Tendência Liberal Renovada Progressivista
 
Tendência Liberal Renovada Progressivista
 


 TENDÊNCIA LIBERAL RENOVADA PROGRESSIVISTA ¹

Daiane Oliveira ²

Rafaela D'Andréa

Roberta Killer

RESUMO

O conceito de tendência liberal renovada progressivista é bastante discutido entre os estudiosos do assunto. Onde a escola continua, dessa forma, a preparar o aluno para assumir seu papel na sociedade, adaptando as necessidades do educando ao meio social, por isso ela deve imitar a vida. Se na tendência liberal tradicional, a atividade pedagógica estava centrada no professor, na escola renovada progressivista, defende-se a idéia de "aprender fazendo" portanto centrada no aluno, valorizando as tentativas experimentais, a pesquisa, a descoberta, o estudo ao meio natural e social, etc, levando em conta os interesses do aluno. Para tanto devemos estudar sobre o tema em questão e os pontos de vista dos autores, para melhor entender o papel da tendência liberal renovada progressivista junto à atuação na .Prática escolar. e entender seus .Conceitos.

PALAVRAS CHAVE  Tendência Liberal Renovada Progressivista. Conceitos. Prática Escolar.

__________________________________

¹ TENDÊNCIA LIBERAL RENOVADA PROGRESSIVISTA

Artigo produzido para o Módulo Bases Didáticas do Curso de Pedagogia da UNIDERP Interativa

² Daiane Oliveira. Rafaela D'Andréa. Roberta Killer.

Acadêmicas do Curso de Pedagogia da Uniderp Interativa do Município de Cordeirópolis

INTRODUÇÃO

A tendência liberal renovada progressivista e seus conceitos, relação professor e aluno, conteúdos, métodos, avaliação, conceitos, etc.

Tendo como objetivo expor vários pontos de vista de alguns autores sobre o assunto, por ser o mesmo muito discutido entre os estudiosos do assunto. Ver quando e como foi a chegada da tendência liberal renovada progressivista no Brasil e quais foram os primeiros a se preocupar com ela.

Todos esses pontos de vista são para nos ajudar a entender melhor e formularmos nosso próprio conceito.

TENDENCIA LIBERAL RENOVADA PROGRESSIVISTA

A Tendência Liberal Renovada Progressivista surge em meados de 1920 e vai até os dias atuais. Tendo como seus precursores John Dewey, William Kilpatrick, Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo, Paschoal Leme.

Segundo Libâneo (1994), a Pedagogia Renovada surge no velho mundo no final do século XIX como contraposição à Pedagogia Tradicional. Várias correntes e variantes podem ser associadas à Pedagogia Renovada, todas elas incluindo elementos de uma pedagogia ativa. Entre as várias correntes o autor destaca: a linha progressivista, baseada na tória de John Dewey.

No caso do Brasil, a corrente que obteve maior repercussão foi sem dúvida o Movimento Escola Nova, influenciado pela corrente progressivista de Dewey. Esta tendência teve grande penetração no Brasil na década de trinta para o ensino de Educação Infantil e ainda influencia, na atualidade, muitas práticas pedagógicas.

As bases teóricas dessa tendência progressivista são a Psicologia do desenvolvimento e as Teorias de Jean Piaget. E todo processo é centrado na atividade da criança, mas sempre valorizando o trabalho coletivo, da troca, da ação da criança sobre o conhecimento a ser construído, onde a criança se desenvolve em etapas gradativas e geométricas, mantendo-se respeito ao ritmo individual dos sujeitos.

A perspectiva teórica de Libâneo da tendência liberal renovada (ou pragmatista) acentua o sentido da cultura como desenvolvimento das aptidões individuais.

Como pressupostos de aprendizagem, aprender se torna uma atividade de descoberta, é uma auto-aprendizagem, sendo o ambiente apenas um meio estimulador. Só é retido aquilo que se incorpora à atividade do aluno, através da descoberta pessoal; o que é incorporado passa a compor a estrutura cognitiva para ser empregado em novas situações. É a tomada de consciência, segundo Piaget.

Durante muito tempo a prática pedagógica não se alterou, mantendo-se afinada com aquilo que se popularizou como escola tradicional, dentro da tendência "liberal tradicional". Essa tendência recebeu inovações e se redefiniu como tendência renovada progressivista, e com o aparecimento do movimento escolanovista, foi denominada de tendência renovada não-diretiva.

Da mesma forma que se desenvolveram tendências alinhadas ao capital, por isso tendência liberal, o desenvolvimento e popularização da análise marxista da sociedade possibilitaram o desenvolvimento da tendência progressista. Podemos dizer que, além dessa base materialista (histórico e dialético) a tendência progressista se desenvolve a partir de movimentos populares.

A pedagogia progressista parte de uma análise crítica das realidades sociais, sustentando implicitamente as finalidades sócio-políticas da educação. Ela é dividida em: libertadora, libertária e crítico-social dos conteúdos.

TENDÊNCIA LIBERAL RENOVADA PROGRESSIVISTA E SEUS CONCEITOS

Cabe ao papel da escola nessa tendência progressivista a finalidade de adequar as necessidades individuais ao meio social e para isso, ela deve se organizar de forma a retratar, o quanto possível a vida. Todo ser dispõe dentro de si mesmo o mecanismo de adaptação progressiva ao meio de uma conseqüentemente integração dessas formas de adaptação no comportamento. Tal integração se dá por meio de experiências que devem satisfazer, ao mesmo tempo, os interesses do aluno e as exigências sociais que permitam ao aluno educar-se num processo ativo de construção e reconstrução do objeto, numa interação entre estruturas do ambiente.

Os conteúdos de ensino da tendência progressivista parte do conhecimento que resulta da ação a partir dos interesses e necessidades, os conteúdos de ensino são estabelecidos em função de experiências que o sujeito vivencia frente a desafios cognitivos e situações problemáticas. Dá-se, portanto, muito mais valor aos processos mentais e habilidades cognitivas do que os conteúdos organizados racionalmente. Trata-se de aprender, ou seja, é mais importante o processo de aquisição do saber do que propriamente dito.

Já o método de ensino parte através da idéia de "aprender fazendo" está sempre presente. Valorizam-se as tentativas experimentais, a pesquisa, a descoberta, o estudo do meio natural e social, o método de soluções de problemas. Embora os métodos variem, as escolas ativas ou novas (Dewey, Montessori, Declory, Cousinet e outros) partem sempre de atividades adequadas à natureza do aluno e as etapas do seu desenvolvimento. Na maioria delas, acentua-se a importância do trabalho em grupo não apenas como técnica, mas como condição básica do desenvolvimento metal. Os passos básicos do método ativo são: a-) colocar o aluno numa situação de experiência que tenha um interesse por si mesma; b-) o problema deve ser desafiante, como estímulo à reflexão; c-) o aluno deve dispor de informações e instruções que lhe permitiam pesquisar a descoberta de soluções; d-) soluções provisórias devem ser incentivada e ordenadas, com a ajuda discreta do professor; e-) deve-se garantir a oportunidade de colocar as soluções à prova , a fim de determinar sua utilidade para a vida.

Na questão relacionamento professor x aluno, não há lugar privilegiado para o professor; antes, seu papel é auxiliar o desenvolvimento livre e espontâneo da criança; se intervier, é para dar forma ao raciocínio dela. A disciplina surge de uma tomada de consciência dos limites da vida grupal; assim, aluno disciplinado é aquele que é solidário, participante, respeitador das regras do grupo. Para se garantir um clima harmonioso dentro da sala de aula é indispensável um relacionamento positivo entre professor e alunos, uma forma de instaurar a "vivencia democrática" tal qual deve ser a vida em sociedade.

 

TENDENCIA PROGRESSIVISTA NA PRÁTICA ESCOLAR

Na prática escolar encontra os pressupostos de aprendizagem onde a motivação depende da força de estimulação do problema e das disposições internas e interesses do aluno. Assim, aprender se torna uma atividade de descoberta, é uma auto-aprendizagem, sendo o ambiente apenas o meio estimulador. É retido o que se incorpora à atividade do aluno pela descoberta pessoal; o que é incorporado passa a compor a estrutura cognitiva para ser empregado em novas situações. A avaliação é fluída e tenta ser eficaz à medida que os esforços e os êxitos são pronta e explicitamente reconhecidos pelo professor.

As manifestações na prática escolar são que os princípios da pedagogia progressivista vêm sendo difundidos, em larga escala, nos cursos de licenciatura, e muitos professores sofrem sua influencia. Entretanto, sua aplicação é reduzidíssima, não somente por falta de condições objetivas como também porque se choca com uma prática pedagógica basicamente tradicional. Alguns métodos são adotados em escolas particulares, como Montessori, o método dos centros de Declory, o método de projetos de Dewey. O ensino baseado na psicologia genética de Piaget tem larga aceitação na educação pré-escolar. Pertencem, também, à tendência progressivista muitas das escolas denominadas "experimentais", as "escolas comunitárias" e mais remotamente (década de 60) a "escola secundária moderna", na versão difundida por Lauro de Oliveira Lima.

CONCLUSÃO

O que podemos observar e concluir, é que na prática cotidiana das escolas e dos professores, há misturas de tendências e posturas. Elas não se apresentam puras nas práticas pedagógicas, mas formando uma mistura, formando o que é nosso sistema educacional. Misturando-se de forma dialética, pois assim teríamos um avanço qualitativo, mas de forma eclética de modo que cada um recolhe aquilo que lhe parece conveniente.

Enfim, para finalizar a conclusão, diríamos que o grupo concluiu que nos dias atuais nenhuma das tendências e correntes sobreviva sozinha na prática pedagógica, nem mesmo a tendência liberal renovada progressivista.

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, Denise Silva. A construção do consenso nos anos 1990 e os organismos internacionais. Disponível em http://professor.ucg.br/siteDocente/home/disciplina.asp?key=3172&id479 .

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública. São Paulo: Loyola, 1990.

LUCKESI, Copriano C. Filosofia da Educação. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SAVIANI. Dermeval. Escola e democracia. 31 ed. Campinas: Autores Associados, 1997.

 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
44 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também