Afetivamente temos perdido muito... Há tempo e a todo tempo estamos perdendo. Mas com serenidade, somente queremos ir adiante na vida. Não queremos mais perder tempo com os sentimentos mesquinhos dos outros. Não queremos servir de "muro das lamentações" para as mesquinharias alheias. Por isso, devemos nos ocupar mais conosco. E quando descobrirmos a beleza de sermos nós mesmos, ainda que incompletos e imperfeitos, inacabados e um pouco estragados... Mas é doce a satisfação de sermos nós mesmos. Apesar de tantas perdas que temos tido. É uma amizade que muda, quando não, acaba... Um amor que nos machuca profundamente... Seguimos, então, adiante. Rindo de nós mesmos ao final de uma semana cansativa de trabalho. Perseguimos aquilo que nos falta e não o que temos de sobra. Afinal, fazemos uma limpeza nos nossos excessos, dentre eles, as muitas mesquinharias que os outros foram se ocupando em jogar em nós e que nós, tão passivamente, fomos aceitando ao longo do tempo. É hora de reciclarmos e de sermos nós mesmos verdadeiramente, sem medo das perdas que por certo ainda teremos, mas desta feita, sem sofrermos demasiadamente. Porque é resíduo. A tristeza é residual, portanto, ou a reciclamos em sentimento bom, ou a jogamos fora e seguimos adiante.