Resumo

O atual artigo tem por finalidade evidenciar o qual é importante oensinar de história da África nas escolas ebusca proporcionar reflexões sobre os conhecimentos históricos como meio de compreender e transformar as práticas pedagógicas e favorecendo análises sobre a maneira de ensinar história, tendo como aspecto o estimulo ao interesse a curiosidade, ao espírito de pesquisa e desenvolvimento consciente de refletir sobre todo o processo que envolva a históriada África e fazendo do ato de educar um compromisso para trazer a luz da verdade a importância da história africana em nossa própria história, diante de tantas informações contidas nesse artigo, pode-se afirmar que a Históriaministrada de maneira consciente e logica pode ser utilizada como objeto esclarecedor e consequentemente como objeto transformador do meio social, transformando a ignorância e a intuição em conhecimento reflexivo para o desenvolvimento geraldo educando.Adotou-se o método descritivo interpretativo, através da abordagem quantitativa e qualitativa a partir de técnicas de questionários com perguntas abertas e fechadas para professores, pais, alunos e para a direção foi atribuído uma entrevista. Verificou-se que a maioria dos jovens têm dificuldades na aprendizagem em História. Os educadores buscam se aperfeiçoar numa boa qualidade de ensino para poder transmitir aos seus educandos. Enquanto a direção incentiva os professores a irem em busca de seus objetivos que venha somar na aprendizagem dos alunos.  Observou-se que ainda existe um certo vislumbre com o ensino de história da África em sala de aula.

PALAVRAS CHAVES: história, sociedade, educação, ensino.

1 – INTRODUÇÃO

O presente Artigo pretendemostrarcomo temática O Ensino de História da África nas Escolas Públicas esuas Implicações, com o propósitode analisar a prática e avaliar o método de ensino nas aulas de história, evidenciando elementos da prática pedagógica por educadores e educandos. Acredito que durante o processo de pesquisa sobre as estratégias de aprender a história da África, os alunos possam levantar questões que contribuirão de forma fundamental para o desenvolvimento ao pensamento histórico reflexivo usado como conhecimento científico de busca dos processos que envolvem a formação dos conceitos atuais históricos e não como a busca do talveze/ou do acaso e sim da hipótese cientifica através da pesquisa minuciosa do quadro histórico estudado.Torna-se importante conhecer como o Ensino de História da África seria conduzido nasEscolas, tendo em vista as escolas da rede municipal de ensino da cidade de Cametá/Pa como lócus de pesquisa deste artigo.

Devido a grande dificuldade encontrada no estudo de históriaAfricana por pelos educandos e notando-se a falta de conhecimento na disciplina é que buscou-se destacar a possibilidade de pesquisa para um melhor método de crescimento de uma sociedade crítica e construtiva, tanto ao progresso de sua nacionalidade como do meio social no qual está inserido.Frente a essas situações, questiona-se, qual a importância de ensinar história de maneira a mostrar não somente o lado da classe que se considera dominante, mas também do ponto de vista daqueles que foram usurpados e excluídos de sua identidade histórica, mas e quais materiais podem ser utilizados para isso?

De que maneira devemos utilizar os recursos didáticos nas aulas de história da África?

Como o professor estimula seus alunos afim de obter uma boa aprendizagem histórica?

O que a escola tem feito para melhorar as metodologias utilizadas com seus alunos?

De que maneira as dificuldades e a falta de entendimento nas atividades de história africana dificultam a aprendizagem?

O presente Artigo tem como objetivo geral, proporcionar a reflexão sobre o conhecimento histórico utilizando-o como instrumento transformador do mundo a sua volta, favorecendo desta feita o interesse e a busca do conhecimento pela descoberta da verdade através da investigação.

Para alcançar esses objetivos temos algumas especificidades que nos ajudaram nessa construção, identificar e analisar a necessidade de ensinar história da África de maneira mais investigativae menos alienada aos fatos explícitos que a história nos mostra, valorizar os conceitos históricos informais construídos pelo educando e entender a utilização destes recursos como ferramentas entre a teoria e a pratica.

A realização deste artigo se deu através de pesquisa bibliográfica e de campo, baseada na abordagem quantiqualitativa, destacando-se como lócus principais as Escolas Municipais de Bom-jardim, e “Dr” Gentil Bittencourt na vila de Bom-Jardim, Município de Cametá, Com a participação da direção da escola, professores, pais ou responsáveis além dos próprios alunos.

Dispus de técnicas para coletas de dados como, questionário, entrevista e roteiro de observação. Em seguida os dados coletados foram analisados em blocos e por categoria. Ressalto que, o estudo de campo me colocou em contato com a realidade dos alunos e dos profissionais da educação do município de Cametá. Proporcionando as oportunidades para analisar as problemáticas no ensino de história da África.

Este estudo está sendo apresentado em dois capítulos. No primeiro capítulo A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA, o referencial teórico, desenvolvido a partir dos estudos realizados em livros, internet e revistas, o que foi de muita importância para o desenvolvimento do trabalho.

No segundo capítulo A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA NA ESCOLA,apresento a análise dos resultados onde trata dos questionamentos entre as categorias, diretor, professor e pais ou responsáveis e apresento a proposta de intervenção, aonde chega a determinados métodos, nos proporcionando a oportunidade de fortalecer as várias maneiras de trabalhar a história da África em sala de aula.

No decorrer da pesquisa foi utilizado os seguintes critérios básicos, aos pais e professores foram aplicados questionários com perguntas abertas e fechadas e para a direção a pesquisa aconteceu na forma de entrevista, buscando uma visão maior em torno do trabalho desenvolvido na escola Municipal de Ensino Fundamental de Bom-Jardim.

Foram consultados para essa pesquisa dois (02) pais, um (01) professor e a direção da escola, todos moradores do local. É bom lembrar que apesar do compromisso de alguns entrevistados, houve momentos de dificuldades ao responder, principalmente aos pais, mas não houve devolução de nenhum questionário, certamente relevaram o interesse dessas pessoas com relação às questões levantadas. [...]