A IGREJA CATÓLICA E SUA FUNDAÇÃO

Prof. Me. Ciro José Toaldo

 

Para conhecer a  história da Igreja Católica, devemos nos remeter ao tempo de Jesus Cristo e seus apóstolos, sobretudo do apóstolo Pedro e posteriormente com Paulo. Mas, não podemos esquecer que foi com Jesus que a Igreja nasceu. Ele anunciava um Novo Reino, convidando todos a ‘se converter, pois o Reino dos Céus está próximo’ (cf. Mt 4,17) e sempre pediu mudança radical, tanto da mente como do coração, dessa forma fundou a Igreja e escolheu os Apóstolos.

A grande verdade é que com sua morte no Calvário, Jesus fundou sua Igreja. Mas, para solidificá-la disse a Pedro que ‘iria edificar sobre esta pedra sua  Igreja’ e que ‘lhe daria as chaves do Reino dos Céus’  (cf. Mt 16, 17-20) e depois de sua ressurreição o confirmou: ‘apascenta meus cordeiros’ (cf. Jo 21, 15-17). Dessa forma Pedro tornou-se sucessor da Igreja fundada por Jesus que é a cabeça da Igreja.

A Igreja Católica nasceu ligada ao judaísmo, sendo em  pentecostes que se consuma e onde começam as perseguições. Catolicismo é palavra de origem grega, usada pelos apóstolos, no fim do primeiro século, que significa ‘universal’, ou seja, todos poderiam fazer parte da Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo.

A Igreja Católica nasce e se desenvolve no Império Romano e onde durante três séculos os cristãos são perseguidos, por seguir uma religião que ofendia o estado, ou seja, os imperadores queriam ser cultuados, mas os cristãos negavam-se a essa prática; por isso são perseguidos. Essa perseguição fez propagar o cristianismo pelo império. Os imperadores Nero e Diocleciano, promoveram violentas perseguições contra os cristãos e a Igreja Católica; contudo o imperador Teodósio, no século IV d.C. transformou o cristianismo em religião oficial do império. Durante essas perseguições aconteceram os martírios dos seguidores de Cristo, sendo Santo Estevão o primeiro mártir da Igreja.

No romance ‘Fabíola’, existem muitos relatos a respeito da vida dos primeiros cristãos que se reuniam nas catacumbas. As comunidades cristãs viviam escondidas, mas em união total. Os cristãos desta época tinham um sentimento de irmandade, caridade e fé, onde tudo era partilhado entre todos. É desse tempo à história de São Sebastião que era chefe da guarda do imperador Maximiano, quando descobriu que esse era cristão, mandou executá-lo com flechas. Foi dado como morto e atirado no rio, porém, São Sebastião não faleceu; foi socorrido por Irene e, depois foi levado novamente diante do imperador que ordenou que fosse espancado até a morte; mesmo assim, ele não morreu e acabou sendo transpassado por uma lança.  

A fundação da Igreja é ação de Jesus Cristo através da história. A Igreja é construída por Ele, não só no passado, mas, sobretudo em nossos dias, onde a Igreja, através de  sua organização, continua a sua obra evangelizadora que visa converter aqueles que ainda não crêem que Jesus é o Salvador e Redentor.   

Portanto, a Igreja é um projeto que nasceu do coração do Pai, prefigurada desde o início dos tempos, preparada na Antiga Aliança com Israel, instituída por Jesus Cristo. A Igreja é o Reino de Deus misteriosamente presente no mundo. Ela se inicia já com a pregação de Jesus. Foi dotada pelo Senhor de uma estrutura que permanecerá até o fim dos tempos. Edificada sobre Pedro e os demais apóstolos, é dirigida por seus legítimos sucessores.

A Igreja começa e cresce do sangue e da água que saíram do lado aberto do crucificado. Nela se conserva a comunhão eucarística, o dom da salvação oferecido por Jesus em nosso favor. A Igreja é santa e sem mancha, pois o próprio Deus nela habita, santificando-a por sua presença.

Que o Senhor nosso Deus sempre nos dê força e coragem para testemunhar Jesus Cristo nesse mundo; Ele continua presente na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Assim Seja.