Ainda que a vida pareça injusta e não tenha lá muita graça neste momento difícil, é preciso levantar a bandeira dos sonhos e dos desejos. Sejam individuais ou coletivos. É preciso não desistir das coisas boas, entretanto não se pode negligenciar as quedas, os quartos escuros, os cantos da vida que a gente acaba se jogando vez ou outra. A esperança pode sim ser um combustível, mas baseada em fatos reais, não meramente por alienação ou para transportar a gente para outro lugar sem os problemas. Fugir deles não resolverá nada, ignorá-los também não mudará a vida, logo, a questão deve ser vista com olhos voltados para uma profunda reflexão e um entendimento gradativo dos “porquês” que cercam a todos. Se for preciso aumentar o volume, acelerar o ritmo, fazer barulho para que todos ouçam o que você quer, não pense muito não, vai lá e faz! A vergonha está em não tentar, ou em ter medo de perder, mas a maior derrota está em não dar o primeiro passo para ajudar, para aconselhar, para estender a mão por primeiro, para pedir desculpa quando (até mesmo) ambos estão errados... Enfim, a maior derrota é quando você perde o pulsar de um coração e sente que poderia ter feito mais. Não dê mais esse gosto amargo para a vida e a você mesmo, de ver a vida causar sofrimento transformando teu rosto e tua alma em uma cachoeira de lágrimas... Por isso, vai lá e faz!

 

Texto escrito por Johney Laudelino da Silva em 26/11/2011.

 

Complementado pelo vídeo da música Every Teardrop is a Waterfall – Coldplay http://youtu.be/ej2LEFbQAY0