Responsabilidade social e meio ambiente
 
Responsabilidade social e meio ambiente
 


autora




Ana Cristina da Cruz Santos



Responsabilidade Social e Meio Ambiente





Glória de Dourados-ms 2010




RESPONSABILIDADE SOCIAL E MEIO AMBIENTE
Sustentabilidade aplicação no meio ambiente

Este trabalho tem o intuito de esclarecer o conceito de sustentabilidade e a inserção no planejamento do desenvolvimento ambiental. Desde a criação do sistema de administração da política publica e o objetivo da consistência com o trabalho que propõe os aspectos gerais do meio ambiente, para atingir os objetivos que foram planejados.




















Sustentabilidade é um conceito relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos sociais, culturais e ambientais da sociedade humana o discurso de reprodução e manutenção do capitalismo em nível global, e os instrumentos do planejamento de gestão urbana ambiental e incorporam o conceito de planejamento urbano sustentável, e movimenta a ciência e a transformação social.
A meta do desenvolvimento sustentável requer capacidade de pensar levando em conta as três dimensões conjuntamente, sem predominância de uma sobre outras, isso significa pensar e atuar com base na transversalidade trata-se de um conceito proveniente de domínio ambiental, pois que a observação dos ecossistemas mostra que neles não há lugar para ações estanques e segmentação, já que na natureza todos os processos são integrados. Opondo-se a fragmentação e transversalidade dar uma visão, mais ampla e adequada da realidade indicando o caminho da sobrevivência.
A inserção, dentre o principal objeto de planejamento esta em território composto do mosaico definidos por espaçamento que diferem em suas propriedades quantitativas e qualitativas tendo como objetivo garantir a integridade, produtividade e beleza da paisagem buscando compreender toda visão da matéria e sua cultura, assim como a sustentabilidade. Transformando a paisagem por meio de uma nova organização e espaço. Com o conhecimento da Lei, 6938/1981 (política nacional do meio ambiente) o pais passou a ter formalmente uma política voltada para ao meio ambiente, um dos aspectos importantes foi a criação do sistema administração das políticas publicas, que envolviam três níveis da federação, tem como objetivo da consistência com trabalho que propõe estudar os aspectos gerais do meio ambiente, que são: objetivos, princípios, instrumentos etc. Trata-se de uma pesquisa que visa servir de introdução à temática para aqueles que não tem conhecimento sobre o assunto.A lei em questão definiu conceitos básicos como o controle de recursos ambientais em relação à degradação e a poluição, a determinação de instrumentos econômicos capazes de incentivar as ações produtivas ambientalmente corretas e prevê penalidades para aqueles que não cumprirem com a norma estabelecida. Entretanto o objetivo geral, esta dividido em preservação, melhoramento e recuperação como: compatibilização do desenvolvimento econômico social, que visa critérios: padrões de qualidade, normas relativas a uso e manejo de recursos ambientais, imposição ao poluidor e ao predador, da obrigação de recuperar ou indenizar os danos causados: formação de uma consciência publica sobre a necessidade de preservação da qualidade ambiental; proteção dos ecossistemas das áreas representativas; racionalização do uso do solo, subsolo, água e ar.O licenciamento ambiental é dos mais importantes instrumentos inseridos pela política nacional do meio ambiente, que tem como objetivo licenciar a localização instalação, ampliação, recuperação, desativação. A operação de empreendimentos considerados permanente, que possam causar degradação ambiental e compete ao CONOMA: (conselho nacional do meio ambiente) estabelecer mediante proposta do IBAMA: (instituto nacional do meio ambiente) normas e critérios para o licenciamento de atividades efetivam ou potencialmente poluidoras. Sabesp: (saneamento básico de são Paulo) funciona como verdadeira fabrica de água potável. Atualmente são tratadas em média 105 mil litros de água por segundo. O processo convencional de tratamento de água por segundo. O processo convencional de tratamento de água é dividido e em três fases e existe um rígido controle de dosagem de produtos químicos acompanhado de padrões de qualidade as etapas são:
? Pré-coloração: onde o cloro é adicionado assim a que a água chega á estação retirando a matéria orgânica e os metais.
? Pré-alcalinização: depois do cloro a água recebe cal ou soda para ajustar o PH aos valores exigidos nas seguintes do tratamento.
? Coagulação: nesta fase é adicionado Sulfato de alumínio, cloreto férreo, seguido de uma agitação violenta da água assim as partículas de sujeira ficam eletricamente desestabilizada e mais fácil de agregar.
? Feculação: após coagulação há uma mistura lenta da água, que serve para provocar a formação de flocos com as partículas.
? Decantação: neste processo, a água passa por grandes tanques para separar os flocos de sujeira formada na etapa anterior.
? Filtração: logo após, a água atravessa os tanques formados por pedras de areia e carvão antiácidos. Eles são responsáveis por reter a sujeira que restou na fase da decantação.
? Pés- alcalinização: quando é feita à correção final do PH da água para evitar corrosão da tubulação e encostamento.
? Desinfecção: é feita uma última adição de cloro no liquido antes da saída da estação de tratamento. Ela garante que a água fornecida chega isenta de bactérias e vírus até a casa do consumidor.
? Fluoretação: o flúor é adicionado para ajudar a prevenir cáries, a Sabesp começa desempenhando suas responsabilidades como empresa cidadã que trata e beneficia mais importante recurso natural que existe, por isso estabelece diretrizes para a gestão ambiental e desenvolve soluções que contribui para o desenvolvimento sustentável Para o sistema de esgoto ETE. (estação de tratamento de esgoto) domiciliar ou industrial seguem-se os seguintes níveis básicos: primário, secundário e terciário. Cada um deles tem respectivamente o objetivo de remover os sólidos suspensos dissolvidos à matéria orgânica, e os nutrientes e organismos patogênicos causadores de doenças.No tratamento primário são sedimentados e decantados os sólidos em suspensão que vão se acumulando no fundo do decantador formando o lodo primário que depois é retirado para dar continuidade ao processo. Em seguida, no tratamento secundário, os microorganismos irão se alimentar da matéria orgânica convertendo-a em gás carbônico e água. E no terceiro e último processo, também chamado de fase de pós- tratamentos são removidos os poluentes específicos como os micronutrientes nitrogênio e fósforo e patogênicos bactérias e fungos. Isso quando se deseja que o efluente tenha qualidade superior, ou quando o tratamento não atingiu a qualidade desejada. No caso de haver substancias muito tóxicas ou que não pode ser removida pelo tratamento oferecido pela ETE a indústria é obrigada a construir a sua própria ETE para seu próprio efluente. Há muitas maneiras de se tratar o nosso lixo, mas infelizmente a mais usada é justamente a pior: lixões. Se você não conhece um lixão, sorte sua, porque é um lugar bastante desagradável. Os depósitos de lixo a céu abertos, popularmente conhecidos como vazadouros, lixeiras ou lixões, são áreas geralmente localizadas nas periferias das cidades. Os caminhões de lixo depositam o seu conteúdo nestes locais sem o menor cuidado, muitas vezes a beira de rios, lagoas ou do mar. Ali o lixo pode feder, atrair insetos e ratos sem incomodar a maior parte da população. Quando as cidades crescem as casas começam a ser construídas mais próximas destas áreas e o prejuízo à saúde se torna mais evidente.
? O aterro controlado- o meio ambiente já sofre desde o inicio, como vimos acima, mas para tentar amenizar os depósitos a céu aberto foi criada a categoria de aterro controlado. Neste sistema, há uma contenção do lixo que, depois de lançado do deposito é coberto por uma camada de terra. Esta forma de disposição minimiza o mau cheiro e o impacto visual, porém, não dispõem de impermeabilização de base (contaminando o solo e o lençol d?água) nem de sistema de tratamento do chorume ou do biogás. Na verdade, a nomenclatura mais adequada seria "lixão controlado."
? A incineração só é uma opção quando o processo tem garantias de que não irá poluir o ar, confirmando-se bastante cara e, portanto, só economicamente viável para alguns tipos de resíduos dos serviços de saúde. Além disso, há o tratamento térmico feito por uma máquina que tritura e submete o lixo infectante a altas temperaturas tornando o lixo inerte, ou seja, que não é mais infectante e que pode ser armazenado no aterro sanitário com os demais resíduos sólidos.
? O aterro sanitário- é a única opção aceitável para o que realmente é lixo, ou seja, resíduos que não podem ser reaproveitados, nem reciclados. Pela atual cultura de nossa sociedade estes aterros sanitários recebem inadequadamente resíduos reaproveitáveis e recicláveis. Esta realidade determina que os aterros tenham a sua tempo vida útil reduzida, tronando necessária a construção de um novo aterro em menos...
O compromisso é diferencial do aterro sanitário é a responsabilidade com que se trata o lixo a ser armazenado num local. Desde a escolha da área, até a preparação do terreno, operação, determinação de vida útil e recuperação da área após o seu encerramento, tudo é pensado, preparado e operado de maneira racional para evitar danos à saúde pública e ao meio ambiente, contribuindo para o entendimento e gestão da Sustentabilidade considerando as interações que existem entre os alicerces ecológicos e as atividades de "produzir? e "consumir", que representam a essência de qualquer sistema econômico.O grande propósito do planejamento ambiental é seu assunto e seu objeto, pois é plano central de uma organização de grande porte resulta em um programa ou plano estratégico juntamente com planos táticos de cada área e os planos operacionais referente aos processos realizados por a área junta forma um conjunto de planos ao qual se denomina conjunta organizacional, e podem-se: Bacia hidrográfica, unidade de conservação, educação ambiental, sistema de educação ambiental de empresas, reciclagem de resíduos de embalagens, tratamento de afluentes, redução do consumo de energia, redução dos impactos ambientais na fabricação de produtos, redução de impactos ambientais de serviços.São nove elementos de planejamento:
? Propósitos- O que fazer
? Objetivos- O que fazer
? Prazos- Quanto tempo
Qualidade- refere-se a qualidade quando se pretende atingir quanto ao propósito do planejamento. Diz respeito principalmente, à identidade das organizações ou ao objeto do planejamento; refere-se também às relações internas e externas das organizações.Quantidade- refere-se à quantidade que se pretende realizar ou produzir. Relaciona-se, principalmente, aos recursos e processos para a execução do planejamento. Quanto ao objetivo do planejamento:
? De organizações e subsidiarias
? .De projetos
? De operações
? De comissões
? Uma organização é uma instituição com objetivos definidos. Os objetivos de uma organização sempre estão ligados ao fornecimento de bens e serviços para satisfação das necessidades e as sua missão organizacional em uma visão dentro do escopo das suas atividades.
? Quanto ao nível de detalhamento
? Estratégico
? Tático
? Operacional
As características de um plano devem estar definidas e ser do conhecimento de quem participa de elaboração obedecendo ao grau de complexidade, nível de detalhamento para atingir os objetivos que foram planejados.

Conclusão:
Concluí que a meta do desenvolvimento sustentável requer capacidade de análise dos problemas ambientais, identificando suas causas e definindo as ações a serem realizadas, de um modo geral; que visa critérios, padrões de qualidade, desenvolvimento econômico e social, na medida em que preserve e recupere o meio ambiente.








SUMÁRIO
Conceito de sustentabilidade 1
Aplicaçáo ao meio ambiente 2
Política nacional do meio ambiente quanto ao planejamento ambiental 3
Principais sistemas de água e esgoto 4
Interação no planejamento 5
Principais sistemas de resíduos e sólidos 6
















BLIBLIOGRAFIA CITADA
ABNT. interpretação NBR ISSO14001 (1996).Rio de janeiro:
ABNT-Cb38/Sc-01/Grupo de interpretação,jul./2001
Acessado23/10/2010
RODRIGUES.João R.Roteiro para apresentação de estudo
De impacto ambiental-RIMA. In:
Verdum Roberto & Medeiros,Rosa M.V.(ORG).
RIMA,Relatório de Impacto Ambiental:legislação,
Elaboração de resultados, 4ªEd. Porto alegre: UFRGS,2002
Planejamento ambiental: teoria e prática.São Paulo:oficina de texto,2004.184p.
HTTP://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938compilada.htm.




 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Ana Cristina Da Cruz Santos
Talvez você goste destes artigos também