INTRODUÇÃO

O ser humano nasce para descobrir, aprender e apropriar-se de conhecimentos que garantam integra-se e sobreviver na sociedade de forma participativa, criativa e crítica. O que ocorre em qualquer momento da vida. 

Este trabalho busca a reflexão sobre o uso das atividades lúdicas nas práticas de ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa nos anos finais do Ensino Fundamental, buscando refletir não só, sobre as mudanças tecnológicas e comportamentais, que acontecem cada vez mais rápido dentro do processo de ensino, como também, com a prática do professor e do aluno neste processo.  Por consequência torna-se  um extenso desafio para quem deseja elevar aprendizagens e estratégias educacionais, tendo em vista essa evolução pela qual caminham mestre e aluno.

Quando em crianças as brincadeiras acontecem, e por meio dessas brincadeiras os pequenos contentam suas necessidades, aspirações  e interesses privados se inserindo na realidade e expressando suas reflexões e ordens, desconstruindo, destruindo e reconstruído o meio a sua volta através de suas brincadeiras. Meio este inerente as brincadeiras e é através delas que as crianças expressão suas expectativa, avançam em sua curiosidade dando espaço ao seu trabalho na busca para revelar o mundo.

Haja vista  que hoje é preciso ir muito adiante de exibir a informação para os alunos, o professor precisa disponibilizar atividades que transforme a informação em aprendizagem significativa, fazendo com que o aprendizado de seu aluno atinja outras esferas através da prática do conhecimento. É extremamente necessário  que o professor tenha paixão,entusiasmo, seja ponderado e responsável, não trabalhando apenas com atividades estereotipadas, mas propondo a criatividade, uma nova versão e a originalidade, possibilitando ao educando a sua autonomia. Nesse contexto, trabalhar com atividades lúdicas pode ajudar na elevação do conhecimento e por consequência um ensino de qualidade. Tendo em vista que  são muitos os pesquisadores que consideram a ludicidade como ferramenta importante na mediação do conhecimento, Feijó (1992, p. 2), deixa claro ser o lúdico uma necessidade básica da personalidade, do corpo e da mente, e faz parte das atividades essenciais da dinâmica humana caracterizada por ser espontânea, funcional e satisfatória.” Assim, o professor deve entender o lúdico como eficaz no processo de ensino-aprendizagem para o desenvolvimento social, intelectual e emocional do indivíduo.

Vivemos era da globalização e a inserção das TICs na escola com o envolvimento das crianças e adultos, porém quanto ao uso desta na educação no ensino da língua Portuguesa anos finais do Ensino Fundamental, é necessário muita criatividade e dedicação. É preciso que as escolas se não estiver procurem uma preparação para o uso destas tecnologias com as crianças e adolescentes, pois a evolução desta é notória e sua influência considerável nas transformações e evolução dos hábitos na sociedade, visto que seu fascínio envolve o dia a dia tanto de crianças como dos adultos, Reconsiderar o processo Ensino- aprendizagem numa constante é mais que preciso buscando o melhoramento dos métodos ali utilizados.

O lúdico é na prática pedagógica da escola uma ferramenta fundamental e de prioridade, pois contribui para com o desenvolvimento psíquico e sócio – afetivo do sujeito, e ainda que alguns docentes teimem em pensar que tudo não passa de um mero passa tempo, podemos afirmar que teóricos como Piaget (1975) esclarece que toda a criança que brinca e prática o jogo desenvolve sua inteligência e percepção com tendências a experimentação e seus instintos sociais.

O objetivo desse estudo é viabilizar ao professor entender a importância das atividades lúdicas para as crianças nas aulas de língua portuguesa dos anos finais do ensino fundamental, oportunizando a compreensão e significado da mesma como metodologia para a construção do conhecimento. Numa provocação para que o professor possa inserir as brincadeiras e jogos em seus projetos educativos, com intenção e consciência de sua ação quanto ao ensino e aprendizagem da criança pequena.

O lúdico além de incitar prazer, conduz ao aprendizado significativo, pois as brincadeiras e jogos promovem o despertar e vai ao encontro da criatividade interessando–se por uma diversidade de assuntos o que provoca o desenvolvimento cognitivo, é o que declara Wallon, (2010), Vygotsky(1991,2010). Já Sneyders, (1996), nos afirma que “Educar é ir em direção a alegria”, pois o lúdico faz com que a criança aprenda brincando se entretendo, com alegria e prazer, sendo importante afirmar que as técnicas lúdicas estão longe de ser um mero passatempo ou uma diversão vulgar.

  Lucena (2012) apud Cória, esclarece que as brincadeiras trabalhadas no cotidiano escolar podem criar e favorecer condições para a criança avançar no seu desenvolvimento cognitivo, porém essas atividades deverão ser discutidas e trabalhadas pelo adulto, para que possam assim tornar um conceito específico, pois age como parte integrante do desenvolvimento da criança,

É de suma importância as atividades lúdicas na escola, pois por intermédio delas o professor poderá trabalhar os conteúdos através de atividades predominantemente lúdicas.

Nesse estudo conceitua-se o lúdico de maneira a expressar a sua importância no desenvolvimento da criança e adolescente e como método que possibilita uma aprendizagem prazerosa cheia de vida e significados fundamentais para a vida em sociedade. Uma pesquisa bibliográfica com a intenção de contribuir e possibilitar ao professor considerar as brincadeiras para as crianças como fase fundamental para seu desenvolvimento, que encaminhada através da leitura de obras de vários autores, e estudiosos sobre o assunto entendeu-se que o lúdico quando bem aplicado e compreendido pode contribuir não só na qualificação e formação de um educando crítico, mas também na redefinição de valores e suas relações para com a sociedade. Sendo um trabalho realizado através de pesquisa bibliográfica, desenvolvida com base em material já elaborado como: livros e artigos científicos, o que segundo Gil, (2002) Essa pesquisa tem a vantagem de permitir a cobertura de uma gama de fenômenos mais amplos do que poderia pesquisar diretamente, proporcionando maior familiaridade com o problema tornando-o mais explícito e construindo hipóteses.

A pesquisa compreenderá uma análise de conteúdos de autores como: Piaget, Vygotsky e Wallon, Negrine, Feijó, e outros mais, observando seus pensamentos sobre a prática do professor e o lúdico para alunos dos anos finais do ensino fundamental, na construção do conhecimento, identificando fatores que interfere na prática pedagógica.

Faz parte ao mundo da criança o uso da imaginação, a fantasia e o brincar, e é através da sua inserção a este mundo lúdico, que ela se socializa, aprende a tomar decisões e a entender o espírito de grupo e perceber o mundo dos adultos.

No ensino de língua portuguesa dos anos finais do Ensino Fundamental faz-se necessário perceber, aceitar e refletir o Lúdico como fundamental e de suma importância para o desenvolvimento físico e psíquico da criança e do adolescente, e na sua aplicação deve ser planejado de maneira eficiente, de forma valorizada pelo docente, de maneira que o espaço lúdico seja um ambiente fértil e motivador para o processo do ensino- aprendizagem.

Segundo Vygotsky (1991) A atividade precisa ser vista como sendo o objeto com que a criança e ao adolescente se sente numa zona mais aproxima   do adulto, e com ela se comporta de maneira diferente do habitual de sua idade ou maior do que de fato é na realidade, é como se vise através do foco de uma lente de aumento, ele contém as tendências do desenvolvimento de forma condensada e por ele próprio é uma grande fonte de desenvolvimento.

O reconsiderar a pratica pedagógica é preciso de maneira que absolva o lúdico através do uso das brincadeiras, tecnologias e jogos como ferramentas principais para o desenvolvimento da criança e adolescente em todos os aspectos, e proporcionar uma educação sistematizada através do estimular a imaginação, do fazer aflorar a fantasia nos momentos de atividades criativas, o que significa a reorganização e planejamento da prática pedagógica do professor.

Todavia, o lúdico não pode ser visto apenas como mera diversão, ou simplesmente como maneira de lazer nas horas do intervalo, ele deve ser uma ferramenta para o desenvolvimento de conteúdos diversos de maneira que venha gerar a integração para melhor fixar as atividades propostas e até mesmo para o aluno compreender de maneira descontraída os conteúdos das disciplinas curriculares.

Na pesquisa, pretende-se pensar o brincar, os jogos e as situações problema, como sendo recursos úteis para uma aprendizagem diferenciada e significativa da língua, uma vez aplicados aos conteúdo do ensino fundamental, onde se pode trabalhar, por exemplo, o fortalecimento de vínculos familiares, tolerância mútua, dentre outros.

Em síntese , a opção pelo estudo tem por finalidade o enriquecimento de práticas docentes de Língua Portuguesa, no ensino fundamental, expandindo no aluno a capacidade de ler, escrever, interpretar, tendo em vista implicações gramaticais e ortográficas. Além de sensibilizar e atender às necessidades de muitos educadores e professores que se interessam pelo assunto e acreditam ser pertinente estarem aplicando os jogos em suas aulas, a fim de aliar o prazer e a descontração aos conteúdos teóricos que se deseja transferir.

Assim sendo o estudo tem como objetivo o uso de recursos relacionados ao lúdico para transformação das práticas de ensino da Língua Portuguesa, e busca assimilar como acontece a prática docente e o lúdico nos anos finais do Ensino Fundamental, assentindo que o lúdico é primordial para o desenvolvimento do educando como parte integrante na construção do conhecimento. [...]