Hoje quase não ouvimos falar sobre a matemática, vale ressaltar que ela faz parte do nosso cotidiano e também da educação infantil, podendo ser trabalhada de forma prazerosa, sendo através de jogos e brincadeiras, a fim de estimular a imaginação infantil.
Segundo Winnicott(1975,p.79), “é no brincar, e talvez apenas no brincar, qua a criança ou adulto fruem sua liberdade de criação”. Quando a criança faz alguma coisa simplesmente pelo prazer de fazer, a partir daí surge o desejo de aprender, por meio da curiosidade, nesse instante a criança passa pela fase desafiadora para descobrir, então exercitar sua criatividade através de situações problema, podendo então construir o seu conhecimento. Lembrando que antes de apresentar os conteúdos, o professor deve conhecer o nível de desnvolvimento da criança para então ensinar de forma adequada, levando a comparar, estabelecer relação entre outros.
Segundo Kamii (2003,p63)” nos jogo em grupo as crianças estão mentalmente muito ativas e criticas e aprendem a depender delas mesmas para saber se o seu raciocínio esta correto ou não”. Quando professor leva a criança a refletir que o trabalho deve ser realizado em grupo, isso possibilitara que as mesmas possam refletir e que possibilite que ocorra a socialização e as descobertas em grupo. Quando Kamii 2003,p.45) relata que “ o professor tem um papel crucial na criação de um ambiente material e social que encoraje a autonomia e o pensamento”. Diante dessa colocação podemos então dizer que o docente em seu primeiro momento tem um papel muito importante de levar a criança a perceber caminhos trilhados na resolução do problema proposto, pois quanto este ser questionado passa também a questionar, criando uma postura critica diante de uma problemática de sua rotina.
Para Kamii 1991, p.23)” a proposta de cooperação na interação adulta-criança será fator predominante para o desenvolvimento da autonomia”, diante disso cabe ao docente incentivar o trabalho em grupo, possibilitando que a criança tenha autonomia para construir suas próprias estratégias. Segundo Kamii (1991,p.35), “ os jogos em grupo devem ser usados na sala de aula não pelo mero fato de ensinar as crianças a joga, mas para promover sua habilidade de coordenar pontos de vista”
Diante de atividades que envolvem competição, Kamii (1991, p. 280) relata que “o professor tem um papel importante no desenvolvimento da postura de que ganhar um jogo não e nada mais do que ganhar um jogo. Não significa que quem perde seja inferior, incompetente e mereça rejeição”, de acordo de como o professor se organiza e planeja suas atividades as crianças vai conhecendo os objetivos que envolve as atividades.
É de extrema importância trabalhar a matemática de forma lúdica como mecanismo de avanço que torne o ambiente da sala de aula um espaço acolhedor e prazeroso, uma vez que a matemática faz parte da vida da criança, já que desde de pequeno contam doces, dividem brinquedo. Quantos aos objetivos dos trabalho com a matemática para crianças de zero a três anos, o documento delimita: “Estabelecer aproximações e algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano, como contagem, relações especiais, etc.” (Brasil,1998c, p.215).
Lembrando que de criança de quatro a seis anos aprendera a reconhecer e valorizar os números, as operações numéricas, as contagens orais e as noções espaciais, ferramentas necessárias na sua rotina; ter confiança em suas próprias estratégias e na sua capa capacidade para lidar com situações matemáticas novas, utilizando seus conhecimentos prévios.
Este artigo foi baseado no livro de organização do trabalho pedagógico na educação infantil, e por fim concluímos que a matemática poderá ajudar na aprendizagem da criança, lembrando de sempre estabelecer metas e direcionar a ação, despertando a curiosidade e a iniciativa infantil.
 

Referências:

KAMII, C. A criança e o número. 31 ed. Campinas, SP: Papirus, 2003
KAMII, C.; DEVRIES, R. Jogos em grupo na educação infantil: Implicações da teoria de Piaget. São Paulo: Trajetória Cultural,1991.
Vagula, Edilaine. Organização do trabalho pedagógico na educação infantil: reflexo e pesquisa- 1ed.- São Paulo:Pearson Education do Brasil, 2013
WINNICOTT,W,D. O brincar e realidade. Rio de Janeiro:imago,1975.
RENATA RODRIGUES DE ARRUDA (6) graduada em: Pedagogia; Especialista em Educação Infantil e professora na Rede Municipal de Ensino Público na cidade de Rondonópolis