Benildo Gemo

[email protected]

Universidade Pedagógica - Maxixe (Moçambique)

Resumo                                                                                                                                                    

A presente pesquisa debruça-se em torno da competência textual como um pivô para o tradutor. Ela visa trazer para a comunidade académica em geral uma pequena reflexão, no que refere a importância da competência textual para o processo tradutológico. Como método de trabalho, o estudo obedeceu uma pesquisa qualitativa, isto é bibliográfica, onde vários mecanismos de coesão e coerência textual foram analisados, através de um processo de comparação de variantes de traduções de dois textos no sentido de “B” para “A”. Feitas as análises, verificou-se que a competência linguística da textualidade, pode servir de âncora para o percurso de uma tradução de sucesso.

Palavras-chave: Competência textual, coesão e coerência, tradução, tradutor

Introdução

O presente trabalho tem como finalidade apresentar uma reflexão sobre algumas questões que constituem desafio ao processo da tradução. Ele aborda aspectos relacionados com a competência textual, e irá concentrar - se mais na coesão e coerência de textos. Este tema surge no âmbito das aulas da Disciplina de Produção do Português Escrito I, no Curso de Mestrado em Tradução, em que se pretende discutir trabalhos escritos no campo da Tradução. A pesquisa estrutura - se do seguinte modo:

I Secção

- Uma introdução que contem, a contextualização do trabalho, o enunciado do problema, os objectivos: Geral e específicos e as hipóteses.

II Secção

- Um suporte teórico, em que trazemos em destaque conceitos chave em matéria de Competência textual.

III Secção

- Uma breve abordagem a metodologia que norteou esta pesquisa e por fim,

IV Secção

- A análise de trabalhos (traduções de textos).

1. Contextualização

O Tradutor de um texto tem a missão não só de encontrar equivalentes, (lexicais, terminológicos…) da língua B na língua A, como também, procurar criar na língua A, um sentido equivalente. A realização desta tarefa exige um certo nível de competência linguística na arrumação do seu novo texto. Tem sido comum encontrar-se traduções, que não reportam com fidelidade a mensagem do texto de partida. Por outro lado, porque as traduções com frequência ocorrem como prestação de serviços, o cliente muitas vezes rejeita o trabalho ao encontrar algumas ambiguidades. Outro facto ainda acontece com obras científicas ou literárias e sobretudo estas últimas, em que o Tradutor nem sempre é feliz no seu exercício. Entretanto, os pontos anteriores seriam um reflexo da não observância da questão da “unidade textual” ou simplesmente, coesão e coerência textuais, que são elementos que garantem indubitavelmente a progressão lógica de um texto. E esta inquietação leva-nos a questão seguinte: [...]