Seja para você a surpresa boa que você gosta de receber. Olhe-se com o desejo e a paixão que você gosta de sentir quando te contemplam por inteira. Da alma ao coração. Dos pés à cabeça. Não se despreze. Não menospreze tuas qualidades pessoais. Lembre-se do quanto é maravilhosa. Dê mais ouvidos as vozes interiores, pois são elas que te motivam verdadeiramente a ser feliz. São as vozes que te convocam para lutar todas as manhãs. Mas isso não quer dizer que você precise ignorar as outras vozes, essas que vêm de fora e que (algumas) têm autoridade afetividade sobre a tua vida. É como os elogios que você sempre recebeu (mesmo que não tenha notado), recebe (mesmo que ache forçado) e receberá cada vez mais. Elogios são naturais, acostume-se. Não é gratuito. Você se surpreende, mas as pessoas se surpreendem muito mais com a tua atitude, com teu modo de ver as coisas. Como tua alma toca o mundo exterior e como tuas mãos transformam as pessoas. É mágico. Você é uma condutora da luz divina. Transforma com esse olhar firme e apaixona com esse sorriso doce. Por isso os elogios. Porque você demonstra um lado mais “pronta” para agarrar as felicidades que estão aparecendo. Os momentos, os instantes, os “posts não publicados, mas vividos”. É isso. Seja uma pessoa grata, não porque os outros te olham e te admiram, sejam os olhares quais forem, mas carregue essa gratidão por saber distinguir na alma as marcas do teu corpo, e também por dar ao seu corpo mais intensidade e paixão, coisa de alma mesmo...