Rotação de culturas?
 
Rotação de culturas?
 


Rotação de culturas?

O que é a rotação de culturas? Esse texto possui o objetivo de descrever essa técnica agrícola para os alunos de ensino médio e demais interessados.

Imagine que você planta milho em uma fazenda. O milho, assim como todas as plantas, se nutre de minerais presentes no solo. Essa cultura tem uma dada demanda por nutrientes. Se ela for plantada sempre no mesmo local e os nutrientes não forem adequadamente repostos ao solo pela adubação, a planta, certamente, passará a sentir sinais de "fome" (sintomas de deficiência nutricional).

Da mesma maneira, imagine que, certo ano, uma praga atacou a lavoura de milho e destruiu boa parte das plantas. No plantio seguinte, ao realizar novamente o plantio a praga novamente infesta a plantação trazendo mais uma vez prejuízos ao agricultor.

Para evitar esses inconvenientes e outros, utiliza-se a prática de rotação de culturas. Esta consiste na alternância de culturas diferentes em uma mesma área. Com isso, por exemplo, se uma praga ataca o milho, não persistirá na área, pois no plantio seguinte não haverá plantio de milho, mas de algodão. Nesse caso, há pouca chance da praga que ataca o milho atacar também o algodão. Desse modo, a praga deixa a área de plantio e com isso, o plantio futuro de milho poderá ser feito sem grandes problemas de controle de pragas. Em adição, o milho possui uma demanda nutricional diferente da do algodão. Com isso, dificilmente exauri-se o solo.

Outro ponto que é conhecido é que as plantas eliminam alguns compostos químicos pela raiz que atuam intoxicando o ambiente. Com isso, ao longo do tempo, o ambiente do solo que só se planta milho, se torna inadequado para esta cultura. Com a rotação elimina-se esse problema, pois não há o acúmulo de substâncias tóxicas oriundas do milho que, ao se acumulares, prejudicam o desenvolvimento do milho no solo.

Não se deve fazer a escolha de culturas para a rotação ao acaso. Ao contrário, essa decisão deve ser muito bem pensada para que casa cultura possa usufruir de benefícios deixados pela cultura anterior. Por exemplo, a alternância de amendoim e milho faz com que este se beneficie do nitrogênio fixado pelo amendoim. Nesse sentido, o milho cresce melhor e sem a necessidade de grandes gastos em adubação nitrogenada por parte do agricultor.

Para a escolha das espécies a serem cultivadas no sistema de rotação de culturas, deve-se escolher espécies com diferentes sistemas radiculares para explorarem diferentes camadas de solo e, por conseqüência, adicionarem matéria orgânica em diferentes profundidades. As diferenças nutricionais também devem ser levadas em consideração e, por último, selecionar espécies não muito próximas de forma a evitar que pragas de uma possam atacar a espécie a ser plantada na seqüência.

Utilizando-se essa técnica, pode-se melhorar a produtividade agrícola e, ao mesmo tempo, conservar a fertilidade do solo que, por fim, terá conseqüência direta sobre a conservação do mesmo já que o solo terá plantas com maior vigor e, portanto, maior cobertura contra impactos das gotas de chuva.

Preparado a partir de:

BERTRAMSON, B.R. Principles of Crop Rotation. Journal of Soil and Water Conservation, v.11, n.5, p.209-212, 1956.

GALETI, P.A. Práticas de controle à erosão. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1984. 154p.

 
Avalie este artigo:
5 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Luiz Felippe Salemi
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Formado no curso de Bacharelado em Gestão Ambiental da ESALQ/USP. É mestre em Ecologia Aplicada (USP), estudando Hidrologia e Biogeoquímica de Microbacias Hidrográficas. Se interessa por assuntos relacionados ao uso, manejo, e conservação do solo e da água em ecossistemas agrícolas e naturais. Ema...
Membro desde abril de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: