O ânus é o músculo que controla a saída das fezes, localizado na extremidade do intestino grosso. Tumores anais são aqueles que ocorrem no canal e margens anais.Tumores no CANAL ANAL são mais freqüentes no SEXO FEMININO e tumores na MARGEM ANAL (parte externa do ânus) são mais freqüentes no SEXO MASCULINO.O câncer anal é raro, correspondendo apenas a 4% de todos os tipos de câncer que acometem o intestino grosso.

FATORES DE RISCO:
Alguns aspectos infecciosos, como o HPV/PAPILOMAVÍRUS HUMANO e o HIV/VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA, estão relacionados com o desenvolvimento do câncer anal. Uma dieta pobre em fibras, a prática de sexo anal, o alto consumo de produtos do tabaco, e a FÍSTULA ANAL CRÔNICA (doença caracterizada pela presença de um trajeto entre o canal anal e a margem do ânus com secreção purulenta) são outros fatores de risco.

PREVENÇÃO:
Dieta balanceada, com boa ingestão de fibras e que seja pobre em gordura. É importante estar atento para alterações nos HÁBITOS INTESTINAIS e para a presença de SANGUE NAS FEZES . Quando detectado em estágio inicial, o câncer anal possui grandes possibilidades de cura. É importante consultar um médico sempre que sintomas como DOR, PRURIDO e SANGRAMENTO ANAL estejam presentes.Os indivíduos com mais de 50 anos, fumantes, com história de fístula anal, infectados pelo HPV e com feridas no ânus, são considerados sob risco de desenvolver câncer de ânus. 

SINTOMAS:
coceira, dor ou ardor no ânus; sangramento nas evacuações; secreções incomuns no ânus; feridas na região anal e incontinência fecal (impossibilidade para controlar a saída das fezes).
DIAGNÓSTICO:Inicialmente realiza-se um exame de toque ,biópsia de uma amostra do tecido, anuscopia e proctoscopia,ultra sonografia e ressonância magnética.

TRATAMENTO:A escolha do tratamento depende do estágio do câncer anal.
O tratamento mais utilizado é uma combinação de quimioterapia e radioterapia. Portanto a prevenção é a melhor aliada para a preservação esfincteriana.
ASPECTOS PSICOLÓGICOS:O apoio emocional especializado para o paciente oncológico é muito importante para aliviar níveis de estresse e de angústia.

Suely Bischoff Machado de Oliveira / Psicóloga CRP 06/8495
sbischoff@itelefonica.com.br
Pós grad.pelo Hosp.do Câncer A.C.Camargo

Revisado por Editor do Webartigos.com