. Estamos vivendo em um tempo tolo demais, rápido demais, triste demais. Precisamos definitivamente de uma limpeza, uma organização urgente, precisamos arranjar novos lugares para guardar velhos sentimentos. Somos inacabados. Sob este prisma, jamais estaremos prontos para o amor. Mas ele deverá acontecer (é isso que nos faz acreditar e acordar ainda). Por mais que a vontade de parar seja grande, a tentação de desistir esteja tão evidente nesse jeito errado que escolhemos de colher os frutos de uma vida manchada. A resistência se faz presente. Resistimos porque ainda não conquistamos o amor da nossa vida. Haverá mesmo esse amor? Não será invenção dos nossos sonhos, desejo louco do nosso instinto? Não sabemos. Queremos é adoçar a vida, mas nós mesmos fomos tomando caminhos que foram azedando o sabor dela. Ainda há tempo, ser diferente já não machuca, “dói, mas não machuca”. Talvez a dor seja como uma raiz cravada na alma, que para ser retirada finalmente, necessitemos do amor. Esse é o desafio de agora em diante. Purificar-se para merecer. Se não ocorrer é porque foi mais um engano na vida. Mais um ou o último? A gente espera ter tempo para saber. Tempo para reescrever esse texto, e tempo para limpar esse recipiente sujo em que os sentimentos não conseguem mais morar.

 

 

Texto escrito Johney Laudelino da Silva em 18/12/2012.

 

Com vídeo da música Every Time I Look At You – Kiss http://youtu.be/YUBexGBGFuM