Ser soldado
Ser soldado!
Eu sempre quis ser um
Nas minhas brincadeiras de criança
Com revolver de brinquedo
Eu sempre era o mocinho. O herói!

Ser do bem!
Eu sempre quis também!
Ser do bem é uma necessidade humana
Está na natureza de todo homem
Mas a gente cresce...

E a sociedade é como nosso suor
É dura e difícil...
Às vezes é suja e fede!
Estou independente
E isso me dá medo

Nossa mente vai se poluindo
Assim como as fábricas, os carros
Polui nossa casa- nossa terra
Nosso ar, nossa vida
E o revolver já não é como antes...

Queria ser sempre criança
Mas é preciso crescer, ter casa, mulher
Ter filhos...
Evoluir, saber mais
Torna-nos menores

Quando crescemos, ficamos pequenos...
Nossos sonhos se vão, a realidade vem à tona
Ela bate e dói! Como dói!
Daqui a algum tempo vai virar rotina:
Acordar, trabalhar, assistir jornal- Voltar a dormir...
Talvez haja "boa noite querida"
Talvez viva só...

Aos dezessete, pensei poder mudar o mundo
Os vinte me vieram amargos
E foi suficiente para compreender...
Que era apenas um sonho de criança
Ser soldado!... Eu sempre quis ser um!...
Ser do bem!... Eu sempre quis também!...
Mas a gente cresce...

Alguns evoluem muito; outros nem tanto!
Outros ainda quase nada!
E ser soldado... E ser do bem...
Quase sempre se torna apenas um sonho de criança
Ser soldado!
Ser do bem?
Bin achava que era; um dia eu também...

E hoje?...
Hoje não é sonho ser soldado
Hoje soldado, já nem sonho!
Não choro a falta de um amor,
Nem sofro por não ser amado
Por que hoje...
Hoje eu sou soldado!





 
Revisado por Editor do Webartigos.com
Leia outros artigos de Jorge Morais
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Sou cearense, moro na capital Fortaleza e sou funcionário público do Estado e estudante de direito. Gosto de escrever poesias de amor e reflexões
Membro desde agosto de 2010