Sobre Mozart, Sua Obra E Detalhes Interessantes Da Vida Do Compositor
 
Sobre Mozart, Sua Obra E Detalhes Interessantes Da Vida Do Compositor
 


1) Sobre Mozart http://www.minharua.com

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)

Mozart foi um dos maiores compositores da história. Ele conseguiu em seu curto período de vida deixar como herança para o mundo uma grande parte das mais bonitas e complexas composições musicais existentes.

Nascido no dia 27 de Janeiro de 1756 às 20:00 horas, em Salzburg, uma cidade na Áustria localizada pertos dos Alpes, Mozart foi batizado com o nome de Johannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilu. A tradução de Theophilus para o latim é Amadeus (que quer dizer o favorito dos Deuses), porém era chamado de Wolfgangerl ou Woferl por sua família e amigos.

Seu pai Leopoldo era um famoso músico conhecido por toda Áustria e Europa. Mozart veio de uma casa musical, o que facilitou o seu desenvolvimento de seus dons artísticos. Sua irmã Maria Anna, cinco anos mais velha que Mozart, também foi uma criança dotada de extrema capacidade musical, e juntamente com seu irmão se apresentou para vários membros da aristocracia. Maria Anna nunca teve a capacidade de improviso e memorização de seu irmão, porém a história não pode tirar seus méritos como excelente pianista.

Mozart foi uma criança que pode ser considerada mais do que prodígio: quando tinha três anos ele tocava cravo; aos quatro anos ele compôs pequenas peças para piano e já era um excelente violinista. Uma das piadas históricas sobre Mozart foi contada para sua irmã por um amigo da família, Johann Andreas Schachtner: Um dia após visitar a igreja, Leopoldo retornou a sua casa e ao ver o pequeno Mozart entretido com um pedaço de papel ele perguntou a criança o que estava fazendo. Mozart retrucou, dizendo que estava escrevendo um concerto para piano. Leopoldo ao ver o papel escrito cheio de borrões e notas mal formadas levou alguns segundos para perceber a beleza do que estava esboçado naquela página, porém assim que percebeu seus olhos se encheram de lágrimas de alegria.

Leopoldo é muito criticado pela história, que sempre nos leva a entender que ele era mais um empresário do que um pai para Mozart e sua irmã. Um dos motivos dessas críticas pode ser porque ele em 1761 teve que largar sua carreira musical para se dedicar a promover a carreira de seus filhos. Porém, as pessoas sempre se esquecem que Leopold também era um ser humano. O que você faria se seu filho fosse comprovadamente um gênio musical? Um ser que aos olhos da igreja era considerado um presente divino para a Terra e toda a raça humana. Leopold explorou ao máximo seu lado como pai orgulhoso, e tentou com todas as suas forças e conexões fazer com que seu filho fosse reconhecido mundialmente por sua genialidade, e não se tornar apenas mais um medíocre tutor musical para alguma família de aristocratas.

Com sete anos Mozart e sua irmã são levados para se apresentar em Munique, para o príncipe Maximilian Joseph III da Bavária e uma platéia seleta com a mais alta camada da aristocracia. Mozart e sua irmã causam uma ótima impressão nessa platéia elitista, pois além dele ter o que se chama de ouvido absoluto, e uma memória magnífica, ele pode ver ou ouvir a peça uma vez e ser capaz de reproduzi-la sem nenhum erro. Mozart e sua irmã formam um dueto de alta qualidade. Juntamente com todos os seus outros dotes ele tinha uma voz extremamente agradável e a capacidade de compor improvisações muitos bem colocadas, e como bônus, além de seus longos cachos de cabelo dourado, a sua personalidade era extrovertida e considerada pelas damas da época como adorável.

Em Viena, o coração musical da Europa na época, Mozart e sua irmã se apresentaram para o Imperador Frans I e sua esposa, deixando ambos maravilhados. Após sua apresentação, Mozart subiu no colo da imperatriz Maria Theresia, abraçou-a e delicadamente beijou-a no rosto, perguntando se ela o amava (aliás, dizem que Mozart enquanto criança tinha como costume perguntar a rainhas e damas da corte se elas o amavam). A imperatriz, derretida com esse ato de doçura e espontaneidade, presenteou Mozart com um casaco enfeitado com tranças de ouro, e o guardou para sempre em sua memória e coração.

A família Mozart não era muito fã da atmosfera Parisiense e vice-versa: a apresentação das crianças não foi muito apreciada pela elite local. Em compensação a apresentação em Versalhes foi mais do que fenomenal, deixando toda a corte real boquiaberta. Porém o local favorito da família acabou se tornando Londres, aonde eles tiveram uma estadia muito agradável e seus talentos foram reconhecidos pelos Ingleses de forma extraordinária. Foi em Londres que Mozart se tornou amigo do filho de Johan Sebastian Bach, Johann Christian Bach, que além de amigo foi também para Mozart uma riquíssima inspiração como compositor.

Durante a infância, Mozart passou por períodos longos de convalescença: alguns dias antes do seu sétimo aniversário ele teve primeiramente escarlatina, e logo após uma crise de artrite reumática. Pouco tempo após sua recuperação foi à vez de Nannerl ficar doente. Ela contraiu febre tifóide e por um longo período Leopold e sua esposa acharam que sua filha mais velha não resistiria à doença. Narnnerl conseguiu se recuperar da enfermidade, porém inesperadamente Mozart também cai de cama com os mesmos sintomas que quase tiraram à vida de sua irmã.

Anos se passaram e o jovem Mozart continua a espalhar sua genialidade por toda a Europa. No ano de 1777 Mozart se apaixona por Aloysia Weber, que logo terminou seu namoro com o músico, porem quatro anos mais tarde ele acabaria comunicando a seu pai que ia se casar com Constanze Weber, a irmã de sua ex-namorada Aloysia.

O ano de 1778 não foi um dos melhores anos da vida de Mozart. Sua temporada em Paris é considerada uma catástrofe e juntamente com a decepção vinda da turnê Parisiense sua mãe que o acompanhava durante a temporada vem a falecer.      

O casamento de Mozart e Constanze nunca foi abençoado por Leopold que queria que seu filho se casasse com uma mulher de família nobre e de reputação inquestionável. Desde que Mozart anunciou seu casamento, sua relação com seu pai foi cortada. Todos os esforços feitos por ele para seu pai abençoar a união e aceitar sua esposa foram em vão. Leopold nunca perdoou seu filho por ter se casado sem seu consentimento com uma senhora que vinha de família cuja reputação era duvidosa.

Entre 178285 Mozart escreveu uma série de seis quartetos e os mandou de presente a Haydn que, ao ouvir o material, disse a Leopold que seu filho era o maior compositor que ele já havia ouvido que o garoto possuía gosto e provavelmente o maior conhecimento musical que ele já havia presenciado.

Talvez tenha sido por causa de sua genialidade ou por causa de sua natureza rebelde, que Mozart se negou a compor simplesmente o material que era requisitado pela realeza, e sem patrono resolveu trabalhar com free-lance, sendo ele o primeiro artista a quebrar a tradição do músico ser nada mais do que um servente da realeza. Fazendo isso, ele se tornou o primeiro artista independente da história musical. Porém Mozart e sua esposa estavam sempre em uma situação financeira precária e a maioria de seu sustento vinha de empréstimos financeiros fornecidos por amigos do casal.
      
A morte de Mozart ainda é um assunto controverso: muitas pessoas dizem que sua morte foi repentina, enquanto outras afirmam que Mozart estava ciente de que sua saúde estava se deteriorando rapidamente. A causa da morte também não é clara, com teorias sobre envenenamento por mercúrio ou febre reumática. O que se sabe ao certo é que no dia 5 de Dezembro de 1791, a uma da manhã, aos 35 anos de idade, Wolfgang Amadeus Mozart, morre nos braços de sua esposa. A humanidade nesta data, mesmo sem ter noção da magnitude de sua perda, diz adeus a um dos seus maiores gênios musicais que já existiram na terra. Seu corpo foi enterrado em um cemitério nas redondezas de Viena em um túmulo desprovido de identificação.        

Durante seus 35 anos de vida Mozart produziu mais de 600 trabalhos musicais documentados, mais outras centenas de trabalhos que ficaram guardados dentro da memória do compositor.

Curiosidades sobre Mozart:

2) curiosidades sobre Mozart
 
  • Mozart tinha aproximadamente 1,53 de altura
  • Sua orelha esquerda era visivelmente deformada (concha da orelha), sem a parte do lóbulo.
  • Seu nariz era avantajado
  • Sua pele era pálida
  • Era franzino durante a juventude.
  • Mozart conheceu Beethoven 1787, quando esse tinha 16, e disse para as pessoas prestarem atenção nesse menino, pois um dia ele seria muito conhecido.
  • Não é verdade que Antonio Salieri foi responsável pela morte de Mozart. Salieri invejava o compositor abertamente, porém não foi o culpado de sua morte.
  • Saleiri foi responsável pela educação musical de vários compositores e músicos famosos, entre eles podemos destacar: Beethoven, Carl Czerny, Hummel, Liszt, Meyerbeer, Moscheles, Schubert, Süssmayr, e o filho mais novo de Mozart, Frans Xaver.

Mozart era considerado por muitas pessoas como:

  • Risonho, muitas vezes seu comportamento era de uma pessoa tola. Profano, falava auto e ria como uma hiena. Sua personalidade era desagradável e na maioria das vezes as pessoas desgostavam de sua companhia.
  • Seu caráter era complexo. Diziam que seus hábitos eram incontroláveis e inaceitáveis. Ele também tinha uma grande fama de ser inadequado e por onde passava causava problemas e caos.
  • O meu detalhe favorito sobre a infância de Mozart é que quando criança ele conheceu Maria Antonieta, durante sua série de concertos para a família real em Viena (a mesma serie de concertos em que ele se sentou no colo da Imperatriz e lhe deu um beijo). Quando a Imperatriz perguntou o que ele queria de recompensa após e seu magnífico desempenho, ele disse a ela que apenas queria a mão de sua filha (Maria Antonieta) em casamento. Dizem que a Imperatriz ficou impressionada e delicadamente explicou a Mozart que sua filha não poderia se casar com um músico, ela teria que se casar com uma pessoa de sangue nobre. (De fato Maria Antonieta casou-se com Luis XVI aos 14 anos de idade, e alguns anos após, durante a Revolução Francesa, ela foi decapitada).

3) Flauta mágica a opera

Escrita em 30 de setembro de 1791, a ópera A flauta mágica foi um sucesso instantâneo. Uma outra informação que faz essa opera tão especial: é que essa foi a primeira vez que Mozart compôs para o teatro comum, como se ele fosse apenas um mero compositor de farsas e operetas.

Por séculos essa peça tem sido um sucesso devido a sua combinação de espetaculares efeitos sonoros, que são geralmente traduzidos durante as apresentações no teatro como efeitos visuais. A flauta mágica é uma mistura de conto de fadas que trás uma combinação única entre o obscuro e o ridículo.

Uma das primeiras pessoas a ver a montagem da flauta mágica foi Karl Mozart, o filho de Mozart que na época tinha sete anos de idade. Por documentos históricos se sabe hoje em dia que Mozart escreveu para Constanze, e que Karl teria ficado maravilhado com o espetáculo.

A Flauta Mágica pode ser considerada como a mais famosa composição de Mozart, ou pelo menos como a ópera de sua autoria que obteve mais sucesso e reconhecimento público, pois transcende idade, linguagem e a linha do tempo. Um dado interessante é que Mozart Faleceu dois meses após a primeira apresentação da Flauta Mágica.

A história da Flauta Mágica começa com a aparição do príncipe Tamino sendo atacado por uma serpente. O príncipe desmaia e as três damas da noite, que são assistentes da rainha da noite, aparecem e vencem a serpente. Quando elas saem de cena, o jovem Papageno aparece e, quando questionado diz a ele que seu trabalho é capturar pássaros para a rainha da noite, e que ele era a pessoa que tinha derrotado a serpente. Quando as três damas reaparecem, elas punem Papageno por mentir e mostram ao príncipe a imagem da princesa que supostamente teria sido capturada pelo maligno Sarastro. E durante essa explicação, A rainha da noite aparece e promete a mão de sua filha em casamento ao príncipe caso ele a salve do mago. O príncipe recebe da rainha uma flauta mágica e Papageno um par de sinos mágicos. Papageno e Tamino são guiados por três espíritos que lhes mostrarão o caminho. Daí então, a aventura se torna um conto mágico cheio de aventura e desafios que o príncipe tem que passar para salvar sua futura princesa Pamina.

A opera é cheia de momentos belíssimos e profundos, onde o verdadeiro amor triunfa contra todos os poderes existentes. A ópera é também uma ode ao amor puro e a delicadeza. Eu não diria que é a minha peça favorita de Mozart, porem é uma que vale muito a pena conhecer, mesmo que seja só a opera cantada, que é realmente belíssima.
 
Avalie este artigo:
(5 de 5)
7 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Adriana Zimbarg
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Eu sou editora chefe do portal minharua e a responsável pelos artigos ligados a cultura. Meu trabalho é geralmente ligado a o teatro e analise do contexto histórico de peças teatrais, sempre tentando defender os indefensíveis, ou tentando mostrar um pouco mais da vida e do passado de autores, perso...
Membro desde janeiro de 2007
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: