Responsabilidade social das empresas
 
Responsabilidade social das empresas
 


GILSON ANTONIO DE BONA

Responsabilidade Social das Empresas

Trabalho realizado sob a orientação da Prof.ª Maria José, da disciplina de Responsabilidade Social das Empresas

SORRISO – MT

RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS 

BREVE HISTÓRICO 

            A responsabilidade social, nas últimas décadas vem chamando atenção das empresas, principalmente para efeito de Marketing Social fazendo com que a empresa que a promova tenha diferenciais em relação as suas concorrentes, buscando com isso a própria sobrevivência no mercado.

            Concernente ao histórico da responsabilidade social das empresas, pode-se relembrar as Lições do Dr. Artur Romam[1], o qual refere que após a Segunda Guerra Mundial a economia mundial, sobre a teoria de John Maynard Keynes que pregava a intervenção estatal na economia,  teve um crescimento acentuado aumentando a produção, com pleno emprego e crescimento da renda per capita, época em que foi denominada por Estado do Bem Estar Social.

            Ocorre que tal bem-estar foi alterado com a crise mundial do petróleo de 1973, momento em que os neo-liberalistas criticavam a intervenção estatal pregando a autonomia do mercado, intervenção mínima do estado. Os liberalistas saíram vitoriosos, sendo que houve abertura da economia e desestatização, aumentando o poderio das empresas e junto disso vieram os problemas sociais decorrentes da desestatização.

            Para o autor supra mencionado a Responsabilidade Social pode ser compreendida como parte da articulação das forças econômicas neoliberais que buscam amenizar os flagelos que elas próprias criaram.

 

DA APLICAÇÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL

 

            A aplicação da Responsabilidade Social da empresas via de regra visa a obtenção do lucro, pois a empresa cria um diferencial em relação as suas concorrentes, fomentando a fidelização dos clientes e dos consumidores, os quais nas ultimas décadas estão preocupados com as questões sociais corporativas, ambientais etc..

A busca da responsabilidade social corporativa[2] tem, “grosso modo, as seguintes características:

É PLURAL. Empresas não devem satisfações apenas aos seus acionistas. Muito pelo contrário. O mercado deve agora prestar contas aos funcionários, à mídia, ao governo, ao setor não-governamental e ambiental e, por fim, às comunidades com que opera. Empresas só têm a ganhar na inclusão de novos parceiros sociais em seus processos decisórios. Um diálogo mais participativo não apenas representa uma mudança de comportamento da empresa, mas também significa maior legitimidade social.

É DISTRIBUTIVA. A responsabilidade social nos negócios é um conceito que se aplica a toda a cadeia produtiva. Não somente o produto final deve ser avaliado por fatores ambientais ou sociais, mas o conceito é de interesse comum e, portanto, deve ser difundido ao longo de todo e qualquer processo produtivo. Assim como consumidores, empresas também são responsáveis por seus fornecedores e devem fazer valer seus códigos de ética aos produtos e serviços usados ao longo de seus processos produtivos.

É SUSTENTÁVEL. Responsabilidade social anda de mãos dadas com o conceito de desenvolvimento sustentável. Uma atitude responsável em relação ao ambiente e à sociedade, não só garante a não escassez de recursos, mas também amplia o conceito a uma escala mais ampla. O desenvolvimento sustentável não só se refere ao ambiente, mas por via do fortalecimento de parcerias duráveis, promove a imagem da empresa como um todo e por fim leva ao crescimento orientado. Uma postura sustentável é por natureza preventiva e possibilita a prevenção de riscos futuros, como impactos ambientais ou processos judiciais.

É TRANSPARENTE. A globalização traz consigo demandas por transparência. Não mais nos bastam mais os livros contábeis. Empresas são gradualmente obrigadas a divulgar sua performance social e ambiental, os impactos de suas atividades e as medidas tomadas para prevenção ou compensação de acidentes. Nesse sentido, empresas serão obrigadas a publicar relatórios anuais, onde sua performance é aferida nas mais diferentes modalidades possíveis. Muitas empresas já o fazem em caráter voluntário, mas muitos prevêem que relatórios sócio-ambientais serão compulsórios num futuro próximo.”

            A empresa que concretizar uma responsabilidade social com essas características, sem sombras de dúvidas além de proporcionar destaca da mesma, serve de caráter preventivo até mesmo judicial para a empresa, gerando assim na verdade economia e lucratividade.

            Impende mencionar que pela Lei Rouanet, lei n. 8.313/91 determina alguns requisitos para que a empresa adquira o status de responsabilidade social e os benefícios dela decorrente, sendo que no caso da lei depende de reconhecimento do Ministério da educação ou de órgão por ele disignado.

 

DOS BENEFÍCIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL

 

            Reitera-se o que foi referido, supra, que um dos benefícios da responsabilidade social empresarial é o destaque o diferencial que a empresa que a adere cria perante a sociedade e, por conseguinte, perante seus consumidores, sendo que na verdade culmina no aumento dos lucros e numa excelente imagem da empresa, é o denominado Marketing Social.

            Outro benefício é o concedido pela lei 8.313/91, pois com o objetivo de incentivar as atividades culturais, a União posibilita às pessoas físicas ou jurídicas a dedução nas parcelas do Imposto sobre a Renda, as doações ou patrocínios, tanto no apoio direto a projetos culturais apresentados por pessoas físicas ou por pessoas jurídicas de natureza cultural, como através de contribuições ao Fundo de Natureza Contábil, isso desde que os projetos atendam ao fomento da cultura nacional 


[1] Dr. Em Ciência da Comunicação pela USP. Artigo disponível em: http://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache%3Avk_qYLnY-JoJ%3Awww.fae.edu%2Fpublicacoes%2Fpdf%2Frevista_fae_business%2Fn9%2F11_rs_empresas.pdf+responsabilidade+social+das+empresas+e+hist%C3%B3rico&hl=pt-BR&gl=br&sig=AHIEtbQ8RC7swScsXzDJ0869aCRIu2vOgA

[2] Disponível em  http://www.responsabilidadesocial.com/institucional/institucional_view.php?id=1

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Gilson Antonio De Bona
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Academico do décimo semestre de Direitoi
Membro desde março de 2012
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: