Relatório de Estágio Educação Infantil.

Introdução

O presente estágio de docência na Educação Infantil tem como objetivo, fazer uma reflexão das vivencias e diversos tipos de contextos, dentro do cotidiano e dos bastidores da Educação Infantil, propondo assim uma (re) reconstrução e assim contrastar os equívocos e avanços apontados dentro da práxis escolar.
Segundo Paulo Freire (1996), "é pensando criticamente a prática de hoje ou de ontem que se pode melhorar a próxima prática."
Uma visão critica não só da prática, mas também do investimento relativo a está mesma prática é que eu proponho que seja comparado, pois é dentro de uma sala com diversos tipos de possibilidades de prática que fará com que o docente desconstrua e refaça suas vivencias relativas à mesma dentro do âmbito escolar.

Partindo do pré suposto que não se faz Educação sem investimento, podemos entender as causas de tantos docentes continuarem tendo uma visão vertical da prática, reflexão, proposta dentro das escolas.
A Educação Infantil, atualmente, adquiriu nova dimensão, com a implantação do Ensino Fundamental de nove anos, com as crianças chegando à escola na idade de 0 a 05 anos, e também se alfabetizando cada vez mais cedo. No entanto a evasão escolar se contrapõe, fazendo com que as crianças que abandonam a Educação Infantil, por causa dos mais diversos motivos como mudança de Estado ou cidades dos pais, falta de tempo para levar e trazer das escolas, enfermidades, condução etc. Tudo isso atrapalha o desenvolvimento, cognitivo, psicomotor e social das crianças. Isso ocorre por que trazemos impregnado em nossa cultura resquícios do cotidiano vivido e não modificado da Europa desde o século XVIII e XIX.
"Na Europa com a Revolução Industrial, a sociedade agrário-mercantil transforma-se em urbano-manufatureira, num cenário de conflitos, onde as crianças eram vitimas de pobreza, abandono e maus-tratos, com grande índice de mortalidade. Aos poucos o atendimento às crianças torna-se mais formal, como resposta a essa situação, foram surgindo instituições para o atendimento de crianças desfavorecidas ou crianças cujos pais trabalhavam nas fábricas" (OLIVEIRA, 2002).
Com está idéia de outrora, a Educação básica, ou seja, as instituições que foram criadas a principio eram para o simples cuidar, para que os pais trabalhassem fora, contudo observando o comportamento dos pais e familiares das crianças que freqüentam Pré-Escolas e creches elas continuam com o pensamento que ainda não foi transformado modificado acerca da idéia de que a criança não é uma tabula rasa (PIAGET, 19820). Essa concepção pode ser observada nos discursos que os pais ou de quem tenha a tutela da criança discorre quando apontam que estão matriculando as mesmas porque precisam trabalhar e não tem com quem deixar, ou mesmo por estarem cansados do cuidar cotidiano da criança em seus lares, então as colocam nas Instituições Infantil a fim de que fiquem durante o tempo em que elas podem descansar. Na realidade só começaremos a mudar, reformular esses pensamentos quando os pais e tutores começarem a entender que a Educação Infantil é um direito da Criança e que é de fundamental importância para o seu raciocínio lógico, motor e cognitivo.
As Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, no seu Art.5° apontam que a Educação Infantil, primeira Etapa da Educação Básica, é oferecida em creches e pré-escolas, as quais se caracterizam como espaços institucionais não domésticos que constituem estabelecimentos educacionais públicos ou privados que educam e cuidam de crianças de 0 a cinco anos de idade no período diurno, em jornada integral ou parcial, regulados e supervisionados por órgão competente do sistema de ensino e submetidos a controle social.
Como afirma o Art. 5° acima citado, que chama atenção para as instituições que EDUCAM e cuidam, ou seja, a primeira função é educar, partindo deste pré suposto podemos entender que a Educação Básica está suprimindo o educar e a ênfase está maior no cuidar. Ainda porque o nosso país investe milhões e bilhões em construção e estádios de futebol, por exemplo, e nem chegamos a 1/3 deste investimento nas escolas e creches.
Sendo assim, necessitamos também de uma Educação para a paz que comece já na primeira infância. A Educação Infantil torna-se, então, uma etapa imprescindível para a aprendizagem de valores, incluindo valores de acordo com uma cultura de paz, como o respeito, a cooperação, a igualdade, a ternura, autonomia, justiça e a solução de conflitos de forma pacífica, e também um espaço para brincar e ser feliz.
Essa etapa educativa tão importante e marcante na vida de nossas crianças exige que seja atendida por profissionais com a devida formação, instrumentalização e paixão pelo trabalho que realizam, pois entendemos que não se faz educação sem investimento capital e humano.

Uma Educação Consistente se Faz com Respeito e Seriedade.
Jakson Queiroz Ramos

Em cada página um pedaço da história.
O CAIC - Centro de Atenção Integral à Criança - Jorge Amado é uma escola com capacidade para atender mais de 1.500 estudantes. Foi inaugurado em 29 de setembro de 1996.
Seu projeto original nasceu de um programa financiado, na época, pelo Governo Federal. Possui 30 salas de aula. Atualmente, divide-se em duas partes principais: O Prédio Principal e o Anexo. No Prédio principal, oferece-se todos os cursos do Ensino Fundamental organizados na modalidade Ciclos de Desenvolvimento Humano, e também as Oficinas do Programa "Mais Educação" (manhã e tarde). Neste mesmo prédio, oferecem-se, no turno noturno, cursos específicos voltados para Educação de Jovens e Adultos, também em nível de Ensino Fundamental. No Anexo (também conhecido como Prédio de Cima), oferecem-se os cursos nas modalidades Creche (tempo integral, para crianças com idade entre um ano e meio e três anos) e Pré-Escola (para crianças com idade entre 4 e 5 anos), este anexo conta com 04 salas de pré-escola, sendo duas para educando de 04 anos e 02 para os educando de 05 anos.
Espaço do pátio onde as crianças brincam durante o recreio.
A creche atende em tempo integral, das 07h30min às 17h, oferecendo 04 refeições diárias, a pré-escola atende no horário matutino das 7:30 as 11:30 e vespertino das 13h às 17h oferecendo um lanche em cada turno.
O CAIC Jorge Amado, está situado no caminho 06, sem número no bairro Parque Habitacional URBIS II, bairro Jardim Primavera é, considerado atualmente, uma das melhores escolas de Ensino Fundamental da Rede Pública de Itabuna. Está vinculado à Rede Municipal de Educação. Possui quadra poliesportiva, auditório, anfiteatro, estúdio de rádio, laboratórios de aprendizagem, laboratório de informática, lan-house, espaços para recreação, refeitório, sala de vídeo e a Biblioteca Valdelice Soares Pinheiro, sob a Coordenação da Profª Zélia Posidônio. Apesar do CAIC contar com uma infra- estrutura ampla, bem arejada e de boas dimensões, ainda faltam em seus aspectos diversas manutenções de caráter urgente, como carpina de área externa onde se encontra o parque infantil, e áreas de extensão de salas de aula.
Dentro do CAIC, atua uma equipe composta pelo diretor, três vice-diretoras, cerca de 61 professores, 13 coordenadores pedagógicos e 38 funcionários, além de estagiários, monitores de ensino e voluntários diversos.
Observar para conhecer.
Chegando ao colégio CAIC, fui bem recepcionado pela coordenadora Mariegna e pelos demais funcionários e professores que encontrei quando adentrei na escola pela primeira vez. Este dia foi marcado por um sentimento de ansiedade muito grande, pois mesmo já estando atuando em sala de aula era uma experiência nova e que eu não sabia como seria.
A tarde foi inteirinha de chuva e por conta disto faltaram muitos estudantes, só contamos com sete dos dezoito educando que compõe a turma. Foi proposta nesta aula que se juntasse as duas turmas de pré-escola de 04 anos para ensaiar uma apresentação que aconteceria nos dias das mães.
Depois do ensaio os estudantes fizeram uma dinâmica proposta pela professora, onde os mesmo pegavam os seus nomes respectivos escritos no chão, numa cartolina, depois que conseguiam encontrar os nomes, percorriam com o dedinho conhecendo o desenho e o traçado da letra. Em seguida a professora começou a trabalhar números, os educando já conheciam os números 1,2,3 e hoje foi apresentado o numeral 04, a professora fez uso do recurso giz e do quadro negro onde cada educando vinham a tentar fazer os traçados, neste dia pude observar os primeiros traçados, rabiscos, garatujas pela primeira vez.
Nas fotos acima uma atividade que fiz, para reconhecimento dos nomes.
O ponto forte desta primeira observação na sala de aula é que não pude observar de uma maneira evidente uma rotina a ser seguida pela professora regente.
No meu segundo dia junto com a turma da professora Ana Isa, regente da turma vespertina da pré-escola, foi bem envolvente, pois adentrei a sala de aula, onde estava acontecendo acolhida com brinquedos variados, isso durou 10 minutos mais ou menos, logo depois a professora fez uma oração do Santo Anjo, logo após as crianças agradeceram a Jesus pelas diversas coisas como o sol a vida etc. Também foi cantada a musica borboletinha e uma minhoquinha faz ginastiquinha.
Compareceram 08 meninas e cinco meninos, a professora aproveitou a contagem das crianças para fazer uma revisão dos números que ela começou ensinar ontem, relembrando o numero

[...]

 
Download do artigo
Revisado por Editor do Webartigos.com
Leia outros artigos de Jakson Queiroz Ramos
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Pedagogo formado pela (UNIME) União Metropolitana de Educação e Cultura, faz Especialização em Metodologia de Ensino de História (UNIASSELVI) Associação Educacional Leonardo da Vinci. É professor de Português, História e Geografia na Iniciativa Privada, Monitor de Letramento e Informática em escola...
Membro desde maio de 2011