A cura não acontece quando você encontra a resposta, mas sim quando aprende a conviver com as perguntas. Não perca seu tempo com as perguntas que não respondem. Acolha o sofrimento por qual você está passando e permita que ele te ensine. Recrute dentro de você a coragem para enfrentar essa fase. A coragem pode estar adormecida. Mas para curar-se é preciso se recordar que elas já estão aí dentro. A cura e a coragem. DEUS só te pede o que um dia Ele te deu. Se já está aí dentro, então, você precisa oportunizar e otimizar as condições, explorando a mais bela face das divindades postas em cada preciosidade que você carrega na alma. Mesmo em meio ao barulho da multidão, ou ainda que em algum espaço de quietude e silêncio dentro da alma. Mas tem que ser um lugar que te faça voltar para quem você é. Quem procura do lado de fora jamais vai encontrar. Entenda esse processo de cura como um jogo composto de várias nuances. Seja capaz de olhar para as peças do seu jogo que é a vida. Onde você errou, quais são suas fraquezas, seus pontos fortes, etc. Pode ser que você careça ainda disso e na lida dos teus problemas encontre limitações emocionais e até psíquicas. Isso tudo passa pela experiência e pelo cuidado do amor de Deus em nós. É um amor ordenado na desordem do nosso coração. Em que ambiência afetiva você está se sentindo? Você que já não acredita em curas ou milagres, não é mesmo!? Questiona Deus o tempo todo... Mas quem disse que milagre é a cura da doença? Quem disse que a cura não pode ser da alma? Por que escolher ouvir os médicos e querer se preparar para o pior significa “não ter fé”? Deus só ama aqueles que recebem uma cura sobrenatural, misteriosa? Não. Deus ama também os doentes e enfermos. Deus cuida de todos quando fala ao coração: CORAGEM. As doenças podem lhe tirar tudo, menos a essência. E é dela que você se basta para encarar a vida como pequenos milagres sobrenaturais. Tua história talvez não caiba em poucas linhas, porque tua existência pesa uma tonelada, os absurdos são muitos. Pode não haver remédio que dê jeito, mas a fé e a espiritualidade mantiveram por dias a chama da vida acesa. Acredite, você já foi curada do que precisava, foi curada para encontrar Deus, e você está bem. É a maturidade da fé que conforta e fortalece, que alivia o cansaço e o desânimo. Você curou o que poderia ser um impeditivo para você. E nesse estado de espera que comporta a liberdade permite que Deus faça o que tem que ser feito. Um mistério que a gente acolhe. Deus nos fortalece para viver o que precisa ser vivido, sustenta a gente nas asas da sua proteção. Se Deus deixou seu filho morrer na cruz, por que nos pouparia de viver esse mistério da fé? É a forma que Ele encontrou para nos mostrar e nos poupar de mais sofrimento. Isso nos fez se render ao mistério. Aos incrédulos fica o questionamento: “onde estava Deus quando mataram quem eu tanto amava?” A eles, uma única resposta: “Deus estava no mesmo lugar quando mataram o filho Dele”. Assim, você não foge da dor, mas acolhe ela sem mais perguntas. Daqui a pouco, quando a dor encontrar em você um lugar para repousar, as linhas estarão soltas e você vai fazer um novo bordado com elas. É bonito o recomeço, recomeçar é imprescindível...