RELATÓRIO DE PESQUISA DE CAMPO (CRECHE COMUNITÁRIA)
 
RELATÓRIO DE PESQUISA DE CAMPO (CRECHE COMUNITÁRIA)
 


Nos dias 26 de maio de 2008, estivemos na Escola Estadual de Ensino Fundamental Casa de Davi, localizado no Bairro Esperança da Comunidade, Rua Sheyla Regina, situada na Zona leste do Município de Porto Velho-Ro com a finalidade de realizar uma pesquisa de campo, com o propósito de avaliação de currículo na disciplina ministrada pela professora Telma Ferreira da Silva.
Ao chegar á Escola procuramos falar com a Diretora Selma Nunes dos Santos da Silva, que nos recebeu com muita atenção, nos encaminhou até uma sala de aula da 2º série onde podemos realizar a nossa pesquisa de campo.
No qual foi realizada com a professora Simone Vieira, a mesma tem o nível superior habilitação em Pedagogia.
Foi perguntada a professora se já participou de algum curso, encontro ou oficina que tratasse do assunto de trânsito?
Ela nos respondeu que não, somente participou de algumas palestras relacionadas ao trânsito, que foi trabalhado com as crianças devem atuar no trânsito.
- O que é trânsito?
São vias terrestres de tráfego de veículos.
- A educação e trabalhada em suas aulas e/ou sua escola com seus alunos? Como é trabalhado este assunto?
Só na semana de Trânsito.
- Você de alguma forma tem abordado este tema com os seus alunos? Como você tem feito?
Na disciplina de geografia.
- Você oportuniza aos alunos a Educação de Trânsito?
Orientando sobre comportamento do dia ? dia no trânsito.
- Existe interesse dos alunos pelo tema, Educação de Trânsito?
Sim na Semana de Trânsito.
Como se dá inserção dos conteúdos da Educação de Trânsito em planejamento?
E incluído no planejamento curricular.
Ao termino da entrevista agrademos a professora na qual foi de uma elegância sem igual.
Seja como pedestre, ciclista, passageiro de veiculo. Por isso é importante conhecer e respeitar as regras como se comporta no trânsito, para que no futuro o mesmo seja mais seguro.
Além do futuro precisamos colocar em pratica, agora, ações que mudem esta realidade: No Brasil, o número de acidentes de trânsito é elevado e infelizmente em nosso Estado também. Isso nos deixa muito triste.
Percebemos que o tema Trânsito é de suma importância no que diz respeito à vida, transmitido assim confiança, tranqüilidade e segurança ao aluno, despertando na criança o sentido de autopreservação e de responsabilidade no trânsito, através de um ensino completo pode se adequar a outros programas a serem desenvolvido nas escolas.







No próximo dia voltei á escola para dar continuidade mais fui para a sala da creche recebida pela Raimunda onde estava muito quente devido não ter energia, conversando com a mesma observei que ela não sabe separar algumas coisas, dando atividade para criança fazer como: desenhar e brincar, criança com idade de 02 á 07 anos, quando três deles já poderia esta em outra sala, porque sabe assimilar os nomes e outros. Assim tenho um diálogo com ela, disse que tem vontade de ajudar as crianças, e esta terminando o ensino médio.
Voltando no dia seguinte á sala da professora Franciene no jardim da infância, já com atividade feita no quadro, como um pequeno texto em que a criança desenvolva criatividade de desenhar, mas ela não se expressou bem e teve uma confusão ao ouvir, corrigiu as tarefas, passou mais leitura, mais tudo foi resolvido porque terminou com refrigerante e bolachas de sal.
Aqui deixo meu relatório de pesquisa de campo, durante os três dias, adquirido um pouco de experiência com várias crianças de comportamentos diferentes, onde eu Rosângela Viana quero fazer da minha profissão, um ato de amor e não só uma obrigação.












Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia.









Pesquisa de Campo










PROFESSOR: HÉRCULES JESUS CARVALHO
ACADÊMICA: MARIA NILCE S. MONTEIRO
DISCIPLINA: CURRÍCULO
CURSO: PEDAGOGIA SALA: 12.



















PORTO VELHO, 08 DE NOVEMBRO DE 2006.
Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia.










Pesquisa de Campo













PROFESSOR: FRANCISCO ESTÁCIO.
DISCIPLINA: POLÍTICAS PÚBLICAS
ACADÊMICA: MARIA NILCE S. MONTEIRO
CURSO: PEDAGOGIA SALA: 12.

















Porto Velho, 08 de Novembro de 2006.


RELATÓRIO DE PESQUISA DE CAMPO (CRECHE COMUNITÁRIA)


Nos dias 23/10 e 25/10/2006, estive na Creche e Escola Vírgilio Coutinho, localizado no Bairro Esperança da Comunidade, Rua Sheyla Regina, situada na Zona leste do Município de Porto Velho-Ro. com a finalidade de realizar uma pesquisa de campo, com o propósito de avaliação de Políticas Públicas da Educação na disciplina ministrada pelo professor Francisco Estácio, avaliação de psicologia do desenvolvimento disciplina ministrada pela professora Gisele, avaliação de currículo disciplina ministrada pelo professor Hércules e professor Raimundo José avaliação de sociologia.
Ao chegar á Escola procurei falar com o Diretor, Jackson ele me recebeu com muita atenção mim informando as salas de creche e alfabetização. Onde eu fiquei por 02 dias, no jardim 2 com a professora Franciane, que tem o magistério e ano que vem pretende fazer faculdade na instituição FATEC, com o decorrer do dia, procure saber informação de onde vem á merenda e o salário que vem da SEMED. A fonte de recursos vem do PROAFIC, Governo municipal e contribuição dos pais. Observando o método de ensino da professora, que não contempla a visão de Jean Piaget e sim Paulo Freire nas disciplinas (Português, matemática, ciências e Estudos Sociais). Mas só passou Português.
Na sala de aula a professora usava materiais tal como lousa, pincel, apagador, pouco papel na parede com alguns desenhos, ela contou os alunos para poder da á página de leituras grande, faz a correção de tarefas na sala. A professora não usa dinâmica, a sala e estreita e quente, alguns alunos fazem a tarefa em pé, devido o claro da janela, alguns aluno não tem higiene adequado pelas duas partes (família e local do mesmo) os alunos tem idades de 07 á 08 anos, na sala tem 31 alunos, não tendo intervalo com um cartaz na frente da creche avisando que os alunos vão sair ás 16:00h.
No próximo dia voltei á escola para dar continuidade mais fui para a sala da creche recebida pela Raimunda onde estava muito quente devido não ter energia, conversando com a mesma observei que ela não sabe separar algumas coisas, dando atividade para criança fazer como: desenhar e brincar ao mesmo tempo, criança com idade de 1ano e meio á 07 anos, quando três deles já poderia esta em outra sala, porque sabe assimilar os nomes. O menino de 07 anos e um pouco peralta e a professora pede para ele ficar quieto, dizendo que vai levá-lo a direção. E foi o que aconteceu ela levou e ele contra a vontade dele, quando ele voltou, vem calmo e pedi para ele escrever o nome do pai e da mãe dele, infelizmente respondeu que não tem pai só mãe. O mesmo deve ser alérgico a algo, pois tem muitas bolinhas no corpo, e os pais nunca tem tempo para levá-lo ao médico, conta há pessoa que cuida. Assim tenho um diálogo com a Raimunda que está terminando o ensino médio, disse que tem vontade de ajudar as crianças, comentou que foi pedido um parquinho para ás criança, mas não obteve respostas. Mesmo assim não adianta o lugar não tem condições boas.
Voltando no dia seguinte á sala da professora Franchiani no jardim da infância, já com atividade feita no quadro, como um pequeno texto em que a criança desenvolva criatividade de desenhar, mas ela não se expressou bem e teve uma confusão ao ouvir, perguntou para o aluno quem tinha cortado o número sete onde a mesma disse: que não se corta, mais não explicou! Corrigiu as tarefas, passou mais leitura, mais tudo foi resolvido porque terminou com refrigerante e bolachas de sal. Quando fui embora ás crianças perguntaram quando iria votar e acenaram com a mão.
Aqui deixo meu relatório de pesquisa de campo, durante os três dias, adquirido um pouco de experiência com várias crianças de comportamentos diferentes, tendo muitas dela querendo aprender a ler e escrever, tendo pouco apoio de seus familiares, por não ter conhecimento ou falta de interesse. E alguns Professores que não se enterre com seus alunos. Onde eu Rosângela Viana quero fazer da minha profissão, um ato de amor e não uma obrigação qualquer.






















RELATÓRIO DE PESQUISA DE CAMPO (ESCOLA)

Nos dias 23/10 e 25/10/2006, estive na Creche e Escola Vírginio Coutinho, localizado no Bairro Esperança da Comunidade, Rua Sheyla Regina, situada na Zona leste do Município de Porto Velho-Ro com a finalidade de realizar uma pesquisa de campo, com o propósito de avaliação de Psicologia do Desenvolvimento na disciplina ministrada pela professora Gisele G Estácio.
Ao chegar á Escola procurei falar com o Diretor, Jackson ele me recebeu com muita atenção me informando as salas de creche e alfabetização onde eu fiquei por 02 dias, com a professora Franciane que tem o magistério e ano que vem pretende fazer faculdade na instituição FATEC. Observando seu método de ensino, que não contempla a visão de Jean Piaget, mais de Paulo Freire nas matérias Português, matemática, ciências e Estudos Sociais.
Na sala de aula a professora usava materiais tal como lousa, pincel, apagador, pouco papel na parede com alguns desenhos, como leituras grande, faz a correção de tarefas. A professora não usa dinâmica, a sala e estreita e quente, alguns alunos fazem a tarefa em pé, perto do quadro devido o claro da janela, não tendo intervalo os alunos saem 16:00.
No próximo dia voltei á escola para dar continuidade, mais fui para a sala da creche, recebida pela Raimunda onde estava muito quente devido não ter energia, conversando com a mesma observei que ela não sabe separar algumas coisas, dando atividade para criança fazer como: desenhar e brincar, criança com idade de 02 á 07 anos, quando três deles já poderia esta em outra sala, porque sabe assimilar os nomes e outros. Assim tenho um diálogo com ela, disse que tem vontade de ajudar as crianças, e esta terminando o ensino médio.
Voltando no dia seguinte á sala da professora Franciene no jardim da infância, já com atividade feita no quadro, como um pequeno texto em que a criança desenvolva criatividade de desenhar, mas ela não se expressou bem e teve uma confusão ao ouvir, corrigiu as tarefas, passou mais leitura, mais tudo foi resolvido porque terminou com refrigerante e bolachas de sal.
Aqui deixo meu relatório de pesquisa de campo, durante os três dias, adquirido um pouco de experiência com várias crianças de comportamentos diferentes, onde eu Rosângela Viana quero fazer da minha profissão, um ato de amor e não só uma obrigação.
RELATÓRIO DE PESQUISA DE CAMPO (ESCOLA)


Nos dias 23/10 e 25/10/2006, estive na Creche e Escola Vírginio Coutinho, localizado no Bairro Esperança da Comunidade, Rua Sheyla Regina, situada na Zona leste do Município de Porto Velho-Ro com a finalidade de realizar uma pesquisa de campo, com o propósito de avaliação de Sociologia na disciplina ministrada pelo professor Raimundo José.
Ao chegar á Escola procurei falar com o Diretor, Jackson ele me recebeu com muita atenção me informando as salas de creche e alfabetização onde eu fiquei por 02 dias, com a professora Franciane que tem o magistério e ano que vem pretende fazer faculdade na instituição FATEC. Observando o método de ensino da professora que contempla Paulo Freire nas disciplinas (Português, matemática, ciências e Estudos Sociais).
Na sala de aula a professora usava materiais tal como lousa, pincel, apagador, pouco papel na parede com alguns desenhos, como leituras grandes e texto como a zebrinha e palavras que rima, faz a correção de tarefas. A professora não usa dinâmica, a sala e estreita e quente, alguns alunos fazem a tarefa em pé, perto do quadro devido o claro da janela, a maioria dos alunos são dispersivo, o jardim da infância tem 31 alunos, não tendo intervalo os alunos saem 16:00 horas.
No próximo dia voltei á escola para dar continuidade, mais fui para a sala da creche, recebida pela Raimunda onde estava muito quente devido não ter energia, conversando com a mesma observei que ela não sabe separar algumas coisas, dando atividade para criança fazer como: desenhar e brincar, criança com idade de 02 á 07 anos, quando três deles já poderia esta em outra sala, porque sabe assimilar os nomes e outros. Assim tenho um diálogo com ela, disse que tem vontade de ajudar as crianças, e esta terminando o ensino médio.
Voltando no dia seguinte á sala da professora Franciene no jardim da infância, já com atividade feita no quadro, como um pequeno texto em que a criança desenvolva criatividade de desenhar, mas ela não se expressou bem e teve uma confusão ao ouvir, corrigiu as tarefas, passou mais leitura, mais tudo foi resolvido porque terminou com refrigerante e bolachas de sal.
 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Maria Nilce S. Monteiro
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Motivo que estou, enviando este artigo,para que venha despertar em nosos governantes , pra questão tão presentes no dia a dia das escolas.
Membro desde maio de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: