Era uma terça-feira fria e sem graça, aí ela resolveu me dar bom dia. Tudo normal até aí. Então, ela resolveu ser, não diferente, mas resolveu ser ela mesma. Aquela mulher cheia de atitude, desprendida de preconceitos e rituais, foi que então veio até minha direção e deu um abraço de bom dia. Sim, ela me abraçou afavelmente e transformou a manhã fria de um curitibano que se sentia frio, em um momento caloroso que me aqueceria pelo resto do dia. Como é bom vencer logo cedo. Mas teve a cereja do bolo. Ela beijou meu rosto como que mostrando às pessoas frias e indiferentes o quanto eu significava para ela, do mesmo jeito que eu sempre tento demonstrar a ela. Desse encontro logo cedo, ela foi além, porque ela não é mulher de não fazer as coisas de maneira completa. Ela encontrou tempo para o pouco espaço na agenda dela, achou tempo para me elogiar (que perfume inebriante!). O cheiro dela ficou em mim, o sorriso dela não sai da minha cabeça, o abraço dela me envolveu num sonho bom... Como ela é linda. Como eu a adoro. E como hoje me senti adorado por ela. Hoje ela me mostrou como é possível aquecer um coração, reacender o que deixamos faltar nas manhãs curitibanas, tão frias, mas que hoje ganhou outro significado. Eu fiquei sem graça, mas fiquei aquecido de afeto e carinho, senti um acréscimo de estima por mim mesmo. Esse é um dos encantos dela, por isso sempre busco olhar para você com essa “generosidade sincera”, não para ser gentil, mas para você nunca esquecer o quanto é uma mulher apaixonantemente irresistível e o quanto você me faz bem...