Verme Do Porco Na Cabeça?
 
Verme Do Porco Na Cabeça?
 


 

Verme do porco na cabeça?

Drª Elisama dos Santos Monteiro Silva

Esta é uma expressão muito comum tanto entre populares quanto entre muitos profissionais da área da saúde. O que ela significa? Invariavelmente, quando a mesma é utilizada ela se refere a uma doença chamada Neurocisticercose. Vamos entender o que é isso, e talvez assim fazer com que o porco seja menos vilão?

Em uma pesquisa realizada por um Blog nas internet, 65,51% das pessoas acharam que a cisticercose pela carne suína e 27,58% acharam que a cisticercose é transmitida por frutas e verduras e as demais por peixes e mariscos.

Qual grupo está correto?

Primeiramente vamos entender o que é esta doença.

A Neurocisticercose é a presença de cisticercos em algum lugar no sistema neurológico (cabeça!). O que são cisticercos?

Vamos lá...Do começo.

Existe uma família de "vermes" chamada família Taenidae, com dois representantes: Taenia solium e Taenia saginata, popularmente conhecidas como "solitárias", que são responsáveis pelo complexo "teníase-cisitcercose", e pode ser definido como o conjunto de alterações patológicas causadas pelas formas adultas (teníase) e larvares (cisticercose) nos hospedeiros.

A teníase e a cisticercose são doenças diferentes causadas pelo mesmo elemento, porém em estágios diferentes. Alguns estudiosos datam o aparecimento dos primeiros casos destas doenças na época primitiva aonde o homem ainda vivia da caça.

A carne da caça, geralmente cervos, contaminada com o cisticerco da Taenia sp. Ao ser ingerida pelo caçador, levava consigo o cisticerco, que eclodia no intestino e formava o verme adulto (Tênia). Este verme se autofecunda, pois é hermafrodrodita, isto é possui órgãos sexuais masculinos e femininos em cadapequena parte (proglótides) de seu longo corpo (podem atingir mais de 10 metros), cada vez que o homem, seu hospedeiro, defecava,junto com suas fezes, os ovos com larvas eram eliminados, sendo assim, os animais que estavam sendo domesticados, como porcos e bois, acabavam ingerindo os ovos contendo as larvas, estas ao chegarem no intestino dos animais eram liberadas e ao perfurar a parede do intestina atingiam a musculatura, formavam o cisticerco e ali permanecia. O Homem então, ao comer a carne mal cozida se contaminava e iniciava um novo ciclo. Portanto, nós contaminamos os animais. Este ciclo é responsável pela Teníase.

A Teníase é uma doença (verminose) causada pelo desenvolvimento da forma adulta da Taenia saginata ou da Taenia solium, no intestino do homem. A T.saginata é a espécie transmitida pela carne do boi e a T. solium pela carne do suíno.A Teníase é a chamada Solitária. A contaminação se dá pela ingestão de carne de boi ou suíno, mal passada e contaminada com cisticercos (popularmente chamados de pipoquinha ou canjiquinha).

Os principais sintomas da teníase são distúrbios intestinais, dores abdominais (cólica intestinal, falta de apetite, apatia, fraqueza e desnutrição). O Tratamento é eficiente e de cura plena. A profilaxia é evitar comer carne mal passada ou crua, medidas de saneamento básico, educação sanitária e inspeção rigorosa de carne de boi e de suínos em abatedouros e açougues. É essencial que se entenda que o animal só será contaminado se houver um ser humano contaminado.

Entendendo isso, podemos analisar a Cisticercose.

Cisticercose é a presença do Cysticercusnos tecidos dos hospedeiros intermediários normais como boi e suíno, porém de forma acidental este cisticerco pode chegar aos tecidos cerebrais, olhos, língua, e em outros lugares no homem.

Como isso se dá? O homem ou a mulher que tem a TENÌASE (verme adulto desenvolvido no intestino), ao defecar não elimina ovos embrionados da Taenia sp.? Pois então. Ao defecar na terra, no mato, seja onde for, ele deposita na natureza uma grande quantidade de ovos. Os ovos das tênias são muito resistentes à inativação através de substâncias químicas, mas podem ser destruídos pela cocção ou fervura acima de 90°C. O ponto crucial da transmissão está nas fezes humanas. Uma vez contaminado o meio ambiente, fatalmente a água será contaminada, o alimento regado com ela e assim sucessivamente.

As pessoas com TENÍASE não tratada são mais susceptíveis à doença, pois podem se auto-infectar através de mão mal-lavada. Com certeza a manipulação inadequada de alimentos também é causa da contaminação, uma vez que se a pessoa com Teníase não higienizar adequadamente as mãos após defecar, contaminará com ovos tudo que ela tocar.

Ao ingerir esta forma do "verme" o ovo embrionado (não o cisticerco), o mesmo libera os embriões que através da corrente sangüínea, se distribui pelo corpo todo, onde se fixam, encistam-se, formando vesículas, com as larvas no seu interior, denominadas cisticercos. Desta forma o homem está com Cisticercose.

Resumindo: A carne de porco ou de boi, contaminada com o cisticercoocasiona a TENÌASE (solitária), frutas, verduras, água ou a própria mão contaminada com os ovos embrionados da Taênia causam da CISTCERCOSE.

No intestino humano os ovos embrionados da tâenia liberam as larvas que caem na circulação sangüínea alojando-se em diversos órgãos. Dependendo do local onde o mesmo se instala, do número de ovos e da reação do organismo parasitado pode gerar os seguintes sintomas:

-Ataque ao sistema nervoso  podendo ocasionar inflamação do cérebro, epilepsia, transtornos de personalidade, paralisia progressiva e até mesmo a morte.

-Oftalmo cisticercose  o cisticerco se instala na camadaabaixo da retina podendo ocasionar perda da visão. Muitas vezes se faz necessário retirar o globo ocular.

-Cisitcercose disseminada  o cisticerco atinge o músculo logo abaixo da pele causando dores, câimbras e fadigamuscular.

O período de incubação da cisticercose pode variar de 1 a 35 dias, mas geralmente, o quadro clínico manifesta-se entre 2 a 5 anos. Nestes locais, podem permanecer até 30 anos.

O tratamento envolve medicamento ou intervenção cirúrgica quando possível.

A incidência da Cisitcercose Humana vem aumentando muito em todo mundo. Segundo pesquisas há quinze anos era rara nos Estados Unidos, hoje é uma das parasitoses do sistema nervoso mais freqüente, não só lá como no mundo todo.

No Brasil, amaioria dos casos é registrada nos estados do Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Segundo dados da Fundação Nacional de Saúde/Centro Nacional de Epidemiologia (FNS/CENEPI 1993), o Brasil registrou um total de 937 óbitos por cisticercose na década de 80, no século passado. Até o momento não existem dados disponíveis para que se possa definir a letalidade do agravo.

A profilaxia da Cisticercose envolve informação, porque só através do conhecimento há o esclarecimento e conscientização da importância da higiene pessoal e com alimentos, educação sanitária e saneamento básico. Cabe às autoridades a fiscalização adequada para com a cadeia produtiva da carne, seja ela de boi ou de suíno. Cabe aos profissionais da área da saúde informar adequadamente à população sem subestimar o poder de compreensão da mesma, passando assim informações adequadas e consistentes.

                                              

Bibliografia consultada:

1. Borges, Mariana: Carne de porco não é causa direta da cisiticercose, disponível em:

http://www.rgnutri.com.br/sqv/patologias/csc.php acessado em 16 de julho de 2008

2. Carne suína e cisticercose, disponível:

http://www.rgnutri.com.br/sqv/patologias/csc.php acessado em 16 de julho de 2008

3. Embrapa Cartilha Teníase/Cisticercose, disponível:

http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=1018 acessado em 16 de julho de 2008

4. Guia de doenças  Teníase/Cisiticercose, disponível:

http://www.pgr.mpf.gov.br/pgr/saude/doencas/teniase.htm acessado em 16 de julho de 2008

5. Lima, C. Resultado Comentado: Cisiticercose, disponível:

http://www.professorclaudiolima.blogspot.com/2008/03/resultado-comentadocisticercose.htmlacessado em 16 de julho de 2008.

6. Neves,D.P. et col. Parasitologia Humana, 11ª edição, Atheneu 2008.

 

*Drª Elisama dos Santos Monteiro Silva

Graduação em Nutrição pela Faculdade de Ciências São Camilo S.P. (1992).

Pós-graduação: especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica pela UNAERP (Ribeirão Preto).

Aperfeiçoamento em Vigilância Alimentar e Nutricional pela FIOCRUZ (EaD).

Cursos de atualização na área de Microbiologia, Microbiologia dos alimentos, Método de conservação dos Alimentos, Parasitologia, Epidemiologia para comunidades, Planejamento de ensino, Marketing pessoal, Interações medicamentosas e Ensino à distância.

 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
72 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Elisama Dos Santos Monteiro Silva
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Drª Elisama dos Santos Monteiro Silva Nutricionista (CRN3-5393) Especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica pela UNAERP. Extensão em formação para professores em EAD.Aperfeiçoamento em Vigilância Alimentar e Nutricional pela FIOCRUZ, cursos na área de microbiologia, parasitologia, cons...
Membro desde agosto de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: